Pelo Grupo F, Argentina enfrenta Irã em busca da classificação antecipada

Após estrear na Copa do Mundo com vitória, a Argentina entrará em campo neste sábado (21), quando enfrentará o Irã pela segunda rodada do Grupo F. O palco da partida será o Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Esta será a chance da seleção argentina conquistar sua classificação antecipada para a próxima fase da competição.

As equipes tiveram estreias bem diferentes. Os argentinos venceram a Bósnia, no Estádio do Maracanã, por 2 a 1, em um jogo onde a Bósnia surpreendeu pela qualidade de seu futebol. Já os iranianos não saíram do zero a zero contra a Nigéria, na Arena da Baixada, em Curitiba.

É a primeira vez que ambas as equipes se enfrentam em uma competição oficial. A única partida disputada entre os dois países na história foi um amistoso no ano de 1977, ocorrido no Santiago Bernabéu, em Madrid. Na ocasião, o jogo terminou empatado em 1 a 1.

Argentina irá com força máxima para conquistar a classificação

Desta vez, o treinador Alejandro Sabella poderá contar com o plantel argentino completo após a integração de Ángel Di María, que passou por um desgaste muscular e Rodrigo Palacio, recuperado de uma leve lesão. Durante a semana a equipe treinou com Fernando Gago e Gonzalo Higuaín entre os titulares, na formação tática 4-3-3.

A seleção argentina contará assim com todas as variantes possíveis para o duelo contra o Irã. A provável escalação de Sabella para este jogo não começa uma partida como titular desde outubro de 2012. Não havendo nenhum imprevisto, o quarteto-fantástico liderado por Lionel Messi poderá fazer bonito e jogar como gosta.

Os destaques na estreia da equipe no Mundial foram Sergio Romero, que transmitiu segurança ao gol argentino (mesmo levando o gol de Ibisevic); Marcos Rojo, que foi rápido e contundente diante dos adversários; e Gonzalo Higuaín, que entrou no segundo tempo para ser uma presença transcedental ao jogo ofensivo da equipe. Com a entrada de Higuaín e Gago no segundo tempo contra a Bósnia, melhorou o rendimento de Messi em campo, mas deixaram dúvidas sobre a ocupação dos espaços no campo defensivo do time. A qualidade no passe de Fernando Gago foi extremamente importante para que Messi tivesse mais atuação próximo à área adversária, o que não acontecia no primeiro tempo, em que Lionel precisava recuar e buscar a bola para a transição.

Boa parte dos passes de Gago na partida foram para Messi, quase 50% do total. Higuaín, ainda fora de forma devido a temporada com o Napoli, fez o que lhe coube, avançou, conseguiu profundidade e abriu o setor do meio para Messi arrancar e jogar da forma que gosta. E assim saiu o segundo gol argentino no Maracanã.

Sabella confessou ter se sentido muito à vontade ao saber que faria um jogo no Mineirão, pois foi lá que o treinador conquistou o título da Copa Libertadores da América, em 2009, pelo Estudiantes LP e tratou de passar toda a confiaça e superstição para o grupo. E apesar de reconhecer que são superiores aos rivais deste fim de semana, o treinador exaltou a força dos jogadores iranianos, que ele aponta ser um reflexo da cultura de um país que já passou por diversas guerras e luta por momentos gloriosos.

Caso a Argentina vença, deve torcer por um empate entre Nigéria e Bósnia para que assim a equipe garanta a primeira colocação do Grupo F, onde enfrentará o segundo colocado do Grupo E nas oitavas-de-final.

Além da tranquilidade que paira sobre esta partida pelo o lado argentino, uma importante marca pode ser cumprida por Javier Mascherano. O volante chegará ao jogo de número 100 pela albiceleste assim que entrar em campo neste sábado, diante do Irã.

Iranianos reconhecem a missão difícil

A seleção do Irã, comandada há três anos pelo treinador português, Carlos Queiroz, reconhece todo favoritismo e superioridade da Argentina. A equipe iraniana teve menos dias de descanso por ter estreado um dia depois da equipe argentina.

Os asiáticos estão no seu quarto Mundial e correm atrás de um milagre para conseguir um resultado positivo diante da cabeça de chave do grupo. Em entrevista, o treinador do plantel iraniano comentou sobre as estrelas do time argentino e exaltou o talento do camisa 10 da albiceleste.

“Messi poderia ser o melhor jogador do mundo, se fosse humano, como não é um de nós não dá para compará-lo. E todos os outros jogadores da Argentina me preocupam, Di María, Higuaín, Mascherano... Todos são fantásticos”, afirmou o treinador.

Queiroz também declarou que após a Copa do Mundo deixará o cargo na seleção, devido a falta de recurso financeiros por parte do governo. Mesmo com a saída anunciada, Queiroz evita falar sobre o seu futuro e garante estar focado nos jogos da primeira fase da competição a serem realizados.

A Fifa nomeou o árbitro Milorad Mazic para o jogo entre Argentina e Irã. O sérvio foi muito criticado após apitar a partida entre Alemanha e Portugal, pelo Grupo G, no início desta semana. Ainda assim, o juiz parece merecer a confiança da organização e terá a chance de se redimir.

Fora de campo, a partida deste sábado será acompanhada de perto pela Fifa e pelas autoridades brasileiras, que temem uma repetição dos incidentes de quarta-feira (18) no Maracanã, quando torcedores chilenos que estavam sem ingressos armaram uma confusão na tentativa de invasão antes do jogo entre Chile e Espanha. A polícia se encontra em alerta na capital mineira diante da presença de 25 mil argentinos, incluindo barras bravas e pessoas sem ingresso.

VAVEL Logo