Lanús e O`Higgins ficam no zero em La Fortaleza

Lanús e O`Higgins se enfrentaram na noite desta quinta-feira (13), em La Fortaleza, no sul da Grande Buenos Aires, pela primeira rodada do Grupo 3 da Copa Libertadores da América. O jogo terminou em 0 a 0.

Guillermo Barros Schelotto contou com a volta do experiente lateral esquerdo Maxi Velázquez para a partida. Diante o Belgrano, na primeira rodada do Final 2014, Nicolás Pasquini foi improvisado na lateral, e o Granate - com time misto - saiu de Córdoba com o empate em 2 a 2.  O jovem atacante Lucas Melano segue fora com lesão no joelho. Em seu lugar, Oscar Benítez jogou como titular e Bruno Vides ganhou vaga no banco.

Eduardo Berizzo teve a equipe chilena completa a sua disposição. E, mesmo fora de casa diante o campeão da Sul-Americana, manteve o esquema de três atacantes. O O`Higgins chegou de um empate no Clausura 2014, e está invicto no campeonato. São 12 pontos em seis jogos, totalizando três vitórias e três empates. Ocupa a terceira colocação.

Com o empate, Lanús e O`Higgins ficam na segunda posição do Grupo 3. O Deportivo Cali, que venceu o Cerro Porteño na noite de quarta (12), é o líder isolado. Na outra quarta (26), pela próxima rodada, o Lanús viaja até o Paraguai para enfrentar o Cerro Porteño, que já entrará com a pressão de pontuar. Já o O`Higgins receberá o líder Deportivo Cali, na próxima quarta (19).

O atrapalhado Paulo Garcés salvou o O`Higgins

As principais chances do Granate no primeiro tempo foram provenientes do meia paraguaio Víctor Ayala, que jogou aberto pela esquerda. Aos oito, Ayala tentou surpreender de falta quando Paulo Garcés já ameaçava um movimento de sair do gol. Garcés deu rebote e Laucha Acosta foi travado no momento da finalização. Oito minutos mais tarde, ele se redimiu com defesa extraordinária. Víctor Ayala viu a projeção de Diego González e lançou o volante, que desviou a bola, obrigando Garcés a tirar a bola do ângulo.

Como o primeiro tempo se desenrolou pelo lado esquerdo de ataque do Lanús, Eduardo Berizzo bem analisou as subidas de Maxi Velázquez, e fez um dueto entre Pablo Hernández e Luis Figueroa por ali. Como Ayala pouco ajudou na marcação, por esse setor os chilenos criaram sua principal chance, aos 47 minutos. Pablo Hernández puxou contra-ataque em jogada individual, viu Figueroa ultrapassar e levar a marcação de Velázquez, cortou para o meio e bateu, de fora da área, com a canhota, obrigando Marchesín a mandar para escanteio.
 
Os erros de Pablo Calandria confirmam a igualdade
 
Aos três, enfiada espetacular de Pablo Hernández no meio dos dois zagueiros do Lanús para Pablo Calandria, cara a cara com Marchesín, bater sobre o gol. Aos 16, Santiago Silva fez o pivô, dominando de peito, e escorando para Ismael Blanco obrigar Garcés a fazer grande defesa no reflexo.
 
O jogo seguiu intenso, porém sem grandes oportunidades de gol. As duas equipes pressionavam a saída de bola da equipe adversária, as obrigando a rifar a bola. A disputa da bola no meio-campo foi o principal fator do equilíbrio.
 
Aos 41, a chance incrível que poderia ter dado a vitória aos chilenos. Luis Figueroa fez jogada individual pelo flanco direito, chutou cruzado, Calandria matou no peito, e isolou frente a frente com Marchesín, dentro da área. Juntamente com a bola, foram os dois pontos adicionais da vitória.
 
VAVEL Logo