Santa Fe vence o Real Garcilaso no Peru e está perto das semi-finais da Libertadores

O Independiente Santa Fe sai na frente no primeiro confronto das quartas-de-final da Libertadores da América. A vitória por 3 a 1 sobre o Real Garcilaso, em Cusco, no Peru, deixa o time colombiano com um pé e meio nas semi-finais da Copa. No jogo de volta, na próxima terça-feira (28), em Bogotá, Los Cardenales poderão perder por um gol de diferença (ou 2 a 0, na única derrota por 2 gols que serve - 3 a 1 leva para os pênaltis, e de 4 a 2 em diante classifica o time peruano) que estarão classificados para enfrentar Olimpia ou Fluminense.

O Real Garcilaso mudou sua postura em relação aos jogos da fase de grupos e das oitavas-de-final, quando eliminou o gigante Nacional, do Uruguai. Ao invés de esperar o Santa Fe, seu conhecido do grupo 6 desta Copa (havia perdido por 2 a 0 na Colômbia e empatado em 1 a 1 em casa), resolveu atacar e não se deu bem. Quer dizer, não se deu bem em partes, pois começou o jogo criando muito perigo para o gol de Vargas.

Na primeira chance, Ferreira chutou em cima de Vargas e cabeceou à direita. Logo depois, Montes recebeu na direita e chutou na trave. Chances plausíveis de gol desperdiçadas pelos mandantes, e isto não iria ficar impune. Com 19 minutos da primeira etapa, García combinou com Omar Pérez, foi à linha de fundo, cruzou rasteiro e o zagueiro Francisco Meza, como um centroavante, mandou de pé esquerdo, abrindo o marcador.

Na sequência, aos 22 minutos, um passe despretensioso de Anchico contou com um cochilo enorme da defesa do Garcilaso e foi parar nos pés de Cuero, que chegou antes do zagueiro, invadiu a área e deu um belíssimo toque de calcanhar para Medina, que mandou por cobertura, marcando um golaço. O Santa Fe abria 2 a 0 e obtinha uma vantagem gigantesca. Dois minutos depois do gol, o Real Garcilaso teve um pênalti a seu favor, em toque de mão de Anchico, bloqueando voleio de Ramos.

É, mas o próprio Ramos tratou de isolar a penalidade máxima, murchando a torcida na cancha cuzqueña. La Máquina Celeste chegaria com perigo mais algumas vezes, com Montes e Bogado, que obrigaram Vargas a fazer ótimas defesas, com Montes novamente, no mesmo lance de Bogado, mandando no poste, e finalmente com Santillán, que recebeu sozinho e mandou à direita do gol. Medina também teve sua chance para ampliar para o Santa Fe, mas perdeu frente a frente com Carranza.

A etapa complementar também foi movimentadíssima. Logo aos 8 minutos, Cuero se aproveitou de um corte muito mal feito de Bogado, que já havia falhado no 2º gol, e jogou para o gol vazio para decretar o 3 a 0 no placar. Dez minutos depois, Alfredo Ramúa, que havia entrado 5 minutos antes, mandou um canhão da intermediária, no ângulo de Camilo Vargas e diminuiu o prejuízo para o Real Garcilaso.

Após o gol de honra dos peruanos, o que se viu foi um show de chances desperdiçadas, principalmente pelo Expreso Rojo. Antes mesmo do gol de Ramúa, o Santa Fe havia perdido 2 gols quase feitos. O jogo virou um ataque contra defesa muito interessante, o que valorizou - e muito! - o confronto entre 2 zebras desta Libertadores. Uma delas, o Santa Fe, está quase na semi-finais, e com justiça, afinal, foi o time com a 2ª melhor campanha da fase de grupos.

VAVEL Logo