Intensidade e eficiência dão ao Dortmund a vitória sobre o Real Madrid

Em partida incontestável do atacante polonês Robert Lewandowski, o Borussia Dortmund atropelou um insosso Real Madrid no Signal Iduna Park pelo placar de 4 a 1. Com um gol no primeiro tempo, e mais três na etapa complementar, o camisa 9 liderou o Borussia, que agora coloca uma mão na vaga para a decisão.

Para conquistar a vaga na final, o Real Madrid precisa vencer por 3 a 0 na próxima terça-feira (30) no Santiago Bernabéu. Caso sofra gols, será obrigado a vencer por quatro gols de diferença, caso contrário, é o Borussia Dortmund quem carimba o passaporte rumo à Wembley.

Em relação à sua última partida na Champions, a heróica vitória por 3 a 2 sobre o Málaga, o Borussia Dortmund contou novamente com Hummels no time titular. Já o Real foi a campo com Modric no meio-campo, e Di María, que foi pai no início desta semana de um bebê prematuro, e Kaká no banco. Casemiro, que esteve cotado para figurar entre os relacionados, foi cortado da lista final.

Götze inspirado e desatenção de Hummels decretam o empate em uma primeira etapa movimentada

Aos seis minutos a primeira chance aurinegra surgiu justamente dos pés de Mario Götze. O mais novo reforço do Bayern de Munique recebeu na intermediária, passou por três defensores, finalizou, Diego López espalmou, e Lewandowski, no rebote, foi bloqueado pela defensiva merengue. No lance seguinte, Lewandowski não desperdiçou, e arrancou o zero do placar, aproveitando cruzamento de Götze e, dentro da pequena área, empurrando pro fundo do gol.

  

Nos quinze minutos seguintes o que se viu foi um domínio uníssono do Borussia Dortmund. Embalado pelos cânticos vindos das arquibancadas, os alemães buscaram trocar passes e manter o controle das ações, enquanto o Real Madrid, em um não habitual 4-1-4-1, se mostrou desconfortável, com grandes dificuldades para criar jogadas.

Somente aos 23 minutos que o Real Madrid chegara pela primeira vez. O árbitro assinalou toque de mão de Sven Bender na intermediária e Cristiano Ronaldo foi pra bola, e mesmo de longe, batendo direto para o gol, e exigindo difícil defesa de Weidenfeller, que pela primeira vez foi exigido na partida. No contra-ataque seguinte, outra vez Dortmund, em lance vistoso de Marco Reus, e mais uma vez com a defesa merengue encontrando dificuldades para afastar o perigo.

Novamente pelos lados do campo, o Borussia Dortmund voltou a atazanar a defesa do Real aos 32 minutos, quando Blaszczykowski entortou Fábio Coentrão, entrou com perigo na área, mas foi travado na hora certa por Higuaín.

A cinco minutos do final do primeiro tempo, o que poderia ser uma grande chance para o Madrid, em tabela primorosa de Özil e Coentrão, acabou com o lateral português cruzando de forma bisonha, direto para a linha de fundo. Instantes depois, Reus avançou no contragolpe, deixou Varane para trás, caiu na área e reclamou pênalti. O árbitro nada marcou.

No lance seguinte, em pixotada de Hummels após cobrança de lateral, a bola ficou limpa para Higuaín na cara de Weidenfeller, que só teve o trabalho de rolar para Cristiano Ronaldo mandar pro gol vazio e empatar o jogo para o Real, fazendo com que as equipes fossem intervalo com o placar do Westfalenstadion marcando 1 a 1.

        

Lewandowski degola merengues e Borussia sai de campo com uma mão na vaga para a final

Logo no retorno para a segunda etapa, o Borussia Dortmund tratou de, novamente, se colocar adiante no marcador. Em posição legal, mas que gerou discussão, aos 5 minutos, Lewandowski aproveitou finalização de Reus, dominou na linha da pequena área, girou e chutou de bico, e partiu para o abraço, agora, com o 2 a 1 no placar.

24 de abril, o dia do atacante polonês. Não? Mas pareceu ser. Pela terceira vez no jogo, Lewandowski recebeu na área. Aproveitando cruzamento rasteiro de Schmelzer, o centroavante dominou com categoria, girou escapando da marcação e soltou o pé direito, fazendo o 3 a 1, sem qualquer chance para Diego López. O goleiro merengue mais uma vez apareceu, mas com uma bela defesa, em finalização forte de Gündogan aos 17 minutos.

Meio que perdido, meio que desesperado, o Real Madrid se viu obrigado a avançar suas linhas e ao menos tentar pressionar o Borussia Dortmund. Entre ataques e bolas alçadas na área, o contragolpe era inevitável. No primeiro deles, Reus foi derrubado por Xabi Alonso na área. Na penalidade, ele, é claro: Lewandowski. Chute firme, sem chances para o goleiro. Quarto do Borussia, quarto do camisa nove. De quebra, o jogador ainda se tornou o primeiro jogador a marcar quatro gols numa semifinal de Champions.

Sem dar chances ao adversário, o Borussia Dortmund não se acomodou com a vantagem, bem como Real não acordou com o placar adverso. Na velocidade de Reus e em mais finalizações de Lewandowski, o Dortmund seguiu levando perigo. Com o jogo mais frio, e sem tantas oportunidades, a partida caminhou rumo à monotonia.

            

Aos 44 minutos, Cristiano Ronaldo recebeu na cara do gol, e no que poderia ser um último suspiro merengue, Weidenfeller apareceu para intervir e evitar o segundo gol do Real Madrid. Após os dois minutos de acréscimo, Björn Kuipers soou o apito, e a festa se instaurou no oeste da Alemanha.

VAVEL Logo