Sob o signo do mistério, Uruguai joga sua vida contra a Nigéria

Mudar para seguir sonhando. Este é o Uruguai que se prepara para enfrentar a Nigéria nessa quinta-feira (20), às 19h, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O jogo será chave para definir um dos classificados do Grupo 2 da Copa das Confederações, uma vez que parece improvável que a Espanha não dispare na rodada, quando enfrenta o Taiti, goleado por 6 a 1 no jogo de estreia contra as Super Águias. A estreia uruguaia foi decepcionante; nem tanto pelo resultado – perdeu para a Espanha por 2 a 1 –, mais pela postura extremamente cautelosa da equipe em campo. O espírito agressivo é o que o maestro Óscar Tabárez quer que o time tenha nesta decisão. Sim, estamos no segundo jogo, mas podemos considerar este Nigéria e Uruguai a primeira decisão de fato do torneio.

Para não acordar do sonho – ou para que ele não se torne um pesadelo

A retranca armada para enfrentar a atual campeã mundial deixou a opinião pública uruguaia bastante descontente. Todos consentiram que a Celeste deveria ter sido mais agressiva contra a Fúria, inclusive o grupo de jogadores, que prometem uma postura diferente daquela do último domingo. Aliás, o time que assombrou o mundo há exatos 3 anos (entre os dias 11 e 22 de junho de 2010 bateu África do Sul e México e terminou como líder do Grupo A – que também tinha a poderosa França) tinha como sua principal característica a intensidade, tanto defensiva quanto ofensiva. O mesmo estilo conquistaria a América no ano seguinte. Isto Tabárez quer que a equipe mostre contra a Nigéria, e não aquele time descompactado que, apesar de defensivo em demasia, deu muitos espaços a Espanha e não conseguia sair para o ataque.

Enquanto mais se tenta, menos se treina

Os dias de preparação foram novamente complicados, a exemplo da chegada do selecionado uruguaio em solo brasileiro. Se em Pernambuco a situação foi caótica, sem que a delegação conseguisse treinar com bola, devido às fortes chuvas, na Bahia não foi muito diferente. Muita chuva no Nordeste brasileiro como um todo, e em Salvador o Barradão ficou sem condições para um treinamento mais elaborado, com o seu gramado completamente inundado. Os jogadores foram a campo apenas na tarde da terça-feira (18), ao contrário da programação que previa treino no turno da manhã. A imprensa pode acompanhar os primeiros 15 minutos da atividade, que davam conta das entradas de Lodeiro e Forlán no time titular, com a manutenção do 4-4-2.

No dia seguinte, nem a “espiadinha” de 15 minutos foi permitida por Tabárez e sua comissão. O treinamento já foi mais elaborado, inclusive sendo ensaiada uma mudança de esquema tático, saindo do 4-4-2 da estreia, para um 3-4-1-2 – a propósito, a mesma formação da Copa da África do Sul. Falando em nomes, o técnico trocaria 3 peças na equipe, com as saídas de Gargano, Ramírez e Diego Pérez para as entradas de Tata González, Forlán e Arévalo Ríos. Na prancheta de Tabárez, a ideia é deslocar Cristian Rodríguez para a ala-esquerda, fixar Maxi Pereira na direita, deixar Arévalo e González como doble cinco e soltar Forlán, para se aproximar da dupla de ataque. Martín Cáceres deixaria a lateral-direita e formaria linha de três zagueiros com Lugano e Godín, com o defensor do Málaga jogando na sobra. No entanto, nada disto foi confirmado pelo treinador.

Conhecer o palco antes é supérfluo

Ao menos é o que parece. O time uruguaio não fez o reconhecimento do gramado da Arena Fonte Nova, a exemplo do que havia feito na estreia, quando não visitou a Arena Pernambuco antes do jogo contra a Espanha. A alegação da comissão técnica foi poder dar um pouco mais de descanso aos jogadores, o que não seria possível indo a campo, até porque o tempo de deslocamento do resort onde a delegação está hospedada até a Fonte Nova, contando ida e volta, levaria cerca de 3 horas, para um período de 15 minutos dentro de campo.

¿Lo que se habla en Uruguay?

A imprensa uruguaia destacou nesta quarta-feira o fato da Celeste jogar novamente com seu uniforme alternativo, com camisas, calções e meias brancas, como na foto de capa desta matéria. A Puma, fabricante do material esportivo do Uruguai, desenvolveu uma camisa especial para a disputa da Copa das Confederações, a qual terá seu debut contra o Taiti, na última rodada. Também são destaques a centésima partida de Diego Forlán pela seleção uruguaia, e a disputa gol a gol entre o próprio Forlán e Luis Suárez pela artilharia histórica da Celeste – hoje empatados com 33 gols (em 99 partidas de Forlán e 65 de Luisito).

VAVEL Logo