Em confronto direto de desempate, Atlético Rafaela vence Colón e permanece na primeira divisão
Atlético Rafaela e Colón em partida disputada hoje (Foto: Divulgação / Atlético Rafaela)

Atlético Rafaela e Colón se enfrentaram na tarde desse sábado (24), em um confronto direto para definir o último rebaixado para a B Nacional 14/15, no Estádio Gigante de Arroyito (em Rosário, campo neutro), e a partida terminou em 1 a 0 para o Atlético Rafaela, gol do meia Rodrigo Depetris.

O Atlético Rafaela somou 142 pontos nas últimas três temporadas (114 jogos), totalizando um Promédio de 1.246. No último torneio curto, o Torneo Final 2014, somou somente 20 pontos em 19 jogos, sendo ultrapassado por Quilmes e Olimpo na tabela de descenso. Na última rodada, todavia, um gol de Lucas Albertengo salvou a equipe do descenso por conta de 7 minutos. A equipe vencia por 2 a 1 o Arsenal fora de casa, porém o Colón conseguiu virar o seu jogo nos últimos cinco segundos, gerando esse desempate. Mesmo com a permanência não assegurada naquele jogo, Jorge Burruchaga voltava a comemorar uma vitória depois de 10 jogos e viu o poder de reação do seu time voltar, virando um jogo muito importante.

Se o Atlético Rafaela vinha em decadência, o Colón chegou para a partida justamente o contrário. Com seis meses de salários atrasados, a direção achou no desconhecido técnico Diego Osella um renascimento. Com um time cheio de garotos por conta da situação financeira, Osella liderou o Torneo Final até a 12ª rodada. A equipe somou 30 pontos nos 19 jogos do Final, atingindo a sétima colocação. Todavia o clube era rebaixado até os últimos cinco segundos no jogo diante o Olimpo, quando Lucas Alario, uma das promessas Sabalera da base, marcou esse gol (abaixo) e gerou o confronto direto.

Com a vitória, o Atlético Rafaela sela sua permanência na primeira divisão para a temporada 14/15. O treinador Jorge Burruchaga, campeão da Copa do Mundo de 1986 como meia-atacante ao lado de Maradona, deve seguir, assim como boa parte dos jogadores. Já o Colón disputará a B Nacional na próxima temporada, onde deve enfrentar seu rival, Unión, também de Santa Fé. A crise político-financeira não deve trazer mais consequências. Os jovens devem permanecer, ocorrerão mais alguns cortes de gastos e Diego Osella seguirá no comando da equipe, confirmado pelo presidente antes mesmo do jogo.

Tensão com superioridade do Atlético Rafaela

Tomadas pela pressão e tensão, ambas as equipes começaram o jogo começou muito tímidas. Nos primeiros minutos, o Colón dominava as ações, enquanto o Atlético Rafaela chegava com perigo em contra-ataques com Lucas Albertengo, Canuhé e Depetris, mas ambas as equipes não definiam. Aos 19 minutos, um chute desviado de Ezequiel Videla tomou um efeito impressionante e quase surpreendeu Conde. 10 minutos mais tarde, Lucas Albertengo fez jogada individual em diagonal, puxando do flanco esquerdo para o meio, e chutando de fora da área, assustando Montoya.

Aos 33 minutos, uma bomba de Diego Vera foi a chance mais perigosa do primeiro tempo. De muito longe, carimbou a travessão de Montoya. Um minuto depois, seguiu a blitz do Rafaela. Um chute forte de Canuhé, de fora da área, parou em Montoya, assim como um toque de Diego Vera, na pequena área, nos pés do goleiro do Colón, que saiu muito bem das balizas.

O Atlético Rafaela permaneceu chegando com mais perigo após essa blitz, porém não conseguiu definir. No Colón, a se destacar um contra-ataque puxado por Martín Luque de quatro contra dois, mas o meia fez a opção errada e desperdiçou grande oportunidade.

Gol de Depetris sela permanência do Rafaela

O Atlético Rafaela dominou o segundo tempo até o seu gol. Aos três minutos, Garcé foi travado na pequena área por Mansilla, pedindo pênalti. Aos 11 minutos, o gol da permanência. Após grande empenho de Lucas Albertengo na origem da jogada, um cruzamento de Canuhé, da esquerda, resultou em cabeçada de Rodrigo Depetris, no contrapé de de Montoya, abrindo o placar em Rosário.

A resposta do Colón foi imediata e a equipe conqusitou três escanteios consecutivos logo após o gol. Aos 25 minutos, todavia, um lance mudaria o decorrer da partida. Jacobo Mansilla deu cotovelada em Depetris e foi expulso. O Colón sentiu a expulsão e nunca mais voltou a ter grande momento no jogo.

O restante do segundo tempo se resumiu em uma pressão desorganizada no Colón, enquanto o Atlético Rafaela desperdiçava seus contra-ataques com um certo desprezo. Sem organização, o Colón se limitava a lançar bolas para a área, sem conquistar os rebotes e a segunda bola para ter posse dela. Já o Rafaela tinha paciência, gastava o tempo e via sua permanência ficar cade vez mais perto.

Aos 47 minutos do 2º tempo, a chance do jogo para o Colón foi desperdiçada por Lucas Alario, o jovem que havia sido herói semana passada. Lucas Landa desviou de cabeça e Alario tentou tocar sobre Conde, mas pegou muito embaixo na bola e ela subiu demais. Caiu na rede pelo lado de cima da goleira do arqueiro. Após o jogo, restaram as lágrimas. De alegria, para os jogadores do Rafaela; e de tristeza pelos jovens do Colón, inconformados com o belo campeonato resultando em um descenso.

Veja o gol de Depetris:

Emocionante entrevista de Meli, volante de 21 anos do Colón:

VAVEL Logo