Após a vitória da França, Deschamps elogia Honduras e comemora inicio com o pé direito

Com dois gols de Benzema e um gol contra do goleiro Valladares, a França venceu Honduras por 3 a 0 em sua estreia na Copa do Mundo 2014, no Beira Rio, na tarde deste domingo (15). Após o resultado positivo, o técnico Didier Deschamps concedeu entrevista coletiva e elogiou o adversário, além de comemorar o inicio da competição com o pé direito. 

Para o treinador, a Seleção hondurenha ofereceu certa dificuldade, marcando agressivamente. Já sobre o placar elástico - que dá a liderança à equipe francesa -, o treinador considera o resultado perfeito para a estreia.

“Eu acredito que foi um início perfeito para nós, um jogo muito importante. Acredito que tínhamos uma Seleção que jogava com alta qualidade. Defenderam com muita agressividade, e isso foi complicado para nós, apesar de bater na trave duas vezes antes do pênalti para o Karim e a expulsão. No segundo tempo isso mudou, marcamos três gols e foi um bom início para a Seleção”, disse o técnico.

Em relação à atuação destacada de Karim Benzema, Deschamps não poupou elogios, mas fez questão de destacar a atuação geral da equipe.

“Eu acho que Karim foi justamente quem marcou os gols decisivos. Minhas escolhas esta noite tiveram em vista o nosso adversário, que é muito forte. Eu tinha uma linha ofensiva que fazia movimentos rápidos e de força física. Acredito que além do Karim temos outras boas opções. Os jogadores que atuaram pelos lados jogaram muito bem, assim como o meio de campo. Tudo isso nos permitiu desestabilizar Honduras”, afirmou Deschamps.

O treinador também comentou sobre o segundo gol da seleção francesa - o gol contra do goleiro Valladares -, que foi o primeiro a utilizar a nova tecnologia com a bola microchipada.

“Eu acho que é uma boa solução, e o gol foi válido. Entendo a posição dos jogadores Honduras, que estavam nervosos, assim como o público, mas quando se mostra uma imagem deve ser a imagem que justifica o gol e apoia a decisão do árbitro”, disse o técnico.

Sobre as vaias que a Seleção francesa recebeu durante a partida, o comandante se mostrou tranquilo e disse ser normal, além de ressaltar a torcida a favor da França.

“Estamos no Brasil, é a América Latina, e as Seleções latinas estão mais perto de casa. É natural que tenham mais torcedores no estádio, e isso é uma vantagem para eles. Mas também tivemos muitos torcedores no estádio e pudemos ouvi-los”, finalizou Didier.

VAVEL Logo