Balotelli e Pirlo brilham, e Itália bate México no Maracanã

No Maracanã lotado, a Itália fez seu papel e bateu o México por 2 a 1, conquistando seus três primeiros pontos na Copa das Confederações. Dominando a partida, a Azzurra sofreu, mas conseguiu a vitória com gols de Pirlo e Balotelli, enquanto Hernandez descontou para os mexicanos.

As principais ações italianas passavam pelos pés de Baloteli. Foi assim aos quatro minutos, quando o camisa nove bateu da intermediária, tentando encobrir o goleiro, e aos seis, quando SuperMario aproveitou boa jogada de Montolivo pela esquerda e finalizou, do meio da área, para boa defesa do arqueiro Corona. A Itália dominava, e, com dez minutos, já havia levado perigo ao gol mexicano pelo menos quatro vezes.

Na primeira vez que chegou ao ataque, o México teve a melhor chance: Giovani dos Santos roubou bola de Abate na direita, e rolou para Guardado. O meia bateu forte, e a bola bateu no travessão de Buffon. 

Aos 16, grande jogada de Giaccherini pela esquerda, que tocou para Pirlo dentro da área. O camisa 21 cortou o zagueiro e foi derrubado, mas o árbitro Enrique Osses, muito perto do lance, nada marcou. A "vingança" do meio-campista viria dez minutos depois. Balotelli sofreu falta, e Pirlo, com a perna direita, bateu direto pro gol, abrindo o placar e marcando seu sexto gol de falta na temporada. Primeiro gol da Itália, na centésima partida de Andrea Pirlo com a camisa da Azzurra.

O México acordou, e começou a ir mais ao ataque. O empate veio aos 33 minutos: Barzagli bobeou e perdeu a bola para Giovani dos Santos. Dentro da área, derrubou o camisa dez mexicano. Pênalti, que Javier Hernández bateu com perfeição, anotando um a um no placar.

Daí até o fim do primeiro tempo, o jogo esfriou. A única exceção foi uma linda bola de Pirlo para Abate, que cruzou procurando Balotelli, mas o goleiro Corona antecipou e terminou a jogada. A primeira etapa chegou ao fim com um domínio italiano, mas em igualdade no placar. 

A primeira chance da Itália foi justamente em cobrança de falta de Pirlo. O meia bateu por baixo da barreira, e, após o desvio, Montolivo bateu para o gol, mas, desequilibrado, não acertou a bola em cheio, e Corona defendeu. O jogo seguiu com algumas jogadas de perigo, mas principalmente com as duas equipes reclamando de pênaltis não marcados pelo juiz.

Com um ataque pouco efetivo pelo lado direito, o treinador Cesare Prandelli colocou o atacante Cerci em campo, no lugar de Marchisio, que nem de longe lembrou suas atuações pela Juventus.  A alteração melhorou o setor, que passou a criar as principais chances da Azzurra

Ainda dominando a partida, a Itália chegou ao empate aos 78 minutos. Bola alçada na intermediária, Giaccherini desviou para a área: Balotelli, no corpo, ganhou da zaga mexicana e bateu por baixo do goleiro Corona para colocar a Squaddra a frente do marcador. Na comemoração, o atacante tirou a camisa e recebeu o cartão amarelo. 

Faltando cinco minutos para o fim da partida, Prandelli promoveu a entrada de Gilardino no lugar de SuperMario. O atacante do Milan foi aplaudido por todo o Maracaña enquanto deixava o campo. No fim, vitória da Azzura, que confirmou o favoritismo.

VAVEL Logo