Emergentes perante consolidados: duelo entre comissões técnicas de Patriots e Eagles

De um lado, os multicampeões treinadores de New England tentam aumentar os feitos, ampliar a hegemonia e acrescentar mais feitos às suas trajetórias na NFL; do outro, a premiação de um trabalho feito com pontualidade e excelência

Emergentes perante consolidados: duelo entre comissões técnicas de Patriots e Eagles
Emergentes perante consolidados: duelo entre comissões técnicas de Patriots e Eagles

O duelo entre New England Patriots x Philadelphia Eagles, pela decisão do futebol americano, coloca frente a frente duas franquias tradicionais, históricas, com torcedores fanáticos e histórias excelentes para serem acompanhadas. Para chegarem ao posto de melhores equipes da modalidade na temporada, as equipes superaram obstáculos, desconfianças e tiveram seu merecimento ao chegarem na decisão mais uma vez e reeditarem o jogo ocorrido há aproximadamente 13 anos, quando os Patriotas levaram a melhor e venceram por 24 a 21.

A liderança das duas equipes é fundamental para o sucesso de ambos e pela disputa acirrada das equipes pelo troféu Vince Lombardi, o prêmio máximo da NFL. As comissões técnicas de New England e Phiadelphia devem ser avaliadas com muita atenção pelo trabalho espetacular feito durante anos e que obtém recompensas a cada temporada.

New England Patriots: triunvirato de Bill Belichick-Josh McDaniels-Matt Patricia

Contratado há 18 anos como técnico principal dos Pats, Bill Belichick é o nome que elevou o nível do New England Patriots. De mais uma equipe participante na NFL ao seleto grupo dos campeões. Mais do que isso, equipes bem trabalhadas, praticamente invencíveis, recordes e um dos melhores times da história do esporte. O já experiente treinador começou a carreira em 1975, como assistente técnico no Baltimore Colts, hoje Indianapolis Colts. No ano seguinte, se tornou assistente dos times especiais do Detroit Lions e depois do Denver Broncos.

Foto: Jim Rogash/Getty Images

Sua carreira se tornou mais longeva e duradoura em uma única franquia. Trabalhou no New York Giants entre 1979 e 1990 em várias funções – assistente de times especiais, de linebackers e coordenador defensivo. Entre 1991 e 1995, comandou o Cleveland Browns. Atuou como assistente técnico nos Pats em 1996 e assumiu o mesmo posto no New York Jets. A partir de 2000, Belichick escreveu uma das histórias mais gloriosas no esporte. Em todos os 43 anos dedicados ao futebol americano, foram sete títulos do Super Bowl (dois como coordenador defensivo em 1986 e 1990 com os Giants e cinco como técnico dos Pats, em 2001, 2003, 2004, 2014 e 2016), além de títulos de divisão e conferência. Em toda a sua carreira, são 277 vitórias e 128 derrotas, um aproveitamento de 68,5% em uma longeva trajetória.

Foto: Adam Glanzman/Getty Images

Conhecedor das outras posições importantes para o bom andamento de uma equipe durante a temporada, Bill Belichick tem dois aliados importantes. No ataque, Josh McDaniels tem a responsabilidade de manter o alto nível de Tom Brady e seus companheiros. McDaniels iniciou a carreira em 1999, no futebol americano universitário. Em 2001, iniciou a jornada nos Pats, onde passou por todos os setores da comissão técnica. Arriscou ser técnico principal do Denver Broncos em 2009 e 2010 e coordenador ofensivo do antigo Saint Louis (hoje Los Angeles) Rams, e retornou ao posto a partir de 2012. Esteve presente nos cinco Super Bowls conquistados por New England e se torna uma figura cada vez mais cobiçada para ser técnico de alguma franquia nas próximas temporadas.

Foto: Jim Rogash/Getty Images

A defesa também é elogiada por causa do trabalho de Matt Patricia. Desde 2004 nos Patriots, Patricia é outro que é visado pelas outras franquias por causa de seu trabalho na defesa. Peças saem, outras entram e a consistência do time é mantida, embora algumas falhas no sistema defensivo foram mais explícitas nessa temporada e deve ser o principal foco dos gestores para manter o alto nível. Matt Patricia atuou como coordenador de ataque, de defesa e linebackers. Ao todo, três Super Bowls conquistados – 2004, 2014 e 2016.

Foto: Al Pereira/Getty Images

A sintonia dos três principais profissionais da comissão técnica, que trabalham juntos há mais de uma década pode ser apontada como uma das principais razões para o sucesso dos profissionais e da franquia de Massachusetts. Entendedores do trabalho de cada um dos membros, o sucesso é evidenciado em retrospectos, vitórias, títulos e atuações espetaculares a cada partida.

Philadelphia Eagles: trinca de Doug Pederson-Frank Reich-Jim Schwartz

Se os três principais treinadores do New England Patriots são reconhecidos pela experiência e longevidade à frente da franquia, pode-se dizer o mesmo da trinca que trabalha arduamente no Philadelphia Eagles. Embora não tenha conquistado tantos títulos como o adversário deste fim de semana, é elogiável o trabalho de recuperação das Águias rumo à inédita conquista do Super Bowl, embora o time já tenha sido campeão nacional na era anterior ao SB.

Profundo conhecedor do ambiente e ciente das necessidades da franquia após o fracasso com a aquisição de Chip Kelly, Doug Pederson retornou aos Eagles em um nível superior para entrar na história do time com conquistas importantes. A trajetória na Filadélfia começou em 2009, quando Pederson foi contratado como coordenador de controle de qualidade ofensiva. Dois anos depois, foi promovido a técnico dos quarterbacks. Com a chegada de Chip Kelly e a mudança na comissão técnica, assumiu a coordenação ofensiva do Kansas City Chiefs. O trabalho no Missouri rendeu e Pederson voltou em 2016 como técnico dos Eagles.

Foto: Al Bello/Getty Images

Campeão como jogador em 1996 com o Green Bay Packers, Doug Pederson foi contratado para reformular com objetividade a fim de que os Eagles pudessem voltar a brigar por títulos. O elenco foi completamente modificado. A liberação de jogadores com características de jogo diferentes e as trocas feitas com algumas franquias da NFL – o que possibilitou escolhas mais altas no Draft e o recrutamento do QB Carson Wentz – resultou em uma equipe mais dinâmica, eficiente no ataque e qualificada na defesa. À frente do time, são 22 vitórias e 12 derrotas, invicto nos dois únicos jogos de pós-temporada disputados.

Foto: Mitchell Leff/Getty Images

O ataque do Philadelphia Eagles obteve estatísticas interessantes nos últimos cinco anos, mas a dificuldade era manter a constância. Após um bom começo, sempre uma lesão ou suspensão séria de algum jogador comprometia o rendimento da equipe, que caía pelas tabelas, o que resultava em desapontamento, frustração e insucessos. Frank Reich foi contratado depois de uma vasta experiência na NFL em trabalhos específicos em posições ofensivas. Fez parte das comissões técnicas de Indianapolis Colts, Arizona Cardinals e San Diego Chargers até chegar no Philadelphia Eagles. Ajudou na boa trajetória e nos bons números de Carson Wentz enquanto o quarterback esteve saudável, além de rapidamente entrosar o QB com jogadores importantes trazidos para o ataque, como Alshon Jeffery, LeGarrette Blount e Jay Ajayi e dar total confiança para que Nick Foles conduzisse as Águias na pós-temporada.

Foto: Leon Halip/Getty Images

Ao chegar com Doug Pederson, Jim Schwartz foi outra escolha acertada dos Eagles. Experiente em liderar e auxiliar defesas no futebol universitário e na NFL – Cleveland Browns, Baltimore Ravens, Tennessee Titans e Buffalo Bills, Schwartz comandou o Detroit Lions por quatro temporadas. Foram temporadas com péssimos aproveitamentos à frente dos Lions. Mas acertou em sua ida aos Eagles, trouxe jogadores veteranos para consolidar a defesa e chegar ao topo da Conferência Nacional.