No primeiro jogo da Libertadores, Oriente Petrolero vence e complica Nacional
Time boliviano largou na frente

As más línguas podem usar o termo de “Pré-Libertadores”, porém, a competição mais charmosa da América, de fato, já começou. Oriente Petrolero, da Bolívia, e Nacional do Uruguai protagonizaram o primeiro embate do torneio, em Santa Cruz de La Sierra. Na partida válida pelo jogo de ida, a equipe boliviana saiu vitoriosa por 1 a 0, com gol único marcado por Mojica, ainda na primeira etapa.

Na próxima terça-feira (4), as duas equipes se reencontram em Montevidéu. Se o Petrolero vencer se classifica e qualquer empate é favorável aos bolivianos; Os tricolores precisarão vencer por 2 a 0 ou de uma vitória simples para levar a decisão às penalidades.

Oriente Petrolero domina as ações na etapa inicial

Com a bola rolando, os donos da casa partiram para cima, e assustaram bastante nos minutos iniciais. Após uma falha bisonha de De Los Santos, o Oriente Petrolero perdeu uma chance claríssima, aos 13. O Nacional se segurou e respondeu aos 19. Aos 24, por muito pouco o tricolor uruguaio não abre o placar, com o atacante Alonso, de cabeça, o goleiro Arias fez grande defesa.

O Papagaio do Oriente abriu a contagem aos 33 minutos, com Mojica. Após boa jogada, o meio-campo deslocou o arqueiro Munúa para deixar os bolivianos em vantagem. Com o tento sofrido, o time de Gerardo Pelusso foi obrigado a partir em busca de recuperar a vantagem no mata-mata. Mal sabia o treinador uruguaio que o pior ainda estava por vir.

Sem muitas opções, o Nacional se rastejou até o fim da primeira etapa na esperança que o Petrolero não agredisse tanto.  O goleiro Munúa fez grandes defesas e segurou a lentidão que beirava a má vontade, da defesa tricolor e o placar no primeiro foi de 1 a 0 para os mandantes.

Segundo tempo com pressão boliviana

A exemplo da primeira etapa, o time da casa começou partindo para ofensiva e explorando os desfalques do adversário, que fizeram muita falta para o Nacional. Logo  com 3 minutos, chance clara e perigo à defensiva tricolor.  Com 13 minutos, o atacante Marvin Bejarano saiu cara a cara com o goleiro uruguaio e perdeu um gol feito.

Depois daí, o Nacional passou a ver a iminência de uma eliminação precoce, enquanto o Petrolero buscava aumentar sua vantagem. Buscando a reação, o técnico Gerardo Pelusso colocou o maestro Recoba em busca de reforçar sua equipe.  Apesar do esforço, o tricolor uruguaio foi apático e não conseguiu reverter a vantagem.

O Oriente Petrolero, satisfeito, seguiu demonstrando seu bom futebol. Um esquema definido e um toque de bola notável. Coisa de futebol moderno. Para o jogo da volta, o Nacional precisará de muito mais que o apoio dos torcedores tricolores para prosseguir à fase de grupos da Libertadores da América.

VAVEL Logo