Brady, Belichick e Bob: como o trio forte de New England é exemplo de sucesso há quase duas décadas

Desde 2000 juntos, os três são o maior exemplo de organização e competitividade já vista em qualquer esporte na história

Brady, Belichick e Bob: como o trio forte de New England é exemplo de sucesso há quase duas décadas
Foto: Maddie Meyer/Getty Images

O que define a grandeza de alguém dentro do esporte? Títulos? Viradas históricas? Legado para com os torcedores? O que eles representam? E se, por acaso, um grupo de pessoas conseguir  cumprir com todos esses itens com precisão e qualidade? Elas formarão um legado, que, se duradouro, pode vir a ser um dos maiores da história naquele determinado esporte, ou, dependendo do nível das conquistas, ser representativo no mundo esportivo em um âmbito geral.

Esse é o caso do atual New England Patriots e de três pessoas, que são o “coração” da franquia: Robert Kraft, o dono, Bill Belichick, o treinador, e Tom Brady, quarterback e principal jogador. Desde 2000 trabalhando “em conjunto”, eles combinam para oito aparições em Super Bowls, mais do que qualquer outra franquia nesse mesmo período.

1994: Robert Kraft se torna executivo da franquia

Robert Kraft sempre foi um assíduo torcedor do New England Patriots e a prova disso é que ele adquiriu todos os “season tickets”, que garantem presença nos jogos durante a temporada de futebol, desde 1971, quando a franquia foi jogar no Schaefer Stadium. O grande empresário, adquiriu, em 1985, a Foxboro Raceway, que era uma estrutura adjacente ao estádio principal, quando começaria a ter certa influência nas compras e vendas envolvendo o Patriots e, em 1988, conseguiu comprar o estádio por 22 milhões de dólares.

Em 1992, James Orthwein adquiriu a franquia de Billy Sullivan e, desde então, possuía uma ideia de se mover para Saint Louis. O novo dono, dois anos depois, ofereceu 75 milhões de dólares para Kraft pelo estádio, mas ele recusou. Dessa maneira, Orthwein não havia interesse em investir em algo envolvendo um longo período de tempo na região de New England e vendeu a franquia para Robert Kraft por 172 milhões de dólares, que, na época, foi o maior valor pago para que alguém pudesse adquirir uma franquia da NFL.

Desde 1994, ano em que Kraft adquiriu a franquia, os Patriots vendem todos os ingressos para as partidas da temporada na NFL, incluindo jogos de pré-temporada. Com todo esse sucesso, o empresário adquiriu, em 1998, um terreno que, quatro anos depois, resultaria no CMGI Field, o novo estádio da franquia e que é conhecido como Gillette Stadium desde 2007, por questões de naming rights. Não satisfeito, construiu toda uma estrutura em volta da arena, buscando oferecer entretenimento para os fãs, que é conhecida como Patriot Place.

Toda essa estrutura e planejamento se refletiram dentro de campo, já que os Patriots se tornaram uma das franquias mais respeitadas da NFL e estão, há muitas temporadas, na prateleira de melhores equipes da liga. Antes de sua chegada, a franquia teve apenas uma aparição em Super Bowl em 34 anos, com apenas seis classificações para os playoffs. Com Kraft, todo esse panorama mudou, com a equipe conquistando a AFC East em 17 oportunidades e estando na grande final em nove vezes.

Bill Belichick se achou em Foxborough

Belichick começou no mundo do futebol americano em 1975, quando era assistente no Baltimore Colts. Seu primeiro momento de destaque nesse ramo foi entre 1980 e 1984, quando coordenava as equipes especiais e era o treinador dos linebackers no New York Giants, que conquistou dois Super Bowls durante esse período. Com o bom desempenho, evoluiu e se tornou coordenador defensivo na equipe de Nova Iorque. 

Sua primeira oportunidade como head coach foi em 1991, quando assinou com o Cleveland Browns. Com campanhas de, respectivamente, 6-10, 7-9, 7-9, 11-5 e 5-11, a equipe conseguiu uma vaga na pós-temporada apenas em 1994, ano em que conseguiu uma campanha positiva e que eliminaram, ironicamente, o New England Patriots nos playoffs. Após a campanha ruim na temporada seguinte, foi demitido do cargo da equipe, e se mudaria para Baltimore posteriormente.

Seu primeiro contato com os Patriots foi em 1996, como assistente técnico. Porém, ficaria apenas uma temporada no Pats, já que a proposta do New York Jets oferecia uma vaga como coordenador defensivo. Em 2000, porém, quando iria assumir a vaga como head coach dos Jets, anunciou, em sua entrevista de apresentação, que iria renunciar ao emprego – permanecendo, assim, como head coach da equipe por apenas um dia.

Em 2000, Robert Kraft confiou em Belichick para cuidar de praticamente tudo do futebol dos Pats, sendo, ao mesmo tempo, o head coach e o general manager da equipe. Sua primeira – e única – temporada negativa desde então foi a primeira, quando tiveram uma campanha de 5-11. Desde então, New England ficou de fora dos playoffs em três temporadas: 2000, 2002 e 2008.

Tom Brady: a personificação dos Pats

Brady teve boas marcas no seu último ano de universidade, com 180 passes completados em 295 tentativas, com 61% de sucesso nesses números, além de contribuir com 2217 jardas por meio de passes, com uma média de 7.5 jardas por cada lançamento, anotando 16 touchdowns e tendo seis interceptações. Dessa maneira, o jogador esperava ser draftado entre o segundo e o terceiro round, mas acabou sendo escolhido apenas no sexto, na 199ª pick, o que acabou sendo, como ele mesmo admitiu em uma entrevista anos depois, uma grande decepção. A maior razão para isso pode estar em sua performance no NFL Combine, evento criado para medir a aptidão física dos prospectos. Na ocasião, Brady foi mal e mostrou pouquíssima agilidade e velocidade, por exemplo.

Em 2000, sua primeira temporada, começou como apenas um jogador de rotação, sem receber muitas chances de jogo. Durante as sessões de treino na temporada, impressionou Belichick, que “aumentou” seu status para o QB reserva imediato do titular Drew Bledsoe. Brady participou de apenas uma partida oficial nessa temporada, contra o Detroit Lions, quando conseguiu completar um passe em três tentativas, que foi pego pelo tight end Rod Rutledge.

Em 2001, Brady teve suas primeiras chances como titular no segundo jogo da temporada, quando Bledsoe teve que deixar uma partida por conta de um problema na cabeça e, a partir disso, Tom não deixou mais a equipe titular, levando os Patriots para os playoffs com incríveis médias, apesar de um início tímido, e, posteriormente, a conquista do Super Bowl, o primeiro da história da franquia. Brady, naquela época, seria o quarterback mais jovem a conquistar esse título.

A partir daí, Tom Brady seria, definitivamente, o quarterback titular dos Patriots, tendo uma ligação tanto dentro quanto fora de campo com a franquia: o atleta é justamente aquilo que sua franquia passou por muito tempo. Quando houve uma grande expectativa em torno, uma decepção tomou conta, destruindo toda a imagem que havia sido construída antes. Apesar do choro e da dor, os dois nunca pararam de tentar, fizeram alguns ajustes e, quando se encontraram, conseguiram chegar ao ápice do sucesso e da história. É e sempre será histórica a ligação entre os dois.

Legado

Robert Kraft conseguiu reestruturar completamente a franquia New England Patriots. Novo estádio, novas maneiras de ter um contato com os fãs, novos treinadores e, consequentemente, novos resultados – em comparação com o que era apresentado antes de sua chegada. Tudo que acontece dentro das quatro linhas é fruto de uma organização e competência de um dos maiores executivos da história do esporte.

Como uma coisa liga à outra, é inevitável não citar que a conexão entre Bill Belichick e Tom Brady é responsável por tamanho sucesso. Durante 18 anos, muitos jogadores vieram e foram, muitos se destacaram, outros não deixaram saudades, mas os dois permaneceram intactos, construindo uma imagem de ícones que, atualmente, é inquestionável e é a maior já vista na NFL em todos os tempos.

Com os três em conjunto, são oito conquistas de divisão e cinco títulos de Super Bowl. Além disso, o respeito e a consistência de se manter, pelo menos, como uma das equipes competitivas da liga durante dezoito anos é algo admirável. A organização e a qualidade que os três conseguem imprimir à franquia é algo que nunca visto em nenhum outro esporte, já que nunca um time conseguiu se manter no topo – mesmo não vencendo o SB em todos anos – durante todo esse período.