Pela primeira vez na história, Atlético Rafaela vence o Boca Juniors

Atlético Rafaela e Boca Juniors se enfrentaram na noite desta quinta-feira (20) no Nuevo Monumental, em Rafaela, pela terceira rodada do Torneo Final 2014, o segundo torneio curto do Campeonato Argentino nesta temporada. O jogo terminou com a vitória do time local por 1 a 0, gol de Rodrigo Erramuspe.

O Atlético Rafaela não perdia há nove partidas em seu estádio, porém, na sua curta história na primeira divisão argentina, nunca havia vencido o Boca em três oportunidades. A equipe chegou em ótima clima para o embate devido a última rodada. Em La Fortaleza, diante o Lanús - com uma equipe mista - um 3 a 0 convincente. A Crema entrou no campeonato pensando em não voltar à B Nacional, todavia Jorge Burruchaga quer mais. Ele sonha com a classificação para o primeiro torneio internacional da história do clube.

O Boca tentava sua primeira vitória do ano. Em apenas duas rodadas, a crise voltou no bairro de La Boca. Após a derrota por 3 a 2 para o Belgrano na Bombonera, Bianchi declarou que faltou atitude à equipe. Gago respondeu que atitude foi o que menos falou. Diversos meios dizem que o grupo está dividido - desde o ano passado, aliás- entre os discípulos de Bianchi (encabeçado por Riquelme, pelo passado vitorioso dos dois) e os que não gostam da "mentalidade ultrapassada" do treinador. De diferente do último jogo, Emiliano Insúa voltou à lateral esquerda no lugar de Nahuel Zárate, de partida horrível ante o Pirata, e trocou a dupla de ataque: Burrito Martínez e Gigliotti por Luciano Acosta e Claudio Riaño. O primeiro saiu por lesão.

Com a vitória, o Atlético Rafaela assumiu a terceira colocação, com setre pontos em três jogos. O Boca, que chegou a marca de 102 dias sem vitórias, é o 17ª com apenas um ponto. Na próxima rodada, o Atlético Rafaela visita o Newell`s Old Boys em Rosário e o Boca recebe o líder Estudiantes, provavelmente com a volta de Riquelme.

Domínio local no primeiro tempo

Sabendo se aproveitar do fator local, o Atlético Rafaela controlou o primeiro tempo sem grandes dificuldades. Aos 17 minutos, grande jogada individual de Albertengo pela esquerda, limpando Forlín e chutando cruzado. Depetris chegou atrasado para completar.

O problema nas laterais do Boca permaneceram na partida, assim como em toda Era Bianchi. E, aos 34 minutos, Vera cruzou nas costas do irregular Emiliano Insúa, Depetris testou e Orión - o único jogador regular do Boca nos últimos tempos, fez uma grande defesa no reflexo.

Segundo tempo de improdução Xeneize

Se aproveitando do campo acanhado, o Rafaela percebeu que o Boca em campo só jogava com a camisa, e fez o seu humilde jogo no segundo tempo. Aos dez minutos, Rodrigo Erramuspe testou após escanteio e contou com desvio no ombro de Pablo Ledesma para abrir o placar.

Após isso, o Boca parou na sua criatividade. Ou melhor, na falta dela. Sem Riquelme nesse início de Final 2014, Bianchi fracassa no seu 4-2-3-1. Sánchez Miño, o garoto Luciano Acosta e Pablo Ledesma criaram raríssimas chances nessa linha de três meias. As duas principais jogadas foram oriundas da bola parada: aos 26, Esteban Conde mandou para escanteio boa falta cobrada por Sánchez Miño. Já aos 39 minutos, foi Fernando Gago quem, em falta por baixo da barreira à la Ronaldinho Gaúcho, também parou no seguro Esteban Conde.

O gol do confronto

Outros resultados do dia

Belgrano e Newell`s ficaram no 1 a 1 em Córdoba em um bom jogo, onde Heinze marcou contra e Maxi Rodríguez a favor da Lepra. Em Rosário, o Central mostrou sua força local e venceu o Gimnasia La Plata por 3 a 1. Ariel García abriu o placar para o Lobo, e Alejandro Donatti, Federico Carrizo e Walter Acuña viraram para o Central.

VAVEL Logo