Tony Pulis deixa o comando do Stoke após sete anos

O Stoke City anunciou nesta terça-feira (21) a saída do técnico Tony Pulis após uma reunião com o chairman Peter Coates. O galês de 55 anos deixa os Potters após sete anos no comando, ou seja, desde 2006. Pulis já havia comandado o Stoke de 2002 a 2005.

Os Potters haviam começado a temporada de forma empolgante, ficando a quatro pontos do G-4 em primeiro de dezembro do ano passado. Entretanto, nas 23 partidas subsequentes, a equipe venceu apenas quatro e acumulou onze derrotas. O fraco desempenho na reta final frustrou a torcida, que viu o clube próximo da luta contra o rebaixamento. O estilo de jogo do Stoke - físico e baseado em jogadas aéreas - também foi duramente criticado durante a "Era Pulis", muitas vezes comparado com o time de rugby.

Porém, desde que chegou à Premier League em 2008/09, o Stoke de Pulis nunca terminou o campeonato em uma posição inferior à décima quarta e em 2011, alcançou a final da Copa da Inglaterra, a qual perdeu para o Manchester City. O vice na Copa classificou os Potters para a Liga Europa, na qual chegaram na fase de 16-avos de final, sendo eliminados pelo Valencia.

A escolha de David Moyes para comandar o United e agora a saída de Pulis do Stoke deixam Alan Pardew, do Newcastle United, como o segundo técnico - o primeiro é Arsène Wenger, do Arsenal - a mais tempo a frente de um clube na Premier League - está há dois anos e meio no cargo.