Nos pênaltis, Garcilaso elimina o Nacional e está nas quartas-de-final

Depois de vencer a primeira partida em casa por 1 a 0, o Real Garcilaso foi até o Uruguai enfrentar o Nacional, no mítico Estádio Centenário e fez história. Apesar da derrota pelo mesmo placar da vitória na ida, a equipe peruana de apenas três anos de existência se classificou após a vitória por 4 a 1 nas penalidades. Agora, o Garcilaso espera o vencedor de Santa Fe (COL) e Grêmio para saber quem será o seu adversário nas quartas-de-final.

Precisando reverter a desvantagem da partida de ida, o Nacional pressionou os visitantes durante toda a partida, mas a equipe só levava perigo nas bolas paradas e parou na espetacular atuação do goleiro Carranza, responsável por evitar uma vitória mais elástica dos uruguaios.

Com 13 minutos de partida, os donos da casa levaram perigo pela primeira vez. Sanchéz bateu falta com categoria para dentro da grande área, o volante Damonte apareceu de surpresa nas costas da zaga e desviou, tirando tinta do travessão peruano. Sem criatividade com a bola rolando e sem poder contar com o seu grande artilheiro, Alonso, que se lesionou no final de semana durante o clássico contra o Peñarol, o Nacional abusava das bolas paradas para tentar chegar ao gol, que não veio na primeira etapa. Aos 23 minutos, Sanchéz cobrou outra falta com muita categoria, o atacante Medina não conseguiu alcançar, mas a bola levou dificuldades para Carranza, que fez boa defesa.

Na segunda etapa, o Nacional continuava pressionando o Garcilaso, que não levava o mínimo perigo à meta de Bava. Aos 11 minutos, Sanchéz levantou outra bola na área, o zagueiro Arismendi desviou no primeiro poste e a bola se ofereceu para Bueno apenas empurrar para o fundo da rede. Depois de abrir o placar, o técnico Arruabarrena mandou para campo os experientes Álvaro Recoba e Loco Abreu, com o intuito de aproveitar ainda mais as bolas paradas, visto que Recoba é um exímio cobrador de faltas e Loco Abreu um exímio cabeceador.

Logo na sua primeira participação, Recoba fez bonita jogada pela direita, cortou o marcador e bateu com muita categoria, no ângulo de Carranza. Mas o goleiro peruano estava inspirado e fez mais uma bela intervenção para salvar a equipe do Garcilaso. Aos 24 minutos, Recoba cobrou falta da esquerda, Damonte desviou, dentro da pequena área, e Carranza fez outra bela defesa.

Com 34 minutos, o arqueiro argentino salvou os peruanos outra vez. De novo uma linda jogada de Recoba, agora pela esquerda, e o uruguaio cruzou direto para o gol, mas Carranza, atento, desviou para escanteio. No último minuto do tempo regulamentar, o meia cobrou falta com perfeição, no ângulo, mas Carranza operou outro milagre para mandar a partida para os pênaltis.

Os pênaltis

Herói dos 90 minutos, Carranza não precisou aparecer na disputa de penalidades. Na primeira cobrança, Fabio Ramos converteu e abriu o placar para o Garcilaso. Recoba, o grande nome do Nacional na partida, foi para a cobrança e isolou a bola por cima do gol. Victor Ferreira bateu na trave, mas a bola pegou nas costas de Bava e entrou. Romero diminuiu para o Nacional. Vildoso recolocou a vantagem do Garcilaso em dois gols. Arismendi, protagonista do gol, copiou Recoba e mandou a bola por cima do travessão e praticamente tirou o Nacional da competição. Bastava a Gamarra converter a sua cobrança, o que fez com muita categoria e classificou o Garcilaso para as quartas-de-final.

VAVEL Logo