Equador: geração de ouro do Pan tem última chance na Copa

Equipe de pouca expressão no futebol mundial, o Equador não está acostumado a disputar a Copa do Mundo. A primeira participação equatoriana aconteceu em 2002 e, depois de participar da Copa de 2006, a seleção ficou fora da Copa de 2010. De volta ao Mundial, os equatorianos vêm ao Brasil com um só objetivo: voltar ao mata-mata e, quem sabe, superar a campanha de 2006.

Campanha nas eliminatórias para a Copa de 2002 foi espetacular

Quando as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002 começaram, o Equador não passava de um mero figurante para os especialistas e torcedores sul-americanos. Entretanto, os equatorianos provaram o contrário para todos e surpreenderam inclusive seus próprios torcedores. Na primeira rodada, a equipe estreou vencendo a Venezuela, em Quito, por 2 a 0. Na partida seguinte, o Equador deu sua primeira amostra de poder. No estádio do Morumbi, em São Paulo, os equatorianos venderam caro a derrota por 3 a 2 para o Brasil e quase arrancaram um empate.

Com uma campanha instável nas oito rodadas iniciais, o Equador, que chegou a ser goleado pelo Uruguai por 4 a 0, mostrava condições de brigar por uma vaga na Copa do Mundo, mas nada que assustasse os gigantes Brasil e Argentina. Entretanto, depois da goleada sofrida diante dos uruguaios, os equatorianos arrancaram na eliminatória e conseguiram cinco vitórias nos seis jogos seguintes, incluindo um resultado mínimo diante do Brasil, em Quito. A única derrota nessa sequência de seis partidas aconteceu em casa, para a Argentina.

Além da vitória sobre o Brasil, a partida que mais marcou os equatorianos foi a goleada por 5 a 1 sobre a Bolívia, em La Paz. Com nove vitórias, quatro empates e cinco derrotas, o Equador desbancou a seleção brasileira, então tetracampeã mundial, e terminou a eliminatória sul-americana na segunda posição, atrás apenas da Argentina.

VAVEL Logo