Playoffs NFL: Atlanta Falcons precisa se superar jogando longe de casa

Jogos na Geórgia, trunfo na temporada passada, não acontecerão em 2018 e Matt Ryan tentará jogar como em 2016

Playoffs NFL: Atlanta Falcons precisa se superar jogando longe de casa
Foto: Scott Cunningham/Getty Images Sport

Após o fracasso com a virada sofrida para o New England Patriots no Superbowl LI do ano passado, o Atlanta Falcons veio para a temporada 2017 ainda como um dos melhores times da liga e contando com o MVP de 2016, o quarterback Matt Ryan. Ao longo de 2017, com os altos e baixos, a franquia do estado da Georgia garantiu uma vaga de Wild Card e chega novamente a pós temporada nesta década.

O início da campanha na atual temporada foi promissora. Jogando fora de casa, o time bateu Lions e Bears e derrotou o Green Bay Packers em casa, abrindo 2017 com três vitórias em três jogos. No entanto, três derrotas seguidas, com duas em casa, ligou o sinal amarelo para o time de Dan Quinn. Nos dez jogos que vieram, apenas três derrotas e o time conseguiu vaga como sexta melhor equipe da Conferência Nacional.

Dentro da divisão sul, foram quatro vitórias e duas derrotas. Os Falcons viram Saints e Panthers terem campanhas melhores inclusive, deixando o representante da NFC no Superbowl passado tendo que atuar todos os possíveis duelos dos playoffs longe de Atlanta.

Trunfo esse que ajudou a equipe galgar o sonho de chegar na final em 2016. Das seis derrotas em 2017, metade delas vieram dentro de seus domínios. Mas as vitórias significativas foram em frente ao seu torcedor, como nos massacres contra Dallas Cowboys e Tampa Bay Buccaneers e a vitória contra Carolina Panthers na semana 17 que ajudou a selar seu lugar na pós temporada. Para buscar uma nova campanha digna de vaga no Super Bowl, os Falcons terão de jogar tudo que sabem nos domínios de seus adversários.

Destaque: ataque com MVP da temporada passada e Julio Jones

O que pode levar os Falcons a brigar por uma longa campanha nos playoffs é, sem sombra de dúvidas, seu ataque poderoso. Matt Ryan foi o MVP da temporada passada e comandou o oitavo melhor ataque aéreo da liga na temporada regular, com média de 249 jardas/jogo. Seu quarterback completou 64.7% dos passes, com 20 TDs e 12 interceptações, bem longe dos 38 TDs e 7 INTs do seu ano como mais valioso.

Mortal. Julio Jones manteve nível altíssimo e segue como um dos melhores WRs da liga (Foto: Al Pereira/Getty Images)
Mortal. Julio Jones manteve nível altíssimo e segue como um dos melhores WRs da liga (Foto: Al Pereira/Getty Images)

Entretanto, Julio Jones segue sendo um dos melhores wide receivers da liga. O camisa 11 teve 88 recepções na temporada, sendo três delas para touchdown. Além disso, ele foi o segundo WR com maior número de jardas aéreas, sendo responsável pelo avanço de 1444 jardas durante a temporada, ficando atrás apenas de Antonio Brown. 

Defesa: pressão na linha defensiva segue forte

As grandes armas dos Falcons estão no ataque. Matt Ryan, Devonta Freeman, Julio Jones, etc. No entanto, o poderio defensivo segue alto e destacável. O time manteve bons números em diversos aspectos e melhorou em outros.

Vic Beasley, defensive end calouro em 2016 e atleta com mais sacks na temporada anterior com 15 caiu para apenas cinco, sendo o segundo melhor atleta de Atlanta nesse quesito. Adrian Clayborne conseguiu nove sacks e obteve esse posto. No entanto, a produção da unidade de Marquand Manuel melhorou nesse aspecto. Foram 39 sacks em 2017 contra 34 em 2016, tendo a 13° melhor marca da NFL. 

Já o número baixo de interceptações incomodo. A equipe caiu nesse aspecto de 12 para oito, tendo apenas uma retornada para touchdown. Com o coeficiente, a equipe teve o quarto pior desempenho. Pouco para quem precisa parar o ataque aéreo intenso do Los Angeles Rams.