Noruega suporta pressão no fim e vence a Holanda pela Euro feminina

Noruega suporta pressão no fim e vence a Holanda pela Euro feminina

Norueguesas dependem só de si para se classificar; Apesar de depender de combinações, classificação das holandesas não é improvável (Foto: Reprodução/Sportsfile)

thiago-ienco
Thiago Ienco
NoruegaHjelmseth; Mjelde, Ronning, Christensen, Akerhaugen; Gulbrandsen (Dekkerhus, min. 72), Isaksen, Stensland; Hansen (Thorsnes, min. 79), Hegerberg (Bjanesoy, min. 72) e Hegland
HolandaGeurts; Bito, Koster, Hoogendijk, van den Heiligenberg (Worm, min. 60); Slegers, Spitse (Dekker, min. 86); van de Ven, van de Donk (Veerstegt, min. 77), Martens; Melis
Placar1-0, min. 54, Gulbrandsen.
ÁRBITROTeodora Albon (Romênia)
INCIDENCIASEuro Feminina - Suécia 2013 - Kalmar

A Noruega suportou uma grande pressão da Holanda nos últimos minutos da partida em Kalmar, mas diferente do confronto com a Islândia, conseguiu assegurar a vitória por 1 a 0 neste domingo (14) pela Euro feminina na Suécia. Com quatro pontos, as escandinavas lideram - provisoriamente - o grupo B com quatro pontos. A liderança é provisória porque Alemanha e Islândia, ambas com um ponto, se enfrentam ainda neste domingo, em Vaxjo.

A Holanda também tem um ponto. Na próxima rodada, a Noruega enfrenta a Alemanha em Vaxjo, no que deve ser a briga pelo primeiro lugar da chave. Em Kalmar, as holandesas precisarão de uma boa vitória sobre a Islândia para seguir com chances de classificação, seja pela segunda colocação ou como as duas melhores terceiras colocadas.

O primeiro tempo foi morno. Com ambas não dispostas a riscos, poucas oportunidades de gol foram criadas, especialmente porque último passe estava prejudicado diante do bom posicionamento das defesas. A única boa chance saiu dos pés da lateral-direita holandesa Dyanne Bito, que recebeu de Manon Melis na direita e bateu cruzado, com a bola saindo à direita do gol de Ingrid Hjelmseth.

Já na segunda etapa, a Noruega conseguiu explorar a péssima cobertura das volantes Renée Slegers e Sherida Spitse e infernizou a defesa holandesa tanto pelos lados, com as pontas Caroline Graham Hansen e Kristine Hegland, quanto pelo avanço das três meias. Pela esquerda da defesa holandesa, Hansen passeou sobre Claudia van den Heiligenberg.

E saiu dos pés de Hansen o cruzamento para a zagueira Marit Christansen cabecear a bola na trave direita de Loes Geurts. Era o primeiro sinal da imposição norueguesa, que surtiu efeito três minutos depois. Solveig Gulbrandsen avançou com liberdade pelo meio, passou pela volante Spitse facilmente e na aproximação da zagueira Anouk Hoogendijk, finalizou forte, no ângulo esquerdo de Geurts. Pouco depois, Hansen quase acertou o alvo em boa jogada pela direita.

Para tentar conter o show de Hansen, o técnico Roger Reijners tirou van den Heiligenberg para colocar Siri Worm. Ainda que sem anular Hansen, Worm conseguiu equilibrar as coisas na defesa e pouco a pouco, a Noruega foi dimunuindo o ritmo, já satisfeita com o resultado. Isso recolocou a Holanda no jogo, que passou a armar uma pressão.

O primeiro indício foi a difícil defesa de Hjelmseth no chute desviado de Slegers. Depois, uma bola de Hoogendijk cabeceada no travessão confirmou a pressão, que aumentou já próxima do intervalo. Até a zagueira Daphne Koster estava entre as ataques, mas pecando no último passe, a Holanda ficava com a bola no campo de ataque, mas não finalizava com perigo. Hjelmseth trabalhou bem novamente no chute de Kristen van de Ven, mas não teria chegado na bola chutada por Slegers de fora da área, passando próxima da trave esquerda e confirmando-se como a última chance holandesa no jogo.

A Euro feminina segue na segunda-feira com a segunda rodada dos jogos do grupo C - em Linkoping, a Inglaterra encara a Rússia enquanto em Norrkoping, a Espanha enfrenta a França.

VAVEL Logo