Godín marca no fim, Uruguai bate a Itália e se classifica às oitavas de final da Copa do Mundo

No Estádio das Dunas, em Natal, Itália e Uruguai fizeram o jogo mais esperado do Grupo D da Copa do Mundo 2014, nesta terça-feira (24). Precisando vencer a qualquer custo, a Celeste bateu a Squadra Azzurra por 1 a 0 e se classificou para as oitavas de final do Mundial no Brasil. O autor do gol foi Diego Godín.

Com o resultado obtido em Natal, o Uruguai conseguiu se classificar em segundo no Grupo D, com seis pontos, e agora pega a Colômbia, primeira colocada no Grupo C, no próximo sábado (28), no estádio Maracana, em Rio de Janeiro.

A Itália havia começado bem a competição, batendo a Inglaterra por 2 a 1 na estreia, porém fez um péssimo jogo contra a Costa Rica, no segundo jogo dos italianos no Mundial, e perderam por 1 a 0. Já com o Uruguai foi totalmente diferente, visto que perderam o primeiro jogo para a surpreendente Costa Rica por 3 a 1, mas se recuperaram no segundo jogo, quando Suárez chamou a responsabilidade para marcar os dois gols na vitória 2 a 1 sobre a Inglaterra.

Jogando em um 4-1-4-1 durante os dois primeiros jogos, Cesare Prandelli viu-se obrigado a mudar de esquema tático, visto que o desfalque de De Rossi, homem que ficava entre as duas linhas de quatro para dar proteção à linha defensiva, foi cruciou para a alteração tática. Em seu lugar entrou Bonucci, para formar o trio de zaga ao lado de Barzagli e Chiellini. O meio-campo sofreu uma alteração: Thiago Motta deu lugar a Verratti. E a maior alteração ficou por conta do ataque, já que Balotelli e Immobile formaram a dupla de ataque pela primeira vez.

Diferentemente da Itália, Óscar Tábarez, treinador do Uruguai, optou por manter a base do time que venceu a Inglaterra. Jogando em um 4-3-1-2 que varia constantemente ao 4-3-3, as únicas alterações foram a entrada de José Giménez, de 19 anos, na defesa, substituindo o lesionado Diego Lugano.

Primeiro tempo bem truncado; Itália mantém posse de bola, mas Uruguai chega com mais perigo

Os primeiros minutos de jogo foram bem truncados, com os dois times usando muito a força física. A primeira chegada com perigo do jogo veio aos sete minutos, em cobrança de falta de Suárez, mas Buffon foi bem à jogada e espalmou a bola para fora da área. Começando a gostar da partida, Itália respondeu também em cobrança de falta, com Pirlo. Bem de longe, o camisa 21 soltou o foguete, mas Muslera pôs para escanteio.

Aos 15 minutos de jogo, a Itália controlava o meio-campo e a posse de bola (67%). O Uruguai não conseguia dar ritmo ao jogo, e esperava por erros italianos para Cavani e Suárez puxarem contra-ataques. Aos 22 minutos, o temperamental Balotelli cometeu duas faltas com intervalo de um minuto e recebeu ser segundo cartão amarelo – caso a Azzurra passe para as oitavas, Balotelli não joga.

Apagado atrás da marcação de trio defensivo azzurro, Suárez apareceu aos 31 minutos para dar trabalho a Buffon. Pela esquerda, o jogador do Liverpool carregou a bola em diagonal, tabelou com Lodeiro e, quase sem ângulo, tentou a finalizou, mas Buffon conseguiu operar a defesa.

Era evidente o domínio da Squadra Azzurra no meio-campo. Pirlo dava tranquilidade a todos, e o jovem Verratti, candidato a sucessor do camisa 21 italiano no futuro, esbanjava confiança ao passar, tocar, conduzir a bola. Porém, mesmo com a plena supremacia na posse de bola, os italianos não conseguiam chegar ao gol de Muslera. A dupla Balotelli e Immobile parecia não haver ligação, e os dois não conseguiram entrar em sintonia antes do intervalo.

Longe do futebol esperado por todos, o primeiro tempo de ambas as equipes foi muito fraco.

Godín salva o Uruguai faltando 10 minutos para o fim

Com uma alteração de cada lado – na Itália, Parolo no lugar de Balotelli; no Uruguai, Maxi Pereira no lugar de Lodeiro –, as duas seleções voltaram para os 45 minutos finais. Aos 58 minutos, o Uruguai teve a melhor chance do jogo com Rodríguez, que tabelou com Suárez e penetrou à área e finalizou forte de pé esquerdo, mas a bola passou à esquerda de Buffon.

Logo após a jogada de Rodríguez, o árbitro mexicano Marco Rodriguez viu falta dura de Marchisio em Arévalos Ríos e expulsou o camisa 8 italiano, deixando o time de Prandelli com dez jogadores em campo. Assim, os uruguaios foram para cima, e Suárez quase marcou.

Aos 65 minutos, Cavani, mesmo desequilibrado, conseguiu passar para Suárez na entrada da área, que ficou cara a cara com Buffon e finalizou no canto, mas o goleiro da Juventus realizou ótima defesa e espalmou para a linha de fundo. O jogo começava a ficar mais corrido e mais interessante. A fim de tenta segurar a bola no ataque, uma vez que a Itália estava com um jogador a menos, Prandelli sacou Immobile para a entrada de Antonio Cassano. Quatro minutos depois, houve mais uma substituição: Thiago Motta no lugar de Verratti, que se lesionou.

Faltando 10 minutos para o fim da partida, o Uruguai conseguiu abrir o placar. Após cobrança de escanteio de Ramírez, que havia acabado de entrar, Godín subiu no terceiro andar para colocar a Celeste à frente do placar. A torcida celeste presente no Estádio das Dunas foi à loucura com o gol.

Após o gol, a Itália até tentou buscar o empate, mas era tarde demais. Exposta, a defesa italiana quase tomou o segundo com Suárez, mas Bonucci foi bem para a jogada e impediu que o camisa 9 marcasse mais um gol na Copa. Fim de jogo e Uruguai classificado às oitavas de final.

VAVEL Logo