Novo reforço do Barcelona, Bravo quer fazer história contra o Brasil

Nesta quarta-feira, o goleiro Bravo foi anunciado como novo reforço do Barcelona. Mas se engana quem acha que isso é motivo de comemoração. Para ele, pelo menos agora, não é hora de comemorar, e sim de manter o foco na partida contra o Brasil, sábado (28), às 13h (de Brasília), no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, pelas oitavas de final da Copa do Mundo 2014.

"Ir para o Barcelona significa um passo muito importante na minha carreira, mas tomo isso com muita tranquilidade, como tudo na minha vida. Não me tira do meu foco principal que é a seleção e a partida com o Brasil. Claro que me enche de orgulho, mas não é um assunto que vem de hoje. Há tempos existem muitas notícias sobre o assunto”, disse o arqueiro em coletiva na Toca da Raposa II. 

Bravo não quis falar muito sobre sua transferência para o clube catalão e só respondeu perguntas sobre a partida do próximo sábado diante do Brasil. O goleiro chileno avaliou o que espera do confronto pela fase de oitavas de final e aproveitou para tirar parte do peso.

"É como todas as demais partidas que tivemos no Mundial. Nenhuma partida foi fácil, pelo contrário. Independentemente do adversário, nossa principal preocupação é com nós mesmos. Nós sabemos que funcionamos bem no coletivo e podemos ganhar de qualquer seleção", avaliou.

Ciente da pressão em cima do Brasil para conquistar o Mundial em casa, o goleiro não teme qualquer possível erro de arbitragem a favor dos mandantes: "Temos capacidade, jogadores, temos a maneira de ganhar do rival. É uma ocasião histórica e queremos ir adiante."

Temos de jogar como foi contra a Espanha

Brasil e Chile já se enfrentaram três vezes na história da Copa do Mundo e são três vitórias a favor dos brasileiros. Em 1962, o Mundial foi realizado no Chile e o Brasil goleou por 4 a 2. Em 98, na França, nova goleada da seleção canarinho: 4 a 1. Em 2010, na África do Sul, a diferença de gols se repetiu e nova vitória brasileira, desta vez por 3 a 0. Bravo desdenhou do retrospecto.

"O passado fica no passado. Não precisamos remoer isso sempre. Foi duro, claro. Mas temos condições de vencê-los e sabemos disso. Na memória temos o Mundial anterior. Mas isso não nos preocupa. Temos de chegar bem e jogar como foi contra a Espanha, muito sólido, muito bem. Temos condições e confiamos na gente", disse.

Por fim, Bravo aproveitou para fazer uma análise sobre a Seleção Brasileira: "Penso que o Brasil vai atacar. Jogando em sua casa, com toda sua torcida, é lógico que queiram sair para o ataque e conseguir rápido o resultado. Não acho que vão renunciar a esse jogo. Atacando, eles se sentem mais cômodos que defendendo."

VAVEL Logo