Espanha volta ao Maracanã para enfrentar o Taiti

Após 63 anos, a Seleção Espanhola voltará ao Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, onde enfrenta, nesta quinta-feira (20), o Taiti pela segunda rodada do Grupo B da Copa das Confederações. Em 1950, os espanhóis saíram derrotados por 6 a 1 no confronto diante da Seleção Brasileira, na Copa do Mundo daquele ano. Nesta quinta, o que se espera é um goleada da roja, que segundo o técnico Vicente Del Bosque, não será a mesma que venceu o Uruguai por 2 a 1 na estreia.

“Uma das mudanças vai ser no gol. (...) E teremos mudanças também no restante da equipe”, disse, na coletiva de imprensa realizada ontem no Maracanã. “Temos 23 jogadores, e não há tanta diferença entre eles”, completou.

Iniesta, melhor em campo segundo a FIFA na partida diante do Uruguai, seguiu a mesma linha do comandante. “Todos nos sentimos titulares, não há titulares e reservas. Cada um tem nível muito alto para jogar, independente dos nomes”.

O astro do Barcelona também comentou sobre o favoritismo da fúria. “Nós ganhamos nos últimos anos o direito de nos sentirmos importantes, favoritos. (...) Conquistamos isso com títulos, que no fim é algo importante para que a gente acredite que no que está fazendo. Tentaremos nesta Copa e na próxima conseguir manter esse nível”.

Sobre uma possível goleada histórica, técnico e jogador seguiram praticamente o mesmo caminho. “Vamos primeiro tentar, e depois fazer quantos gols forem possíveis. Acho que assim demonstraríamos respeito", disse Del Bosque. “Não pensamos em quantos gols vamos fazer, vamos jogar com o máximo de respeito possível, com a finalidade de crescer no torneio. Não pensamos se vamos meter mais ou menos gols”, explicou Iniesta.

Maiores goleadas

A maior goleada da história da Copa das Confederações aconteceu no dia 01 de agosto de 1999, quando o Brasil venceu a Arábia Saudita por 8 a 2 na semifinal da competição – que acabou sendo conquistada pelo anfitrião, México. Já a maior goleada da história da Seleção Espanhola aconteceu em 1933, em um amistoso diante da Bulgária; 13 a 0.

Maiores artilheiros em uma única partida

Sete jogadores espanhóis já conseguiram a façanha de marcar 4 vezes em uma partida pela seleção, foram eles: Raúl – o último, em 1999 contra a Áustria -, Rubio, Zarra, Tejada, Rincón, Santillana e Butragueño – este, duas vezes. Langara, em 1934, marcou 5 vezes diante da Seleção Portuguesa, mas o recordista segue sendo Chacho, autor de 6 dos 13 gols diante da Bulgária – citada acima.

Provável escalação e curiosidades

Valdés; Azpilicueta, Sergio Ramos, Albiol e Monreal; Javi Martínez, Cazorla, David Silva e Juan Mata; Fernando Torres e David Villa. Este deve ser o time da Espanha para a partida de logo mais - a VAVEL BRASIL acompanhará, minuto a minuto, todos os detalhes do confronto que começa às 16h – Brasília.

Azpilicueta esteve na vitória da Espanha sub-20 sobre o Taiti, por 8 a 0, no Mundial de 2009, no Egito – Alba, que é titular mas deve ficar no banco, também atuou na ocasião;

Sergio Ramos, único titular que deve ser mantido na equipe, pode chegar à marca de 105 jogos a serviço da Seleção Espanhola, ficando a apenas 2 de Xabi Alonso, o quarto do ranking – liderado por Casillas, com 146 partidas disputadas;

Torres, outro provável titular, assim como David Villa – maior artilheiro da história da Espanha com 53 gols em 89 jogos -, completará 103 jogos e passará Raúl (6º) se atuar.

VAVEL Logo