Playoffs NFL: com Nick Foles, Philadelphia Eagles tentará primeiro anel de Super Bowl

Apesar da melhor campanha da NFC, sem Carson Wentz os Eagles perdem bastante força

Playoffs NFL: com Nick Foles, Philadelphia Eagles tentará primeiro anel de Super Bowl
Foles tem sua chance (Foto: Mitchell Leff/Getty Images)

Foram 13 vitórias e apenas três derrotas. O Philadelphia Eagles fez a melhor campanha da conferência nacional, conseguindo assim a folga na primeira semana da pós temporada da NFL. Ainda assim, a equipe da Pensilvânia passa longe de ser a favorita a chegar ao Super Bowl em Minnesota, tentando seu primeiro trofeu Vince Lombardy.

Isso porque, na semana 14, Carson Wentz, então cogitado como MVP da temporada, saiu lesionado de campo antes dos Eagles confirmarem vitória contra o Los Angeles Rams no oeste dos Estados Unidos. Por três semanas, Nick Foles assumiu a titularidade e ajudou o time a vencer duas vezes. 

No entanto, Foles não é a solução. Apesar de derrotar New York Giants e Oakland Raiders, o quarterback reserva não conseguiu manter as boas atuações de Wentz (o que era esperado) e o ataque do time da Philadelphia pouco produziu. Ainda assim, é com Foles e companhia que a torcida no Lincoln Financial Field empurrará os Eagles diante do Atlanta Falcons neste sábado (13). 

Wentz foi avassalador

Os Eagles começaram a temporada com duas partidas fora de casa. Contra o rival Redskins em Washington, o camisa 11 de Philly fez chover e levou o time a vitória. Wentz bem que tentou também contra o Kansas City Chiefs, mas a hail mary para tentar virar a partida não surtiu efeito.

Com 1-1 na campanha, Philadelphia ainda não era tão cotada para chegar aos playoffs. Mas o que se viu foi um show de todas as unidades comandadas por Doug Pederson. Foram dez vitórias seguidas. Carson Wentz teve seus momentos de MVP da temporada e foi ajudado por boas apresentações no ataque do tight end Zach Ertz, do wide receiver Alshon Jeffery e do right tackle Lane Johnson.

Ertz que liderou o time nas recepções. Foram 74 passes recebidos somando 824 jardas e oito touchdowns, sendo um dos mais prolíficos na posição de tight end. O time de Pederson também esteve entre os três melhores ataques da temporada regular em dois aspectos: pontos por partida (28,6) e jardas corridas (132,2). 

Antes de perder Carson Wentz pelo restante da temporada, outros dois nomes também foram para a injury reserve sem perspectivas de volta para a pós temporada: o experiente left tackle Jason Peters e do linebacker Jordan Hicks. 

Wentz na partida contra os Rams. Após o lance, saiu lesionado (Foto: Mitchel Leff/Getty Images)
Wentz na partida contra os Rams. Após o lance, saiu lesionado (Foto: Mitchel Leff/Getty Images)

Front seven pesado ajudou na eficiência

Jim Schwartz chegou aos Eagles em 2016 junto com quase toda nova comissão técnica após o fracasso de Chip kelly que esteve na Philadelphia por três anos. Experiente, Jim veio para comandar a defesa da equipe e mostrou evolução latente em 2017.

Além de manter Fletcher Cox, a equipe trouxe Timmy Jerningan do Baltimore Ravens e Chris Long do New England Patriots. Na primeira rodada do draft deste ano, o staff dos Eagles pegaram Derek Barnett, de Tennessee. Ainda assim, o defensor Brandon Graham teve maior destaque, sendo o principal jogador em relação aos sacks, com 9.5 na temporada. Com o grande número de bons atletas nas duas primeiras linhas, o time cansou menos e pode trabalhar mais rotacionado para cima das linhas ofensivas. 

O trabalho de Schwartz foi reconhecido. O coordenador defensivo foi cogitado para trabalhar novamente como head coach. O New York Giants, rival de divisão, é uma equipe que considerou entrevistar o técnico. 

Graham evolui ano após ano (Foto: Mitchell Leff/Getty Images)
Graham evolui ano após ano (Foto: Mitchell Leff/Getty Images)