Atletas da NFL criticam exigências de Goodell para renovação: "Queremos 50 milhões"

Após as notícias de que o comissário da liga estaria negociando um contrato multi-milionário, jogadores contestam suas funções.

Atletas da NFL criticam exigências de Goodell para renovação: "Queremos 50 milhões"
Goodell na noite do draft 2017 (Foto: Getty Images via Icon sportswire)

O comissário da NFL, Roger Goodell, em reunião com os donos dos times da liga, iniciou as negociações para renovação de contrato. O contrato atual do comissário acaba em 2019, e a proposta é de renovar até 2024.

Dentre os acordos sugeridos no contrato, Goodell pede 49,5 milhões de dólares por ano, uso vitalício de jato privado e seguro de vida para ele e sua família, também vitalício. Essas propostas feitas pelo comissário não repercutiu bem ao redor da liga.

Os atletas não ficaram calados e comentaram o assunto. Tom Brady, quarterback do New England Patriots, relativizou, dizendo não ser do seu interesse. "O que ele faz, não me interessa. Cabe aos proprietários decidir."

O tight end do Carolina Panthers, Greg Olsen, afirmou ser uma boa quantia em dinheiro. "Cinquenta milhões. Soa bom para mim. Isso é muito dinheiro. O jato privado soa melhor. Eu pegaria menos dinheiro e ficaria com a aeronave. Eles não me perguntaram se quero ser comissário ainda. Soa ótimo para mim."

Outros jogadores também deram opinião no caso.

NaVorro Bowman, linebacker do Oakland Raiders:

"Nenhum dos jogadores recebe qualquer uma dessas compensações, e se um cara que não veste o uniforme pode exigir esse tipo de coisa, então sinto que os jogadores deveriam ser permitidos fazer essas exigências e ganhar o mesmo dinheiro que alguém que não joga na NFL. Essas coisas realmente me incomodam porque esse negócio não funcionaria sem os jogadores. Eu estou nesta liga há oito anos e o único treinador que eu vi realmente ser respeitado e entendido por colocar os jogadores como prioridade, foi Jim Harbaugh.

A respeito do contrato (de Goodell), eu não acho isso respeitável, a respeito dos jogadores, é um tapa na cara em meio ao trabalho que nós temos. Isso não faz sentido, só porque ele é o comissário, ele pods ter essa quantia de dinheiro garantida. Nenhum jogador desta liga tem essa oportunidade e eu penso que devíamos." 

Ramon Forster, guard do Pittsburgh Steelers:

"Ele quer contratos garantidos. Pense nos jogadores e nos contratos deles também. Ele quer cuidados médicos vitalícios. Pense nos jogadores e nos cuidados deles também. O jato, ele pode ter. Eu não poderia ligar menos. Eu posso voar de Southwest e Delta(empresas aéreas) também.

Pense no quanto difícil é a negociação. Isso é o que posso dizer melhor para ele. Experimente isso. Agora os donos do coelho têm as armas, ele é o coelho e os donos dos times têm as armas.

Eu vi alguém dizer que ele não deveria ter mais que o o jogador mais bem pago. Isso é bem justo. Eu sei que os proprietários podem dar a ele meio milhão e isso seria incrível. Mas ele está comandando um negócio, ele é um empresário, está fazendo bilhões de dólares. Então, ele pode ter acesso a esse salário, seja com os donos pagando em salário ou em bônus."

Glover Quin, safety do Detroit Lions:

"Seguro de vida vitalício? Você nem joga e nós que jogamos não podemos ter seguro de vida vitalício? Qual é, cara. Se eu sou ele, claro que estou querendo garantir tudo que eu posso. Se eu estou do outro lado, concordo com Jerry Jones(proprietário do Dallas Cowboys) e temos que fazer isso parar.

É muito dinheiro. Cinquenta milhões. Jesus. Talvez eu tenha que virar comissário. E, quero dizer, você é, obviamente, um cara mais velho quando se é comissário, então meus filhos já são formados. Seria só eu e minha esposa em casa, 50 milhões? Cinquenta? E o que, é 2017? Pelo tempo, será 20 anos, 30 anos, vamos dizer 20 anos, é 2037, poderá ser 75 milhões."

Lorenzo Alexander, linebacker do Buffalo Bills e membro do comitê executivo da associação dos jogadores da NFL:

"Eu não tinha visto isso, mas se você tem esse poder, eu ia pedir por isso também. É uma indústria multi-milionária e dizem que ele tem feito um bom trabalho. Ele tem 44 milhões agora, certo, então o que é mais seis milhões? No fim do dia, constará entre 32 bilionários, é nada. É uma anulação para eles, uma despesa. Eu iria pedir o mesmo se pudesse. Não estou bravo com isso."