Van Persie desencanta e Manchester United derrota o Stoke City
Foto: Divulgação/Julian Finney

Após duas derrotas consecutivas e um pequeno deslize, o poderoso Manchester United se reencontrou com a vitória neste domingo (14), no Britannia Stadium, diante do Stoke City. Os gols do triunfo por 2 a 0 foram anotados por Michael Carrick e Robin van Persie. 

Com o resultado, os Diabos Vermelhos alargam o abismo em relação ao vice-líder e rival Manchester City, agora de 15 pontos, e ficam ainda mais próximos do título. Os Potters permanecem estagnados na décima quinta colocação, com três pontos e dois jogos a menos que o Wigan, primeiro clube da zona de rebaixamento. 

O JOGO

Com o Manchester United utilizando uma formação super ofensiva em relação à partidas anteriores, não deu tempo nem das equipes se aquecerem na gelada Stoke-on-Trent para que o placar saísse do zero. No minuto 4, Wayne Rooney cobrou escanteio na muvuca, e, após bate-rebate na área, Michael Carrick apareceu e colocou nas redes. O tento significou o centésimo marcado pela equipe de Alex Ferguson na temporada. Quando o torcedor ainda comemorava, em outro cruzamento da direita, Patrice Evrá se adiantou à marcação e bateu por cima.

Mantendo o ritmo e controlando a peleja com facilidade, os visitantes chegaram com perigo mais uma vez; Rooney tabelou com van Persie e, do meio da rua, soltou um foguete que Asmir Begovic espalmou. Os anfitriões, já acostumados a ficar sem a posse de bola, eram encurralados pelos diabos vermelhos, que trocavam passes aguardando uma brecha na defesa adversária. A primeira oportunidade do Stoke aconteceu apenas aos 19', quando o alemão Robert Huth recebeu na grande área e testou pela linha de fundo.

O United finalizou novamente com um cabeceio de Carrick, sem muito sucesso. Robin van Persie, engasgado com seu jejum de nove jogos sem marcar, tentou surpreender Begovic com um chute da intermediária, mas pegou mal na pelota e não obteve êxito. Insistente, o vice-artilheiro do campeonato arriscou outra vez, concluindo com o pé direito para a defesa do arqueiro bósnio. 

Sem grandes emoções, os 10 minutos finais ficaram marcados por entradas duras. Na primeira, Chicharito Hernández levantou o pé e acertou o supercílio de Andrew Wilkinson, que teve de ser atendido no gramado; pouco tempo depois, Antonio Valencia apresentou a sola de sua chuteira para a canela de Charlie Adam. Por sua vez, os Potters também abriram a caixa de ferramentas: em contra-ataque veloz dos red devils, Geoff Cameron parou Shinji Kagawa com um carrinho. Na bola parada, Wayne Rooney finalizou pra fora.

SEGUNDO TEMPO

Sem alterações, as equipes voltaram para a etapa derradeira com os ânimos não tão ligados. Com os primeiros cinco minutos sonolentos, o Manchester United acordou aos 7', quando Chicharito recebeu de Rooney e, com a mesma categoria, lançou para van Persie bater na rede pelo lado de fora. Em dose dupla, os donos da casa responderam com Kenwyne Jones e Glenn Whelan, o último levando mais perigo ao gol de De Gea.

Após um longo apagão ofensivo de ambos os times, o minuto 21 marcaria o fim de um jejum. O de Robin van Persie. O matador holandês que não mexia o barbante com a camisa mancuniana desde fevereiro sofreu penalidade máxima que ele mesmo converteu. Na comemoração, ida ao banco de reservas para festejar com um abraço em Sir Alex Ferguson, que mostrou todo apoio o jogador durante essa fase não tão boa. 

No restante do segundo tempo, vimos uma partida administrada pelos diabos vermelhos, que não tinham a necessidade de golear e diminuíram o ritmo no campo de ataque. Troca de passes e jogadas inexpressivas. Talvez o único momento que tenha tirado aplausos do torcedor - mandante e visitante - foi a entrada de Michael Owen, icônico atacante que realiza seus últimos jogos antes da aposentadoria ao final da temporada. 

E quando o apito final se avizinhava, os Potters partiram pra cima na esperança de pelo menos o gol de honra. Charlie Adam e Ryan Shotton, com conclusões do meio da rua, arriscaram. Numa delas, De Gea esticou-se todo para mandar a bola à linha de fundo. Após três minutos de acréscimos no controle dos líderes da competição, Jon Moss determinou o fim do embate e o United sobe mais um degrau na trajetória para o título. 

O próximo compromisso do Stoke ocorre no sábado (20), quando vão ao Loftus Road para enfrentar o virtual rebaixado Queens Park Rangers. Por sua vez, o United retorna à campo já na quarta-feira (17), diante do West Ham, no Upton Park, em partida atrasada da 29ª rodada. 

VAVEL Logo