Costa Rica aposta em promessas para surpreender no Mundial de 2014
Mesmo receosos com os prognósticos para o Mundial, torcedores da Costa Rica devem estar satisfeitos por verem o país de volta a uma Copa do Mundo (Foto: aldia.cr)

A expectativa dos costarriquenhos acerca da Copa do Mundo de 2014 era gigantesca. Afinal de contas, o país esteve ausente da edição de 2010, jogada na África do Sul - foi eliminado pelo Uruguai na repescagem, ao ser derrotado por 2 a 1 no placar agregado -, e voltava a figurar entre as grandes seleções do futebol mundial. Entretanto, o sorteio dos grupos, realizado na Costa do Sauípe-BA em dezembro de 2013, não foi nada generoso para a Costa Rica. A Sele caiu no famigerado "grupo da morte", junto com três seleções as quais já foram campeãs mundiais: Uruguai, Itália e Inglaterra.

Mesmo com a ducha de água (muito) fria, os centro-americanos têm em quem jogar suas fichas para, ao menos, fazerem - ou tentarem fazer - uma campanha digna no Mundial. Os principais nomes da equipe, em sua maioria, atuam nos campeonatos de elite do futebol europeu e possuem considerável prestígio em seu país, sendo jogadores - alguns deles ainda jovens - com bastante rodagem.

Keylor Navas

Atualmente no Levante, da Espanha, o goleiro Keylor Navas estreou como jogador profissional em 2005, com apenas 19 anos, no Deportivo Saprissa, time que divide com a Alajuelense o posto de maior campeão do país, com 29 títulos cada. Com a camisa do Saprissa, atuou em 60 partidas e conquistou sete títulos, sendo uma edição da Liga dos Campeões da CONCACAF, maior competição interclubes da confederação à qual a Costa Rica pertence, e seis da primeira divisão local.

Em julho de 2010, foi vendido ao Albacete, que à época disputava a Liga Adelante, divisão a qual corresponde ao segundo escalão do futebol espanhol. Mesmo com o rebaixamento do clube da região de Castilla-La Mancha à Segunda Divisão B, Navas foi um dos poucos que se salvaram na equipe e, com 36 jogos disputados pelo Albacete Balompié, chamou a atenção do Levante, para o qual foi emprestado em 2011 e vendido no ano seguinte.

Pela seleção costarriquenha, Navas foi reserva da equipe que chegou às quartas-de-final do Mundial Sub-17 da Finlândia, em 2003, e foi convocado pela primeira vez ao plantel principal em 2006, conquistando o posto de titular dois anos depois. Tem, ao todo, 50 jogos com a camisa da Costa Rica e já conquistou um prêmio individual bastante importante: o de melhor goleiro da Copa Ouro da CONCACAF de 2009. Àquela ocasião, a Sele caiu nas semifinais para o campeão México, nos pênaltis.

Recentemente, o ex-jogador Alfredo Di Stéfano, um dos maiores ídolos da história do Real Madrid, afirmou que Keylor Navas era um dos melhores goleiros em atividade no mundo. No Mundial a ser jogado no Brasil, Keylor terá a duríssima missão de parar os potentes ataques de Uruguai, Itália e Inglaterra.

Júnior Díaz

Júnior Díaz defende o Mainz (Foto: n24.de)

Ora atuando como defensor, ora como meio-campista, Júnior Díaz é um dos jogadores mais experientes do selecionado costarriquenho, pelo qual já atuou em 59 jogos. Ascendeu ao profissionalismo no Herediano em 2003, aos 20 anos. Nesta mesma época, estreou pela seleção nacional, por quem marcou um gol, em 2008, num amistoso contra o Haiti em San José. No clube da cidade de Heredia, jogou 129 partidas, marcou 10 gols e conquistou um título: a Copa Centro-americana de 2005.

No ano de 2007, transferiu-se para o Wisla Cracóvia, da Polônia. Foi em Cracóvia que Díaz conquistou os títulos mais importantes da sua carreira. Ajudou o Wisla a ser campeão de três temporadas da Ekstraklasa: 2007-2008, 2008-2009 e 2010-2011. Foram 6 gols em 86 jogos pelo clube polonês. Teve uma rápida passagem pelo Club Brugge, da Bélgica, e desde 2012 está no alemão Mainz. Mesmo alternando entre os postos de titular e reserva nos alvirrubros, continua sendo convocado para a seleção de seu país.

Bryan Oviedo

Bryan Oviedo é um dos talismãs do Everton - e dúvida para o Mundial de 2014 (Foto: Sky Sports)

Um dos jogadores mais jovens do plantel dos Ticos, o lateral-esquerdo Bryan Oviedo é um dos atletas mais promissores da atual geração da Costa Rica. Com apenas 20 anos de idade, foi chamado à seleção principal pela primeira vez, depois de ter passado pelas seleções sub-17 e sub-20. Revelado pelo Deportivo Saprissa, Oviedo não demorou muito para ser vendido ao futebol europeu, graças à sua grande performance no Mundial Sub-20 do Egito em 2009.

Na competição internacional, a Costa Rica ficou numa honrosa quarta colocação. Foi terceira colocada do grupo E, atrás de Brasil e República Tcheca, e eliminou o anfitrião Egito - frente a mais de 80 mil pessoas no Estádio Internacional do Cairo - e os Emirados Árabes Unidos - com gol no último minuto da prorrogação - no mata-mata. Sucumbiu diante de Brasil e Hungria na semifinal e na decisão do terceiro lugar, respectivamente.

Em meados de 2010, Bryan se mudou para Copenhague, capital da Dinamarca, onde foi jogar no time homônimo. Um ano depois, foi emprestado ao Nordsjælland, por quem conquistou a copa nacional. Na temporada seguinte, voltou ao Copenhague e conquistou mais uma edição da DBU Pokalen. Em 2012, foi eleito um dos melhores jogadores que atuaram em território dinamarquês.

Não tardou muito e transferiu-se para o Everton, da Inglaterra. Aproveitado inicialmente como reserva, sempre entrando no decorrer das partidas, Bryan Oviedo aos poucos conquistou o posto de titular nos Toffees e ficou mundialmente conhecido por ter marcado o gol da recente vitória sobre o Manchester United em pleno Old Trafford, ajudando o seu time a quebrar um incômodo tabu de 21 anos sem vencer o United fora de casa.

Todavia, o lateral não passa por uma bom momento atualmente: sofreu uma contusão aparentemente preocupante no encontro com o Stevenage, da terceira divisão inglesa, válido pela FA Cup, em 25 de janeiro. Posteriormente, foi confirmado que o costarriquenho necessitava de uma cirurgia para corrigir uma dupla fratura na perna esquerda e sua presença na Copa de 2014 é duvidosa. Seria uma tremenda baixa para uma seleção que já não terá vida fácil no certame.

Celso Borges

Celso Borges atua no futebol da Suécia, onde é o camisa 10 do AIK Solna (Foto: Divulgação / AIK Solna)

Jogador de 25 anos, Celso Borges atua como meia central e defende o AIK Solna, da Suécia, desde 2012. Entrou em campo pela seleção dos Ticos em 60 confrontos - a primeira vez em 2008, após passagens pelas seleções sub-17 e sub-20 - e balançou as redes 14 vezes.

Borges é mais uma revelação do Deportivo Saprissa, pelo qual estreou como profissional em 2006. Com a camisa do Monstruo Morado, fez sete tentos em 86 aparições. Suas atuações chamaram a atenção do Fredrikstad, da Noruega, para o qual foi vendido em 2009. A transferência rendeu o equivalente a 125 mil euros aos cofres do Saprissa.

Em solo norueguês, Celso Borges caiu nas graças da torcida local. Apesar do rebaixamento do Fredrikstad à Adeccoligaen em 2009, não deixou a equipe e ajudou o FFK a voltar à Tippeligaen com uma vitória sobre o Hønefoss nos playoffs. Àquela época, Celso marcou 14 gols e foi o quarto melhor marcador do certame. Na edição de 2011 da primeira divisão norueguesa, colocou a bola no fundo do barbante em oito oportunidades e ajudou seu time a escapar do rebaixamento.

Em 2012, acertou com o AIK Solna. Até agora, foram 14 gols em 58 jogos, média tão boa quanto a que lhe consagrou na sua antiga equipe: 29 gols em 76 jogos. Em toda a sua carreira, o meio-campista conquistou quatro títulos nacionais, todos eles com o Deportivo Saprissa: a edição 2006-2007 da primeira divisão, os Aperturas de 2007 e 2008 e o Clausura de 2008.

Álvaro Saborío

Experiente e "matador". É de um jogador assim que a Sele precisa para o Mundial do Brasil no meio do ano. Tais características certamente pertencem ao atacante Álvaro Saborío, artilheiro da Costa Rica nas últimas Eliminatórias para a Copa do Mundo com oito gols - ao todo, são 31 pela seleção de seu país. Saborío tem 31 anos e esteve com o grupo que viajou à Alemanha para disputar a Copa de 2006. Àquela oportunidade, os Ticos caíram na primeira fase.

Mesmo sendo costarriquenho de nascimento, Saborío começou sua carreira no futebol mexicano, jogando nas categorias de base do Monterrey e do Coyotes de Saltillo. Estreou como profissional no Deportivo Saprissa, no qual teve muitas conquistas: duas edições da primeira divisão, uma da Copa dos Campeões da CONCACAF e uma da Copa Interclubes da UNCAF. Jogou no Saprissa entre os anos de 2001 e 2006, marcando 95 gols em 151 jogos.

Após defender a Costa Rica na Copa do Mundo de 2006, foi vendido ao FC Sion, da Suíça. Lá conquistou a Copa da Suíça em 2009, entrou em campo 91 vezes e balançou as redes em 38 oportunidades. Chegou a ser emprestado ao Bristol City, da Inglaterra, e ao Real Salt Lake, dos Estados Unidos.

E é no clube norte-americano que Saborío joga até hoje, agora não mais pertencente ao Sion. Nos States, conquistou a Conferência Oeste da Major League Soccer pelo seu time, em 2013, e um prêmio individual, o de melhor jogador recém-chegado da MLS de 2010.

Álvaro Saborío é o sexto jogador que mais atuou pela seleção costarriquenha: vestiu a camisa da Sele em 92 jogos. Isto o faz ser um ícone em sua terra. Além dos vários gols, evidentemente.

Bryan Ruiz

Bryan Ruiz, o camisa 10 dos Ticos (Foto: Reuters)

Mais um atacante entra para a lista de jogadores que são primordiais para a Costa Rica e têm boas chances de defender seu país na Copa do Mundo. Trata-se de Bryan Ruiz, de 28 anos, que defende o selecionado nacional desde 2005, tendo marcado 12 tentos em 61 partidas.

Ascendeu ao profissionalismo precocemente, aos 18 anos de idade - tendo em vista o seu grande potencial - na Alajuelense. Em Alajuela, conquistou três títulos: uma Copa Interclubes da UNCAF, uma Copa dos Campeões da CONCACAF e uma primeira divisão nacional. Gols e aparições também não faltaram: 21 e 66, respectivamente.

Em 2006, foi para o K.A.A. Gent, da Bélgica. Não conquistou títulos, mas ganhou muita moral em território belga. Defendeu o Gent por quatro temporadas, marcando 26 gols em 78 jogos e levando a equipe ao vice-campeonato da Copa da Bélgica em 2008. Era o capitão do time.

Em 2011, Ruiz passou por mais uma nova experiência ao chegar ao futebol holandês, quando acertou com o Twente. Na cidade de Enschede, ganhou status de ídolo. Levou os Tukkers ao inédito título da Eredivisie na temporada 2009-2010, sendo o goleador máximo do clube na época: 24 gols. Ao todo, foram 35 em 65 confrontos. Suas ótimas atuações lhe fizeram ser contratado pelo Fulham, da Inglaterra, em 2011, no Deadline Day de 31 de agosto.

Depois de passar três anos nos Cottagers e não repetir as performances as quais anteriormente o consagraram, Bryan foi emprestado ao PSV Eindhoven no início deste ano e espera reencontrar seu bom futebol na sua volta à Holanda. Nada que deixe sua vaga no selecionado de seu país ameaçada.

Joel Campbell

Joel Campbell pertence ao Arsenal e está emprestado ao Olympiakos (Foto: Getty Images)

Também atacante, Joel Campbell é muito jovem - tem 21 anos -, mas já é um jogador bastante rodado. Foi revelado pelo Deportivo Saprissa e posteriormente emprestado ao Puntarenas. Com apenas 19 anos, foi comprado por um dos grandes clubes da Inglaterra, o Arsenal. A partir daí, iniciou sua já consolidada carreira no futebol europeu. Também passou por Lorient (França) e Bétis (Espanha) e atualmente defende o Olympiakos (Grécia). Em todos, veio emprestado dos Gunners.

Nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, Campbell marcou três gols, mesmo caso dos já citados companheiros Celso Borges e Bryan Ruiz, e mostrou por que é uma promessa que merece ser bem observada. Sua estatística mais recente aponta sete tentos em 28 partidas pelo Olympiakos.

VAVEL Logo