Independiente apenas empata com o Patronato e definirá acesso em jogo de desempate
(Foto: Divulgação / Independiente)

Independiente e Patronato se enfrentaram na tarde desse domingo (08), no Estádio Libertadores da América, pela última rodada da B Nacional 13/14. O jogo terminou em 0 a 0 e, devido a vitória do Huracán, teremos um jogo de desempate para definir o último clube a subir.

Após uma temporada cheia de polêmicas extra-campo, com direito a renúncia de presidente e problemas financeiros, e um futebol irregular, o Independiente conseguiu chegar com chances de acesso na última rodada da B Nacional. Muito por conta de ter conquistado 13 pontos dos 15 disputados nas últimas cinco rodadas. Para consumar o acesso, bastava vencer o Patronato ou torcer por uma não vitória do Huracán ante o Almirante Brown, que lutava para não cair. Nenhum dos dois ocorreu.

O Patronato chegou para a partida somente para cumprir tabela. Marcou 48 pontos nesta temporada, ocupando a 19ª posição no campeonato, mas se salvou do rebaixamento por conta de boas campanhas nas últimas duas temporadas. Nas últimas cinco partidas, somente seis pontos somados. Na próxima temporada, graças a essa péssima campanha, o clube será forte candidato ao rebaixamento para a terceira divisão argentina.

Por conta dos dois resultados de hoje, o próximo final de semana definirá a próxima temporada de dois grandes clubes argentinos: Independiente e Huracán. As equipes se enfrentaram em jogo único e em campo neutro, definindo quem será o último clube a subir para a primeira divisão.

Nervosismo e poucas chances

O Independiente, em todo seu primeiro tempo, foi muito afobado. Poucas bolas foram bem trabalhadas e a pressa em marcar o primeiro gol se tornou evidente. Tanto que a primeira chega foi dos visitantes, que não tinham nenhum compromisso. Aos 16 minutos, um lançamento para Leonardo Acosta, nas costas da defesa do Independiente, fez Diego Rodríguez operar um milagre.

As respostas do Independiente se deram muito mais nas bolas paradas e no talento de seus jogadores do que por jogadas coletivas. Aos 20 minutos, Pisano assustou em jogada individual. Penco, aos 30 minutos, e Montenegro, aos 44, em cabeçadas, obrigaram Sebástian Bertoli a fazer boas defesas.

Perto dos 30 minutos, torcedores do Independiente receberam a informação de um gol do Huracán, e a reação foi instantânea. Reclamações devido a demora de jogadores na reposição de bola, por exemplo, aumentaram, a pressão cresceu e até desentendimento entre jogadores ocorreu.

Falta de criatividade leva ao desempate

O panorama não se modificou no segundo tempo. Jogadas individuais de Mancuello, pela esquerda, e Pisano, pela direita, pareciam as únicas alternativas para o Rojo em meio a tantos passes errados e lançamentos improdutivos.

Na parte final da segunda etapa, o Independiente parecia ter melhorada. Aos 29 minutos, Montenegro, de carrinho, completou cruzamento de Pisano para fora. No lance seguinte, Mancuello arriscou de fora da área, contou com desvio, e quase acertou o travessão de Bertoli. No escanteio, Montenegro cabeceou fraco nas mãos do arqueiro do Patronato, ídolo do clube por estar há 20 anos lá.

Os últimos 15 minutos levaram o Independiente ao desempate, salvando o Rojo de uma permanência na B Nacional por uma outra temporada. Os jogadores, desorganizadamente, se lançaram para frente, e deixaram espaços para o Patronato. Inúmeras foram as vezes que o Patrón saiu ao campo de ataque com mais jogadores ofensivos do que o Rojo com defensivos. Todos eles fracassados devido a erros no último passe.

Huracán vence, rebaixa Almirante Brown e segue vivo na luta pelo acesso

Em Isidro Casanova, o Huracán consolidou sua impressionante reação na B Nacional e venceu o Almirante Brown por 1 a 0, gol de Pity Martínez, rebaixando La Fragata e garantindo presença no jogo de desempate contra o Independiente pela última vaga na elite do futebol argentino. O resultado coroou uma bela reação do Globo, que até a 30ª rodada era considerado carta fora do baralho. O jogo transcorreu em um clima extremamente tenso, principalmente pelas ameaças feitas por hinchas do Almirante a jogadores do Huracán, indicando que não admitiram outro resultado que não a vitória do Aurinegro.

A partida foi muito equilibrada, de um nível técnico baixíssimo, muito pelo nervosismo de ambas as equipes. O gol do Globo foi marcado aos 29 minutos da etapa inicial, após ótima combinação de Toranzo e Espinoza, que Martínez teve apenas o trabalho de escorar para o gol vazio. Na etapa final, o Huracán perdeu algumas chances de matar o cotejo no contra-ataque, e se permitiu ser perigosamente pressionado. Após o apito final, os hinchas do rebaixado Almirante invadiram o gramado, tirando as camisas dos jogadores e entrando em confronto com a polícia, enquanto os atletas do Huracán correram para o vestiário.

Veja como ficou a classificação final da B Nacional 13/14

1) Banfield (campeão) 78 pontos
2) Defensa y Justicia (acesso) 75 pontos
3) Huracán 67 pontos
3) Independiente 67 pontos

O gol de Gonzalo Martínez para o Huracán

VAVEL Logo