Com golaços de Pasqual e Cuadrado, Fiorentina vence Udinese e se garante na final da Coppa Italia

Após 13 anos, a Fiorentina está de volta à final da Coppa Italia. Na semana passada, a Udinese havia ganhado o primeiro jogo por 2 a 1, mas nesta terça-feira (11) os comandados de Vincenzo Montella deram o troco e venceram por 2 a 0 (3 a 2, no agregado) com gols de Pasqual e Cuadrado. Agora, o time viola espera por Napoli ou Roma, que se enfrentam na quarta-feira (12) (o primeiro jogo terminou 3 a 2 para a Roma), em Nápoles, na final.

A Fiorentina tinha perdido o primeiro jogo por 2 a 1, em Udine, portanto uma vitória com o placar mínimo classificaria o time viola para a final do torneio. Sem o meio-campista Borja Valero (suspenso), o time de Florença contava com o retorno do atacante alemão Mario Gómez, que tinha rompido os ligamentos cruzados do joelho em setembro do ano passado. Na última rodada da Serie A, a Fiorentina bateu a Atalanta por 2 a 0 quebrando um jejum de três jogos sem vitórias (um empate e três derrotas).

Por sua vez, a Udinese bastava segurar o empate que a vaga na final da Coppa estava garantida. O time bianconero veio a campo liderada pelo experiente atacante Di Natale, com os jovens Bruno Fernandes e Pereyra mais atrás dando apoio ao italiano de 36 anos que irá se aposentar no final da temporada. Sendo assim, o artilheiro colombiano Muriel começara a partida no banco de reservas estando à disposição do técnico Guidolin para entrar no decorrer da partida.

Fiorentina começa melhor, mas leva pressão da Udinese

O jogo começou morno. Era 10 minutos de jogo e os dois time não haviam criado chances claras de gols. No entanto, aos 14 minutos, o lateral-esquerdo Pasqual colocou a Fiorentina na frente. Pizarro lançou para Joaquín na área, o atacante ajeitou de cabeça para trás e, sem deixar a bola cair, Pasqual mandou um foguete de pé esquerdo para estufar as redes do goleiro Scuffet. Com esse gol, a Fiorentina estaria se classificando à final da Coppa Italia.

Aos 21 minutos, Di Natale tentou uma bicicleta, mas não levou muito perigo ao gol de Neto e a bola foi para fora. Logo após, a Fiorentina respondeu com Matí Fernández. O meio-campista recebeu passe de Cuadrado e da entrada da área arriscou um chute rasteiro, que passou rente à trave do gol de Scuffet. Aos 25', a Udinese quase empatou com Di Natale, mas o camisa 10 mandou para fora uma oportunidade que ele não costuma perder. Pereyra tirou da marcação, avançou pelo meio e abriu para Di Natale na esquerda, que, sozinho, mandou por cima do gol.

Melhor em campo nos primeiros 20 minutos, a Fiorentina entrou em estado de blackout e, em menos de 15 minutos, levou três sustos e quase tomou o empate. Gabriel Silva e Wedmer exigiram boa defesa do goleiro brasileiro Neto, e logo depois Domizzi cruzou para Di Natale cabecear no travessão; Neto ficou vendado no lance. Aos 40', a Fiorentina puxou contra-ataque veloz com Matí Fernández, que abriu na esquerda para Joaquín finalizar bonito exigindo boa defesa de Scuffet. Fim de um primeiro tempo bem movimentado.

Cuadrado faz golaço, Neto fecha o gol da Fiorentina e jogador da Udinese é expulso no banco de reservas

Os jogadores voltaram do intervalo e o jogo recomeçou. Logo nos primeiros instantes, Aquilani avançou pela direita e cruzou para Joaquín pegar meio desajeitado na bola e exigir boa defesa do goleiro bianconeri. A Fiorentina havia melhorado em relação ao primeiro tempo, mas a Udinese continuava pressionando em busca do gol de empate.

Em busca de mais velocidade, o técnico da Udinese, Francesco Guidolin, tirou o volante Pinzi para colocar o atacante Muriel. Porém, o técnico italiano tomou um balde de água fria quando Pizarro armou contra-ataque e lançou para Cuadrado avançar pela direita e, de fora da área, marcar um golaço. 2 a 0. Mas a Fiorentina não podia relaxar, uma vez que se a Udinese marcar um gol a partida irá à prorrogação, e se persisti, pênaltis.

A Udinese tentava chegar, mas parava nas boas defesas do brasileiro Neto. Os dois times ficavam mais restritos na hora de atacar: a Fiorentina com medo de ir ao ataque e deixar a defesa desguarnecia para um eventual contra-ataque; a Udinese também tinha medo de atacar, pois se tomasse um gol teria que fazer quatro gols para reverter a situação.

O jogo caminhava para o final e nada de gols, mas a time de Udine não desistia e apostava em chutes de longe (sem sucessos). O árbitro deu seis minutos de acréscimos. Dentro desses minutos, houve confusão, Badu (no banco de reservas) foi expulso, e ainda sobrou tempo para o goleiro Neto se consolidar como o melhor jogador da partida ao defender um chute de Muriel e o rebote de Domizzi. Fim de jogo e a Fiorentina está final da Coppa Italia após 13 anos.

VAVEL Logo