Independiente derrota Huracán no desempate e volta à primeira divisão
(Foto: Divulgação / Club Independiente)

Depois de uma árdua temporada em busca de voltar para a primeira divisão, Independiente e Huracán se enfrentaram nesta quarta-feira (11), no Estádio Único de La Plata,  para decidir o último classificado do Ascenso, a segunda divisão que voltaria a elite argentina para disputar o Torneio Inicial já em 2014.

Por um lado, o time Rojo sob desconfianças e tropeços foi chegando devagar até se ver em condições de se classificar para a Primeira na última rodada. Já do outro, uma pequena superioridade do Huracán devido a sua boa temporada. A equipe comandada por Kudelka fez sua parte com uma campanha convincente e mostrou durante a partida que poderia ter conquistado o acesso. O jogo desempate ocorreu porque as duas equipes terminaram o campeonato com o mesmo número de pontoa.

Apesar de sua ofensividade, o Globo não encontrava o caminho do gol. Diferente do Independiente, que resolveu ir para o tudo ou nada e se consagrou com volta à elite do campeonato argentino vencendo por dois a zero. Após passar um ano na B Nacional, o time, um dos maiores do país e maior campeão da Libertadores, enfim pode respirar aliviado e pensar na próxima temporada, quando estará mais uma vez entre os grandes.

Começo complicado para ambas as equipes

O início da primeira etapa não teve bom desempenho de nenhuma das equipes. O Huracán estava com medo de se arriscar, enquanto o Independiente não via espaços para conseguir dar continuidades em suas jogadas.

Após salvar algumas cobranças de faltas e demais tentativas de abrir o placar, o goleiro Marcos Díaz era quem estava salvando o Huracán das perigosas jogadas do Independiente, que começou a entrar de vez no jogo. Momentos depois de uma bela defesa, Díaz não conseguiu evitar o primeiro gol do Rojo. Em um contra ataque preciso, a equipe de Zapata em um lance certeiro abriu o placar para o delírio de sua torcida.

Confiante, o Independiente se arriscou mais sem deixar a marcação forte pra cima do Huracán. Sofrendo pela situação em que se encontravam, as equipes não produziram muito no fim da primeira etapa e acabaram guardando as energias para o segundo tempo.

Huracán tentou, mas acabou assistindo a volta do Rojo

Já com um pé na Primera División, o time comandado por Omar De Felippe voltou para a segunda etapa com o mesmo posicionamento defensivo e sofreu bastante para segurar o resultado que o favorecia. O Huracán voltou muito melhor para o jogo, atacou o goleiro Diego Rodríguez que fez três defesas importantes em menos de quinze minutos.

O Huracán poderia ter chegado ao desejado empate caso o bandeirinha não tivesse anulado o gol de Abila. Após o lance polêmico o clima esquentou entre as equipes. O Independiente tinha pressa para que o jogo acabasse, enquanto o Huracán queria que os minutos se tornassem horas para poder ainda sonhar com a volta para a classe A, o que ficou mais complicado com a expulsão de Carlos Arano depois de discussões em campo.

Se aproximando do final da partida, tudo caiu por terra para o Globo. O Independiente consolidou a vitória no desempate com gol de Pizzini, que saiu do banco de reservas para deixar o seu registrado no placar de 2 a 0. Assim, o Rojo conseguiu de vez a sua redenção após passar um ano na difícil B Nacional.

VAVEL Logo