Era Juan Arango chega ao fim no Borussia Mönchengladbach
Arango, que deve retornar ao futebol mexicano, deixou um enorme legado no Gladbach (Foto: Divulgação/Borussia Mönchengladbach)

Após a saída do goleiro Marc-André ter Stegen, que deve ir para o clube espanhol Barcelona, mais um destaque de longa data do plantel do Borussia Mönchengladbach está de partida: o meio-campista Juan Arango. Não passou tanto tempo no clube quanto MAtS - foram cinco anos contra 18 do arqueiro -, mas foi uma época suficiente para o sul-americano tornar-se ídolo de um dos clubes mais tradicionais e vitoriosos da Alemanha.

Às vésperas de completar 34 anos - nasceu em 17 de maio de 1980 -, o jogador cujo vínculo com o Gladbach termina ao final desta temporada não aceitou a proposta de renovação do clube e deve ter o Tijuana, do México, como próximo destino.

"Nós conversamos bastante com Juan Arango sobre uma extensão de contrato e fizemos a ele uma proposta. Suas ideias e as nossas ideias, infelizmente, não corresponderam. Juan é um jogador talentoso. Nós estamos contentes por termos contado com ele por tanto tempo [cinco temporadas] em nossa equipe e lamentamos profundamente seu desligamento do clube", declarou Max Eberl, diretor de esportes do M'gladbach.

Arango já atuou no futebol mexicano. Depois de quatro anos jogando em sua terra natal - vestiu as camisas de Nueva Cádiz, Zulianos e Caracas -, defendeu Monterrey (2002 e 2003), Pachuca (2003 e 2004) e Puebla (2004 e 2005). Pelo Pachuca, conquistou a Copa dos Campeões da CONCACAF de 2002.

Em 2004, transferiu-se para o Mallorca, apadrinhado pelo técnico espanhol Benito Floro, seu comandante nos tempos de Monterrey. A equipe das Ilhas Baleares, território pertencente à Espanha, foi o primeiro time europeu de Juan Arango. Pelos Bermellones, foram 45 gols em 183 partidas. Mas nem tudo foi motivo para festa: em 2005, o atleta levou uma cotovelada do defensor Javi Navarro, do Sevilla, e caiu inconsciente no gramado. Correu risco de vida, mas superou o incidente o qual lhe rendeu 40 pontos no rosto e um osso da face fraturado.

Além do seu extremo talento em criar jogadas e da sua exímia habilidade em cobrar faltas, Arango também se destacou por ser um jogador bastante regular: entre 2005 e 2008, só ficou ausente de um jogo do Mallorca na Liga BBVA. Em junho de 2009, acertou com o Borussia Mönchengladbach, clube onde também seria ídolo. A transferência rendeu 3,6 milhões de euros aos cofres dos Barralets.

O venezuelano rapidamente alcançou a popularidade em Mönchengladbach. Viveu tempos difíceis, quando a equipe lutou contra o rebaixamento em 2010 e 2011. Nos respectivos anos, terminou a Bundesliga na 12ª e 16ª colocações, tendo escapado da degola em 2011 graças à vitória por 2 a 1 sobre o Bochum no placar agregado dos playoffs de rebaixamento. Na ida, os Potros venceram por 1 a 0. Na volta, arrancaram um precioso empate em um gol.

Na temporada 2011-2012 veio a redenção do Gladbach. A equipe ficou na quarta colocação do campeonato alemão e o meia ofensivo novamente se destacou por sua regularidade: atuou nos 34 jogos do certame. Em sua terceira temporada no futebol germânico, as estatísticas foram agradáveis: seis gols e 12 assistências.

Contabilizando os playoffs da Uefa Champions League, a fase de grupos e o mata-mata da Uefa Europa League, Juan Arango foi às redes três vezes. O tento mais importante veio no empate em 2 a 2 com o Olympique de Marseille em território francês. Uma derrota no Vélodrome deixaria o M'gladbach em maus lençóis na Europa League, mas o gol marcado no último minuto encaminhou a classificação dos Potros para os 16 avos de final.

No dia 10 de dezembro de 2012, o nome do "Furacão do Caribe" rodou o mundo após o impressionante gol marcado na vitória dos Potros sobre o Mainz por 2 a 0. O venezuelano balançou as redes numa improvável distância de 44 metros para a baliza. O lance foi considerado um dos tentos mais bonitos da temporada 2012-2013 da Bundesliga.

Em dezembro de 2013, Arango elegeu seus cinco gols mais bonitos na Bundesliga; o impressionante tento contra o Mainz foi o primeiro colocado da lista

Após a partida, o suíço Lucien Favre, técnico do Gladbach, se rendeu à genialidade do meia e afirmou que Arango foi o melhor jogador canhoto com quem já trabalhou.

Favre e Arango sempre se entenderam muito bem e o latino-americano creditou sua boa fase no futebol alemão ao treinador. "Quando você joga por vários minutos, você se sente importante para a equipe. Favre me deu essa confiança e eu soube aproveitar. Nos entendemos desde o início", afirmou.

Outra pessoa com quem o "maestro" formou forte parceria foi o atacante Marco Reus, hoje do Borussia Dortmund. "No começo foi difícil por causa da barreira do idioma, mas em campo logo nos entendemos. Para mim, Marco é um dos melhores jogadores não apenas da Bundesliga, mas também da Europa", comentou, rasgando elogios ao jovem de 24 anos.

Reus e Arango jogaram juntos no Borussia Mönchengladbach de 2009 a 2012. Os comentaristas de futebol da Alemanha costumavam dizer que o alemão e o venezuelano tinham "um conhecimento telepático dentro de campo", tamanha era a sintonia entre os jogadores.

Marco Reus e Juan Arango formaram parceria de sucesso no Borussia M'gladbach (Foto: Getty Images)

Mais do que muitos gols e muitas assistências, Arango se destacava por sempre marcar golaços. "É verdade que eu pareço fazer mais gols difíceis do que fáceis", admitiu o jogador. Na temporada 2012-2013, todos os cinco gols do Zurdita de Oro foram com o pé esquerdo. "Sempre fui bom com o pé esquerdo e não faço ideia do porquê. Não consigo fazer nada com o meu pé direito. Apenas carregar a bola", salientou.

Na recém-encerrada temporada 2013-2014, Juan balançou a rede oito vezes. Em sua era com a camisa dos Potros, foram nada mais e nada menos que 31 gols (25 na Bundesliga, três na DFB-Pokal e três nas competições europeias) e 37 assistências em 175 jogos (155 na Bundesliga, dez na DFB-Pokal, oito nas competições europeias e dois nos playoffs de rebaixamento da BL). Das 155 partidas na BL, foi titular em 153. Números que justificam seu status de melhor jogador da história da Venezuela.

"Quando eu era jovem, havia muito poucos venezuelanos jogando no exterior. Tentei dar ao futebol venezuelano uma nova cara, e acho que consegui", disse em entrevista ao site oficial da Bundesliga, comprovando seu pioneirismo no futebol local. Natural da cidade de Maracay, Juan Arango defende o selecionado nacional desde 1999 e já atuou em 121 jogos, tendo marcado 22 gols. É o capitão da Vinotinto desde 2007.

Já jogou em cinco edições da Copa América - na última edição, realizada na Argentina em 2011, a Venezuela ficou na quarta colocação, sua melhor campanha na história do torneio -, mas seu maior desejo, sem dúvidas, é o de levar o país a uma Copa do Mundo, competição da qual jamais participou. As Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial de 2018, a ser jogado na Rússia, provavelmente serão sua última oportunidade de realizar tal sonho.

Em 2013, Arango foi apontado pela IFFHS (em português, Federação Internacional de História e Estatística do Futebol) como o jogador mais popular do ano. Justiça ao posto de ídolo adquirido no Borussia Mönchengladbach. Para se ter ideia, as camisas 18, número utilizado pelo atleta, são as mais procuradas e vendidas nas lojas oficiais do Gladbach.

Para os Potros, a Era Juan Arango infelizmente chegou ao fim. Agora, restarão as lembranças dos grandes momentos à frente do clube. Mesmo não tendo conquistado título algum, o "maestro" marcou seu nome na história do Borussia M'gladbach. E na Alemanha sabe-se muito bem que não é qualquer jogador que se torna ídolo num dos maiores campeões alemães. O "Furacão do Caribe" não é aclamado somente pelos adeptos borussen, mas pelos fãs da Bundesliga em geral.

Arango se despediu da torcida do Gladbach na derrota dos Potros para o Wolfsburg por 3 a 1, na Volkswagen Arena, em partida válida pela última rodada da Bundesliga 2013-2014 (Foto: Dirk Päffgen)
VAVEL Logo