Com gol de Franco Jara, Estudiantes vence o clássico contra o Gimnasia

Velocidade e precisão definem a vitória do Estudiantes de La Plata no clássico deste domingo (16), contra o Gimnasia. As equipes se enfrentaram no estádio Del Bosque, pela oitava rodada do Torneio Final 2014. Com gol de Franco Jara, o Estudiantes levou a melhor e venceu por 1 a 0, conquistando assim os quinze pontos na classificação e alcançando a liderança ao lado do Colón.

Um duelo marcado pelo clima quente entre os adversários, que não podiam fazer feio diante de um público que lotava o estádio do Gimnasia em La Plata. Os dois clubes vinham de empates em zero a zero, na rodada passada. A equipe da casa, liderada porPedro Troglio, tentou superar o jogo árduo e defensivo do Estudiantes, apesar de muitas tentativas, não conseguiu finalizar na rede. Mesmo com um placar magro, o Estudiantes saiu de campo satisfeito com uma vitória suada que o colocou na ponta da tabela.

Para se manter na posição que conquistou, o Estudiantes enfrentará o Vélez no próximo fim de semana, fora de casa. Enquanto o Gimnasia terá que superar a derrota sofrida, em casa, contra o San Lorenzo na nona rodada do campeonato.

Estudiantes abre o placar e Gimnasia se defende

O mando de campo era do Gimnasia, mas o jogo foi dominado desde o início pelo Estudiantes. O Gimnasia começou bem indo pra cima dos pinchas, mas os comandados de Mauricio Pellegrino não demoraram para abrir o placar no Del Bosque. Aos nove minutos, Franco Jara, recebeu de Correa e marcou o único gol da partida.

Mesmo levando o gol com menos de dez minutos de jogo, o Gimnasia não se abateu. O time conseguiu se manter com a posse de bola na maior parte do primeiro tempo, mas não conseguia concluir as jogadas, sem levar perigo ao goleiro Rulli. Quem quase fez o segundo gol do jogo foi Correa, que arrancou um contra ataque, mas foi impedido de concluir por Oreja.

O Estudiantes se mostrou tranquilo com a vantagem no placar. Se aproximando do fim do primeiro tempo, Mendoza quase teve a chance de empatar para o Gimnasia após uma cobrança de falta.

Mais de quarenta e cinco minutos de "trocação"

A segunda etapa foi marcada pelo grande números de faltas, que haviam ocorrido menos no primeiro tempo. O Estudiantes começou a sentir a pressão do adversário, que o obrigou a fazer um jogo mais defensivo para segurar o placar. Da mesma maneira, o Gimnasia conseguia quebrar as jogadas armadas dos "pinchas" e aproveitava os erros cometidos pelo rival para roubadas de bola e contra ataque.

Os goleiros de ambas as equipes começaram a aparecer na partida com as bolas paradas e finalizações perigosas dos atacantes. Mantendo o domínio da posse de bola, assim como na primeira etapa, o Gimnasia segurava e tentava chegar ao gol de empate, mas Desábato e companhia trabalharam bem para bloquear os adversários.

Por volta dos quarenta e quatro minutos, o jogo esquentou de vez com confusões envolvendo Damonte, Monetti, Rodriguez e Pereyra. Devido a muitas paradas para reclamações e chamadas de atenção, o árbrito levou o jogo até aos cinquenta e quatro minutos do segundo tempo. Mas não foi o suficiente para o placar sair do 1 a 0.

VAVEL Logo