Schweinsteiger lamenta lesão de Neymar e enaltece trabalho de Joachim Löw

Em entrevista coletiva na manhã deste domingo (6), o meio-campista da Alemanha, Bastian Schweinsteiger, falou sobre a expectativa do jogo contra o Brasil na próxima terça-feira (8) mesmo sem a presença de Neymar, cortado da Copa do Mundo após uma lesão na coluna. Schweinsteiger também exaltou o trabalho de seu treinador, Joachim Löw, dizendo que as escolhas do treinador foram as melhores nas circunstâncias de jogo.

"Inicialmente, gostaria de dizer que todos nós estamos muito tristes por Neymar não poder jogar. É muito triste, devemos nos lamentar se os melhores não estarão em campo, que é onde devem estar. Após perdê-lo, imagino que o Brasil vá unir ainda mais as suas forças em volta de Scolari e Parreira. São treinadores experientes e acredito que a equipe vencedora será aquela que for mais inteligente. Claro que há a vantagem de estar em casa, esse é um dos pontos mais importantes, sem falar nas qualidades individuais dos atletas, mas a juda dos treinadores será fundamental", declarou o jogador.

O jogador do Bayern de Munique também falou do trabalho feito pela seleção alemã nesta Copa do Mundo, exaltando as escolhas do técnico Joachim Löw. Bastian disse que dentro de campo a equipe se encaixou muito bem em todos os jogos que fez e estaria de acordo com uma possível mudança no time, deixando o jogador no banco.

"Eu tenho aceitado plenamente a opinião do treinador Joachim Löw. Ele tomou a decisão certa. Os jogos são bastante desgastantes. Por isso, foi ideal para mim até agora. O clima entre nós sempre foi bom. Não se pode pensar individualmente, mas sim em levar a Alemanha ao título mundial. O coletivo está em primeiro plano e se para isso eu precise ficar no banco, ficarei." , foram as palavras de Schweinsteiger.

O camisa 7 ainda falou da coletividade do time nesta competição, onde todos sabem do seu valor e estão ajudando um ao outro. Além disso, o jogador se mostrou muito a vontade no Brasil mas falou sobre o desgaste físico com as altas temperaturas do país e vê a rotatividade do time uma boa solução para que todos estejam 100%.

"Eu acho que é uma grande vantagem ter essas alternativas no banco de reservas, especialmente com as altas temperaturas no Brasil. Vimos que em todos os jogos as substituições trouxeram um impulso maior. Nós sempre tivemos um bom banco, mas só este ano sentimos o espírito positivo de equipe e isso é exatamente o que precisa para ir mais longe. O clima entre nós jogadores é muito bom, estamos muito focados no jogo contra o Brasil. Claro que queremos ganhar, mas precisamos de mais concentração e isso não se constrói de uma hora para outra", encerrou o jogador.

Brasil e Alemanha se enfrentam na próxima terça-feira (8) em busca da final da Copa do Mundo. O jogo será disputado no Mineirão, em Belo Horizonte. As equipes entram em campo às 17h (de Brasília).

VAVEL Logo