Real Madrid x Atlético de Madrid: Fim do tabu ou a sina continua?
O derby decide a Copa do Rey pela quinta vez na história

Nesta sexta feira (17), Atlético de Madrid e Real Madrid decidem a Copa do Rey no estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, Espanha. No meio dessa história toda está o tabu de 14 anos sem vitórias rojiblancas sobre o rival de Chamartín. Além disso, nas últimas 3 finais de Copa do Rey em que o Atlético chegou, ele saiu derrotado.

A última final disputada entre os rivais também foi na casa do Madrid, em 1992. Naquela ocasião o Atlético se sagrou campeão com gols de Schuster e Futre. Curiosamente os únicos números favoráveis aos rojiblancos no confronto são justamente o de finais de Copa do Rey, o Atléti venceu 3, contra apenas 1 conquista dos merengues.

O caminho do Madrid

O Real Madrid iniciou sua trajetória na competição contra o Alcoyano e fecharam o confronto em um placar agregado de 7 a 1. Nas oitavas encararam o Celta de Vigo e após uma derrota na Galícia por 2 a 1, venceram em casa por 4 a 0 com um hat trick de Ronaldo. Na fase seguinte o desafio era o Valencia, os comandados de Mourinho fecharam a eliminatória em 3 a 1. Na semifinal novamente o clássico contra o Barcelona, após um empate por 1 a 1 em Madrid, os blancos deram uma aula de contragolpes e venceram por 3 a 1 com uma autoridade espantosa, carimbando assim sua vaga na final. São 8 partidas, 5 vitórias, 2 empates e 1 derrota. 19 gols a favor e 6 gols contra.

A trajetória do Atléti

O Atlético teve um início mais fácil, jogando contra equipes menores e sem sofrer gols até as quartas de final. Iniciou contra o Real Jaén, com um resultado agregado de 4 a 0. Nas oitavas de final teve pela frente o Getafe e garantiu logo no primeiro jogo com um 3 a 0, na segunda partida um empate de 0 a 0. Nas quartas o Atléti recebeu o Bétis no Vicente Calderón e venceu por 2 a 0, em Sevilla empate por 1 a 1. Já nas semifinais parada dura contra o Sevilla em uma eliminatória violenta, vitória por 2 a 1 em Madrid e empate por 2 a 2 na Andaluzia garantiram os colchoneros na final. Campanha invicta com 8 jogos, 5 vitórias e 3 empates. 14 gols a favor e apenas 4 gols sofridos.

Artilharia em jogo

Destaque dos índios na competição é o brasileiro Diego Costa, artilheiro da Copa do Rey com 7 gols. Nas partidas contra Bétis e Sevilla foi imprescindível para que o Atléti saísse com a vaga na mão. Já o Madrid conta com o sempre perigoso Cristiano Ronaldo, vice artilheiro com 6 tentos e carrasco dos colchoneros.

Rivais se conhecem bem

A zona onde tudo acontece no ataque dos blancos é justamente onde Ronaldo joga, a parte esquerda de ataque é praticamente mortal. Ainda mais tendo em conta que o lateral direito do Atlético é Juanfran, que só passou a jogar por ali após a chegada de Simeone. Mario Suárez e Miranda devem ajudar bastante na contenção de jogadas por aquele lado. Em contrapartida o Atlético está atento que obrigar o Madrid a sair pela direita é interessante, afinal Mourinho irá contar com Albiol e Arbeloa, com certeza a zona mais fraca dos merengues, com Arda Turan marcando Modric as coisas podem complicar um pouco.

Todos sabemos que Xabi Alonso é o cérebro da equipe, deixá-lo jogar é um grande erro e que poucos sobrevivem para contar. O Atlético prepara uma pressão em todas as linhas do jogo, para tentar retomar a bola no campo de ataque, impedindo assim os lançamentos e viradas de jogo característicos do camisa 14. A bola parada do Atlético é algo que o Madrid deve estar de olho, afinal, o Atléti conta com o canterano Koke, que soma 10 assistências na temporada. Grande parte delas em jogadas ensaiadas de bola parada.

No último jogo entre os rivais o Madrid foi a campo com a trinca Pepe, Khedira e Kaká. Um meio mais combativo e durão. Agora a escalação com Alonso, Modric e Ozil indica que eles vão querer a posse de bola e sabem como poucos transformá-la em oportunidades de gol. Simeone gosta de trabalhar a falta da posse, prefere o contra ataque. Nos 4 a 1 contra o Chelsea pela Supercopa, teve cerca de 40% da posse de bola.

Final em tom de despedida?

Pode ser o último jogo para dois protagonistas. Por um lado José Mourinho é assediado por vários clubes e a cada dia aparecem mais boatos sobre sua saída. Radamel Falcão García também pode deixar Madrid, falou-se muito sobre o Chelsea, mas agora quem aparece forte na jogada é o Mônaco. Oportunidade para marcar seus nomes na história do derby.

Ronaldo: “Somos o melhor clube do mundo.”

Cristiano Ronaldo em entrevista disse: “Se jogarmos como sabemos, iremos ganhar. O fato de o Bernabéu estar dividido não nos tira a motivação de ganhar.” Além disso, também comentou como chega para a partida: “Encaro como uma a mais, mas com uma grande responsabilidade. Na minha cabeça encaro todas as partidas de forma igual, mas esta é uma final. É uma partida especial, mas minha ambição é sempre a mesma, entrar em campo e ajudar o Real Madrid.”

Godín: “Mais vontade do que nós, garanto que ninguém tem”

Já o zagueiro uruguaio do Atlético, Diego Godín,deixa claro que o tabu fica fora de campo: “Não olhamos para trás. É claro que os anos que nós não ganhamos são estatísticas, mas somos um plantel diferente, estamos em um bom momento e temos a vontade de ganhar, assim como o Madrid.“

Prováveis escalações:

VAVEL Logo