Benedikt Höwedes fala da experiência em jogar a Copa do Mundo no Brasil
Capitão do Schalke deu assistência ao gol de Miroslav Klose (Foto: Divulgação / FIFA)

O zagueiro Benedikt Höwedes, do Schalke 04 e que se tornou lateral-esquerdo titular pela Alemanha na Copa do Mundo, falou sobre a emoção em estar no Brasil disputando sua primeira Copa e na consistência de seu futebol para estar entre os 11 jogadores do técnico Joachim Löw, em uma posição que nunca havia jogado até os amistosos que antecederam a competição.

Um dos líderes de seu clube desde as categorias de base, Höwedes explica que seu objetivo no futebol sempre foi ajudar e foi assim que o jogador de 26 anos se tornou zagueiro do Schalke 04, tendo jogado como volante no início de sua carreira, ainda na juventudo, sendo depois recuado para a lateral-direita até se tornar um zagueiro de muita técnica.

"Para mim é indiferente em que posição vou jogar. Nunca fiz segredo de que as minhas maiores qualidades são como zagueiro. Mas se posso ajudar mais a equipe na lateral, fico feliz quando entro em campo e temos sucesso. Na verdade, para mim não importa. Jogo onde precisarem de mim", disse Höwedes.

Muito contestado, juntamente com o técnico da seleção alemã, por estar jogando em uma posição que nunca havia sido testado, Höwedes explica que a tática usada pelo treinador precisava de uma linha com quatro zagueiros e que todas as críticas são normais por estarem em uma competição tão importante.

"É normal que haja discussões antes de uma Copa do Mundo, afinal não é a minha posição normal. Mas o treinador se decidiu por escalar quatro fortes zagueiros em campo. E foi assim. Eu próprio fiz muito bem o meu trabalho nos três jogos, por isso não vejo nenhum espaço para críticas", declarou o capitão do Schalke 04.

O jogador, que esteve presente nos 270 minutos dos três jogos pela fase de grupos, lembrou da contribuição para o histórico 15º gol de Miroslav Klose em Copas do Mundo no empate contra Gana, em Fortaleza. Höwedes foi quem cabeceou a bola que sobrou nos pés do atacante da Lazio para marcar o segundo gol da Alemanha e empatar o jogo.

"Foi alegria pura. Temos vários jogadores altos que podem ser perigosos em cobranças de falta ou escanteio. Da última vez fui o garçom, empatamos um jogo difícil e Klose fez um gol muito importante. Fiquei feliz pela equipe e pelo empate", lembrou o lateral-esquerdo da seleção alemã.

Höwedes também falou sobre o clima da equipe durante a Copa e a amigável relação que todos tem com a Federação Alemã. Para o jogador, todos devem ajudar da sua maneira à deixar o ambiente o mais favorável, para o bem da equipe.

"Temos muitos jogadores experientes, que estão todos dispostos a assumir responsabilidade conjuntamente. E eu faço o mesmo. Obviamente que de uma forma diferente do que ocorre no Schalke. Todos estamos em busca de um objetivo.", finalizou.

Sobre o sonhado título com o tetracampeonato da Alemanha, o atleta explica que todos estão desfrutando cada momento dentro de campo e que a cada hino tocado, a esperança em estar no Maracanã dia 13 de julho aumenta mais ainda. A Alemanha está nas oitavas de final da Copa do Mundo e enfrenta a Argélia, em Porto Alegre no estádio Beira Rio, na próxima segunda-feira (30), às 17h (horário de Brasília).

VAVEL Logo