A história de Kaká no Milan caminha para o fim, e Taarabt é um dos culpados

Há nove meses, a esperançosa torcida do Milan festejava o retorno de Kaká ao clube que o tirou do São Paulo em 2003 para transformá-lo no melhor jogador do mundo em 2007, conquistando, inclusive, a Bola de Ouro da Fifa. No entanto, após uma temporada marcada por lampejos com a maglia rossonera e com um dos maiores pisos salariais do elenco, a permanência do meio-campista para 2014/15 começa a ser discutível no clube italiano.

O desejo de o Milan contratar em definitivo o passe de Adel Taarabt, jovem de 24 anos que chegou do Queens Park Rangers em janeiro rodeado de desconfiança e foi conquistando os torcedores com dribles e atuações carismáticas dentro de campo, estaria aumentando a pressão pela saída do brasileiro, uma vez que reduziria gastos salariais e a diretoria poderia investir no marroquino.

Além de Taarabt, o argentino do Hellas Verona, Juan Iturbe, parece haver encantado Silvio Berlusconi, presidente do Milan, com as belas apresentações com a camisa dos butei na última temporada. Assim, o “manda chuva” de Milanello estaria preparando uma exorbitante proposta de € 25 milhões pelo jogador, que teve seu passe comprado pelo Verona junto ao Porto há pouco tempo. Sem falar em Jérémy Ménez – veio de graça do Paris Saint-Germain e assinou com o clube italiano –, mais um para disputar posição no esperado 4-3-3 que o novo treinador, Filippo Inzaghi, irá implantar no time em 2014/15. Ou seja: dois indícios de que Kaká poderá deixar o rossonero.

Voltando ao assunto que deu origem a este texto. A fim de saber a opinião dos torcedores, o site italiano Milan News, portal que trabalha somente com notícias envolvendo o clube de Milão, apurou nesta segunda-feira (16) uma pesquisa relacionada a quem os leitores preferem que permaneça para a próxima temporada entre Kaká ou Taarabt. O resultado foi surpreendente, e o camisa 23 ganhou de goleada: 86,67% dos torcedores mobilizaram a favor da permanência do marroquino, enquanto apenas 13,31% expressaram o desejo de que o brasileiro fique para 2014/15.

Evidentemente, os torcedores reconhecem o quanto Kaká representou para o Milan entre 2003 a 2009. Não é à toa que durante esse período ele conquistou 11 títulos, entre eles uma Uefa Champions League (2006/07) e um Mundial de Clubes da Fifa (2007). Porém, quando chegou para a última temporada, sem o mesmo vigor físico de tempos de outrora, desgastado fisicamente após duros quatro anos sem conseguir se firmar no Real Madrid, Kaká não foi o mesmo e viveu de altos e baixos. Com isso, seu sonho de poder defender a Seleção Brasileira em sua quarta Copa do Mundo virou utopia.

E ainda assim, há quem diga que o meia merecia estar entre os 23 selecionados de Luiz Felipe Scolari para o Mundial no Brasil, pois daria mais experiência ao time. Não há como negar que Kaká carregou o Milan nas costas em algumas partidas da Serie A 2013/14 e, naquele momento, questionava-se uma possível oportunidade do jogador defender a Seleção. Mas Felipão foi coerente ao não levá-lo, já que Oscar e Willian – ambos do Chelsea –, jogadores da mesma posição de Kaká, estavam bem à sua frente pela vaga e mereciam a convocação.

Em síntese, Kaká voltou para o Milan a fim tentar se recuperar de quatro anos decadentes e sofríveis na Espanha. Em tese, conseguiu. Obteve uma boa sequência de jogos, decidiu algumas partidas e se tornou o líder da equipe dentro de campo ao lado do meio-campista Riccardo Montolivo e do goleiro Christian Abbiati. Porém não conseguiu jogar o suficiente para ser convocado para a Copa do Mundo, e com seu alto salário, € 8 milhões bruto até junho de 2015 – embora ele já tenha abdicado de mais da metade do que ganhava no Real Madrid para retornar ao rossonero em setembro de 2013 –, é bem provável que uma saída para clubes como São Paulo, Grêmio ou Orlando City, da MLS (Major League Soccer), que já manifestaram interesse na contratação do jogador, seja a melhor decisão a ser tomada.

Kaká foi, é, e sempre será um ídolo da torcida rossonera mundo à fora, e todos serão extremamente gratos por tudo que o brasileiro da camisa 22 conquistou no clube. Caso tenha que deixar o clube para que jovens como Taarabt e Iturbe fiquem/cheguem e recoloque o Milan ao topo do futebol mundial, entretanto, a melhor opção é deixar Milão e seguir sua carreira em outro clube.

Grazie per tutti, Kakà!

VAVEL Logo