Kevin Grosskreutz, o talismã multifuncional do Borussia Dortmund
Grosskreutz tenta, sem sucesso, defender um pênalti contra o Hoffenheim. (Foto: Divulgação/Borussia Dortmund)

Kevin Grosskreutz, nascido no dia 19 de julho de 1988 na cidade de Dortmund, é, sem sombra de dúvidas, um verdadeiro talismã do Borussia Dortmund. Com seu time passando por momentos bons ou ruins, o jogador está sempre a disposição para ajudar Jürgen Klopp no que for preciso. A VAVEL Brasil separou para você alguns detalhes da carreira do jogador.

Começando a praticar futebol aos quatro anos de idade, pelo VfL Kemminghausen, chegou a passar por diversas escolas de futebol aos arredores da cidade, chegou às categorias de base do Borussia Dortmund no ano de 2002. Como todo morador da cidade, é torcedor do clube e costumava acompanhar a todos os jogos na Südtribüne, setor do Westfalenstadion onde se forma a conhecida Muralha Amarela. Desde as categorias de base, Grosskreutz sempre se mostrou um dos torcedores mais fanáticos pelo clube, tal fato também acontece durante sua carreira de jogador.

Grosskreutz foi dispensado das categorias de base do BVB em 2002, durante a época da crise financeira que atingiu o clube. Passou a defender o Rot Weiss Ahlen e em 2006 fez sua estreia na Regionalliga Nord (4ª divisão do futebol da Alemanha) pela equipe sub-23 do clube. Em sua temporada de estreia, disputou 27 partidas e marcou cinco gols. Na temporada de 2007-2008, disputou 36 jogos e marcou 12 gols. Tal desempenho fez com que fosse escolhido para o Time do Ano da revista Kicker. Na temporada seguinte (2008-2009), fez parte do time principal do Rot Weiss Ahlen, que disputou a 2.Bundesliga após rebaixamento. Nesse ano disputou 34 jogos e marcou sete gols.

Chegada ao Borussia Dortmund

Em 24 de janeiro de 2009, Grosskreutz assinou contrato de três anos com o Borussia Dortmund para fazer parte do projeto de reconstrução comandado dentro de campo por Jürgen Klopp. Então, o torcedor de arquibancada voltava à sua cidade e realizava o sonho da maioria das pessoas que jogam futebol têm: o de jogar pelo coração. Kevin passou a ser o meia-esquerdo no esquema 4-2-3-1 utilizado por Jürgen Klopp, mesma posição em que atuava pelo Rot Weiss Ahlen, apesar de este time apresentasse formação tática diferente dos aurinegros. Já em sua temporada de estreia, mostrou destaque no jovem time, jogando 33 partidas e marcando cinco gols e ajudando o Borussia Dortmund a terminar na 6ª colocação da 1.Bundesliga. Seu primeiro gol pelo BVB foi marcado no dia 5 de dezembro de 2009, em jogo contra o Nuremberg.

Iniciava então a melhor temporada de sua carreira, 2010-2011. O Borussia Dortmund encaixou uma sequência de vitórias e Grosskreutz, apesar de não ser o mais habilidoso em um time que contava com jovens talentos, passava a ser idolatrado pela torcida aurinegra por sua vontade em campo, além do fato de também ser torcedor do clube. Era como se as vibrantes arquibancadas do Westfalenstadion enxergassem no jogador o reflexo de tamanha paixão pelo clube dentro de campo. Recebeu sua primeira convocação para a seleção alemã no dia 13 de maio de 2010, entrou em campo aos 57 minutos de um jogo contra Malta e em seu primeiro toque na bola, deu uma assistência para o gol do atacante Cacau, vitória de 3 a 0 para a equipe da Alemanha.

Com o andamento da temporada 2010-2011, com o BVB disputando a 1.Bundesliga, DFB-Pokal e UEFA Europa League, Grosskreutz começou a atuar em alguns jogos deslocado de sua posição original, e começando a aparecer pelas faixas central e direita do meio de campo. Devido às suas boas atuações pelo clube aurinegro, voltou a disputar partida com a seleção Alemã sub-21 no dia 11 de agosto de 2010 contra a Islândia, marcando seu único com a seleção e no dia 18 de novembro de 2011, fez seu único jogo como titular pela equipe principal contra a Suécia.

Seus principais jogos até então com o Borussia Dortmund foram contra o St. Pauli no Millerntor-Stadion e na BayArena contra o Bayer Leverkusen. Em ambas as ocasiões, Grosskreutz marcou dois gols e deu uma assistência, fatos que renderam suas duas premiações de “Homem do Jogo” disputando a 1.Bundesliga. Ao final da temporada, Grosskreutz disputou 43 partidas e marcou nove gols. O Borussia Dortmund foi campeão da 1.Bundesliga, conquistando seu 4º título, o primeiro desde 2002. Durante a competição, o jogador fez uma promessa de que rasparia seu cabelo caso o clube fosse campeão, e tal foi cumprida durante a festa do título em Dortmund.

Na temporada 2011-2012, o Borussia Dortmund voltava a disputar a UEFA Champions League depois de anos de ausência, e em jogo realizado em casa contra o Olympiacos, Grosskreutz marcou seu primeiro gol em competições europeias. Com o decorrer da temporada, ele foi utilizado como atacante algumas vezes em substituição a Robert Lewandowski, já que o outro atacante do clube na época, o paraguaio Lucas Barrios, estava lesionado. O BVB novamente conquistou o título da 1.Bundesliga junto ao título da DFB-Pokal, sendo pela primeira vez na história o clube ter vencido as duas competições em uma mesma temporada e estabelecendo uma sequência de cinco vitórias seguidas contra o Bayern de Munique e de quatro vitórias contra o seu maior rival, o Schalke 04.

Versatilidade, seu principal talento

Até então, Kevin Grosskreutz já havia atuado em todas as posições de campo na parte ofensiva do esquema de Klopp. Na temporada de 2012-2013, com a chegada de Marco Reus, suas atuações como titular da equipe começaram a diminuir. Mesmo assim, sua importância dentro do elenco não diminuiu, tendo em vista que conforme aumentavam o nível das partidas disputadas pela equipe de Dortmund, mais lesões ocorriam. Sua primeira partida atuando em uma posição defensiva foi durante o Revierderby realizado no Westfalenstadion nessa temporada. Grosskreutz atuou como lateral-esquerdo e sua equipe foi derrotada por 2 a 1.

Com o decorrer da temporada, o time do Borussia Dortmund encantava os olhos do mundo com sua excelente campanha na UEFA Champions League, terminando na 1ª posição do Grupo D, junto com Real Madrid, Ajax e Manchester City. O BVB não foi capaz de atuar no mesmo nível nos jogos da 1.Bundesliga, perdendo o título para o Bayern de Munique por uma diferença de 25 pontos. Durante jogos da temporada, Grosskreutz chegou a jogar na posição de volante e lateral-direito, tendo atuado como meia-esquerdo apenas em algumas ocasiões.

O Borussia Dortmund estava classificado à final da UEFA Champions League, em que enfrentaria seu concorrente por títulos na Alemanha nos últimos anos, o Bayern de Munique. Apesar da sofrida derrota após uma memorável campanha, Grosskreutz fez um bom jogo em sua posição original, uma de suas melhores exibições sob o aspecto técnico. Na rodada 34 da 1.Bundesliga nessa temporada, uma semana antes da final da UEFA Champions League em Wembley, aconteceu o fato mais inusitado da carreira do jogador.

O goleiro Roman Weidenfeller havia cometido um pênalti aos 81 minutos de jogo contra o Hoffenheim, ocasionando sua expulsão, como o técnico Jürgen Klopp já havia feito as três substituições, não era possível colocar em campo o goleiro Mitchell Langerak. Lá então foi Grosskreutz, vestiu o uniforme de seu companheiro expulso de campo, calçou as luvas e se posicionou no meio da meta. Ele não conseguiu defender o pênalti e o Borussia Dortmund foi derrotado por um placar de 2:1.

Nesta temporada, de 2013-2014, Grosskreutz começou atuando como lateral-direito, devido a lesão de seu companheiro titular da posição, Lucasz Piszczek. E como o problema das lesões se abateu de forma absurda sob a equipe de Dortmund, Kevin também atuou como zagueiro. Tamanhos problemas com os jogadores fizeram com que o rendimento da equipe caísse como um todo, e o time passou a sofrer derrotas mesmo em sua casa.

No dia 11 de dezembro de 2013, Grosskreutz atuando de zagueiro, marcou o gol da classificação do Borussia Dortmund às oitavas de final da UEFA ChampionsLeague. Mesmo escorregando e caindo no gramado, o jogador multi-funcional conseguiu fazer com que a bola ultrapassasse o goleiro do Olympique Marseille, Steve Mandanda, livrando a equipe de uma eliminação precoce.

Grosskreutz, ao todo, atuou nas 11 posições de um time de futebol, sendo como titular ou deslocado durante as circunstâncias de jogo. Sua vontade de estar em campo pelo clube do coração nunca o fez reclamar de ser constantemente improvisado. Certamente se não fosse pela versatilidade desse jogador, Jürgen Klopp teria muitos problemas em escalar o time titular, tendo em vista que o Borussia Dortmund, clube recém-saído de uma grave financeira, não tem caixa disponível para bancar muitas contratações por temporada com a finalidade de melhorar o elenco.

Não é exatamente um jogador brilhante ou habilidoso, mas a devoção pela camisa e a vontade de estar em campo fazem com que Kevin Grosskreutz seja uma das principais alternativas do Borussia Dortmund nessa temporada em que o clube tem que lidar com inúmeras lesões de seus atletas.

VAVEL Logo