Ligue 1 2014/2015: saiba quem serão os brasileiros a entrar em campo no Francês

Costuma-se dizer que "há brasileiros em todo lugar". Se depender da Ligue 1, esta frase é mais do que verídica. A elite do futebol francês conta com 16 brasileiros no total, os quais estão distribuídos em 11 times - ou seja, mais da metade dos integrantes do campeonato tem pelo menos um "brazuca" no elenco. A equipe "mais brasileira" é o PSG: cinco no total. Conheça cada um dos que integrarão a primeira divisão da França. Alguns nomes são bastante conhecidos; outros, nem tanto.

Apodi - Bastia

Foto: Divulgação/SC Bastia

Único clube da Ilha da Córsega na edição 2014/2015 da Ligue 1, o Bastia conta com apenas um jogador sul-americano em seu elenco: o brasileiro Luiz Diallisson de Souza Alves. O nome não nos é familiar, mas o apelido sim: Apodi, nome da sua cidade natal, localizada no Rio Grande do Norte. Apesar da pouca idade (27 anos), o lateral-direito já é bastante rodado e adquiriu experiência ao longo da carreira.

Surgiu como um jogador promissor no Vitória, pelo qual atuou entre 2005 e 2007, marcando três gols em 67 jogos. Sua velocidade e sua vulnerabilidade às faltas eram suas principais características. Foi vendido ao Cruzeiro, onde não repetiu as boas atuações que lhe consagraram no rubro-negro baiano e logo foi emprestado a outros clubes. Passou por Santos, São Caetano, Guarani e Ceará. Nesse intervalo de tempo, voltou ao Vitória e também vestiu a camisa do Bahia, rival do clube que o revelou. No exterior, já defendeu o japonês Tokyo Verdy e os mexicanos Querétaro e Delfines.

Assinou com o Bastia em julho deste ano e pela primeira vez jogará em um clube europeu, algo inimaginável há alguns anos. Apodi espera ter o mesmo sucesso de Magno Novaes, goleiro brasileiro que defendeu o Bastia por cinco temporadas e tornou-se ídolo da equipe. Por enquanto, é só um sonho.

Mariano - Bordeaux

Mais um lateral-direito na lista: Mariano Ferreira Filho, de 28 anos, do Bordeaux. Foi revelado pelo Guarani e colecionou passagens pelo futebol mineiro, defendendo Ipatinga, Tombense, Cruzeiro e Atlético Mineiro. Em 2008, Mariano foi dispensado do Galo por indisciplina, após ter sido flagrado numa balada com os colegas de time Calisto e Lenílson na véspera de uma importante partida contra o Palmeiras.

Em 2009, Mariano foi contratado pelo Fluminense e, visto com maus olhos devido ao passado sombrio, teve um início difícil no clube, mas apresentou futebol na reta final da temporada, ajudando o time a escapar do rebaixamento de forma heróica e a chegar à final da Copa Sul-Americana. No ano seguinte, foi campeão brasileiro com o tricolor carioca e foi eleito o melhor lateral-direito da competição pela renomada Revista Placar, chegando a colecionar convocações à Seleção Brasileira. Atraiu o interesse de clubes do exterior, tendo sido vendido ao Bordeaux em 2011.

Nos Girondins, o defensor costuma ser titular e ainda domina os mesmos artifícios que lhe consagraram nos tempos de Fluminense: a resistência física, a velocidade e a ambidestria, que lhe dá inúmeras opções de cruzamento, infiltração e finalização. Pelos marine et blanc, conquistou a Coupe de France da temporada 2012/2013. Balançou as redes em duas oportunidades e já entrou em campo 107 vezes.

Jussiê - Bordeaux

Outro brasileiro que defende o Bordeaux é o atacante Jussiê Ferreira Vieira (31), sendo este também um jogador que coleciona inúmeras atuações pelo clube da cidade homônima. Revelado pelo Cruzeiro, clube pelo qual atuou de 2001 a 2004 - em 2003, foi emprestado ao Kashiwa Reysol, do Japão - e conquistou o Brasileirão e a Copa do Brasil de 2003, os Estaduais de 2002, 2003 e 2004 e a Copa Sul-Minas de 2001, Jussiê joga na França desde 2005, quando foi vendido ao Lens. Vestiu a camisa dos Sang et Or até 2007, tendo marcado 15 gols em 89 jogos. Desde então, é peça importante do elenco do FCGB.

Com a camisa dos Girondins, Jussiê já conquistou cinco títulos: uma Ligue 1 (2008/2009), duas Coupe de la Ligue (2006/2007 e 2008/2009), uma Coupe de France (2012/2013) e uma Supercopa da França (2009). Saiu do clube apenas em 2013, ano em que foi emprestado ao Al-Wasl, dos Emirados Árabes Unidos. Desde que voltou ao Bordeaux, tem sofrido com lesões e não é mais o grande protagonista de outros tempos. Até o presente momento, são 44 gols em 228 partidas com a camisa dos marine et blanc., números que ressaltaram sua fama de finalizador nato.

Na atual temporada, Jussiê almeja espantar de vez o fantasma das contusões e ajudar sua equipe a voltar a conquistar títulos em território francês.

Felipe Saad - Caen

O zagueiro Felipe Patavino Saad (30) é mais um brasileiro de longa data no futebol francês: joga na França desde 2007, época em que transferiu-se para o Guingamp depois de ter se destacado no Vitória, onde ascendeu ao profissionalismo e conquistou os Estaduais de 2002, 2003 e 2004 e o Nordestão de 2003, e no Paysandu, pelo qual foi campeão paraense em 2005, e de ter recebido poucas oportunidades no Botafogo, onde participou da conquista do Carioca 2006.

Fez parte do histórico time do EAG que conquistou a Coupe de France em 2009, primeiro título nacional de ponta do clube. Depois do rebaixamento dos rubro-negros à terceira divisão na temporada seguinte, mudou-se para o Évian, onde também protagonizou um acontecimento histórico: ajudou os rosados a conquistarem a inédita taça da Ligue 2 em 2011, marcando gol no jogo do título, uma vitória por 4 a 3 sobre o Metz.

Dois anos depois. Felipe Saad ajudou mais um clube francês a subir de divisão: o Caen. E por ele jogará a atual temporada da Ligue 1, competição da qual já adquiriu certa experiência, defendendo o Ajaccio na temporada 2012/2013. Agora, o defensor central terá como missão ajudar o modesto Caen a permanecer na elite.

Lucas Mendes - Olympique de Marseille

O jovem Lucas Michel Mendes veste a camisa do Olympique de Marseille, um dos mais vitoriosos clubes franceses, desde 2012, depois de ter passado quatro temporadas e meia no Coritiba, por quem atuou em 139 jogos e conquistou quatro Campeonatos Paranaenses (2008, 2010, 2011 e 2012), além de uma Série B (2010).

Lucas Mendes tem 24 anos e atua originalmente como lateral-esquerdo, podendo jogar também na posição de zagueiro. Versátil, deve ser peça importante da equipe que a partir desta temporada será treinada pelo renomado técnico argentino Marcelo Bielsa. Na temporada passada, foi titular em diversos jogos, mas frequentou o banco de reservas nas rodadas finais.

Fabinho - Monaco

Um dos jogadores mais promissores da atual geração brasileira, Fábio Henrique Tavares, mais conhecido como Fabinho, atua como lateral-direito e defende o Monaco por empréstimo concedido pelo Rio Ave, de Portugal. Jogou nas categorias de base do Paulínia e do Fluminense e foi ao exterior logo cedo. O jovem de 20 anos também coleciona passagens pelos times A e B do Real Madrid.

Em sua primeira temporada no clube monegasco, Fabinho deixou boa impressão e detém até o presente momento 30 partidas e um gol pelo time do principado. A expectativa é de que o defensor mantenha as boas atuações em 2014/2015, o que seria de enorme valia para uma equipe que almeja voltar a conquistar títulos.

Vitorino Hilton - Montpellier

Foto: Icon Sport

O veterano Vitorino Hilton da Silva, de 36 anos, joga nos gramados franceses desde 2004, quando foi emprestado ao Bastia pelo Servette, da Suíça, onde estava desde 2002. No Brasil, foi revelado pela Chapecoense e também atuou pelo Paraná Clube, onde conquistou o Módulo Amarelo - equivalente à segunda divisão - da polêmica Copa João Havelange de 2000.

Depois do Bastia, o zagueiro passou por longas estadias no Lens (2004 a 2008) e no Olympique de Marseille (2008 a 2011). No OM, participou da última época vitoriosa do clube, conquistando duas Coupe de la Ligue (2009/2010 e 2010/2011), uma Ligue 1 (2009/2010) e uma Supercopa (2010). Na temporada 2011/2012, Vitorino Hilton chegou ao Montpellier, seu clube até os dias atuais. Logo em seu primeiro ano no clube da cidade homônima, protagonizou um dos maiores marcos recentes do futebol francês ao ser peça importante do inédito título da Ligue 1 - àquela altura, o MHSC desbancou o favorito PSG.

Vitorino também pode atuar como volante devido à sua facilidade para criar jogadas. Tamanha importância para La Paillade lhe rendeu a braçadeira de capitão. O "xerifão" espera ajudar seus companheiros a terem melhor atuação nesta temporada - em 2013/2014, o MHSC ocupou a modesta 15ª colocação.

Thiago Silva - PSG

Capitão do PSG e da Seleção Brasileira, Thiago Emiliano da Silva (29) é uma das estrelas do bilionário Paris Saint-Germain, atual bicampeão e favorito ao tri da Ligue 1.

Cria do Fluminense, o zagueiro passou por uma história de superação. Após se destacar pelo Juventude e ser vendido ao Porto, de Portugal, Thiago Silva sofreu com problemas respiratórios e com contusões; quando estava no Dynamo Moscou, foi diagnosticado com tuberculose e passou quatro meses internado, não chegando a atuar pelo clube da capital russa. Voltou ao Brasil, para jogar no Fluminense, e voltou à boa forma: conquistou a Copa do Brasil de 2007 e foi finalista da Libertadores de 2008. Seu chute forte com a perna direita e seus desarmes precisos eram sua marca registrada - e são até hoje.

Em dezembro daquele ano, foi negocionado com o Milan. Em Milão, as auações de alto nível seguiam rotineiras e o defensor foi campeão da Serie A em 2010/2011 e da Supercopa da Itália em 2011. Um ano depois, foi vendido ao PSG. Se já era dono da braçadeira de capitão no Rossonero, continua sendo nos Parisiens. Sua extrema importância para a zaga dos comandados de Laurent Blanc é inegável.

David Luiz - PSG

O defensor mais caro do mundo é brasileiro e pertence ao PSG. David Luiz Moreira Marinho (27) pode jogar tanto como zagueiro quanto como volante e é, também, o vice-capitão da Seleção Brasileira. Começou a carreira num Vitória afundado em crise e na Série C, mas foi subindo os degraus junto com o time: depois de ajudar o Leão da Barra a subir para a Série B, foi emprestado ao Benfica em 2007. Não começou bem nos Encarnados, mas foi evoluindo aos poucos e o clube português adquiriu seus direitos federativos.

Em Portugal, conquistou a Primeira Liga em 2009/2010 e a Taça da Liga em 2008/2009 e 2009/2010 e caiu nas graças da torcida benfiquista. Em 2011, mudou-se para o Chelsea, onde conquistaria um título nacional, a FA Cup de 2011/2012, e dois continentais, a Uefa Champions League de 2011/2012 e a Uefa Europa League de 2012/2013. Depois de alternar entre a titularidade e a reserva em 2013/2014, David Luiz transferiu-se para o PSG, onde jogará ao lado de uma legião de brasileiros. A transferência rendeu 50 milhões de libras aos cofres dos Blues.

Provável companheiro de Thiago Silva na zaga titular dos parisienses, David não deve ter dificuldades para se adaptar e será uma das inúmeras armas para os rouge et blanc conquistarem mais taças.

Marquinhos - PSG

Marcos Aoás Corrêa, o Marquinhos, é, igualmente a Fabinho, do Monaco, um dos defensores brasileiros mais promissores da atualidade. O zagueiro de 20 anos, que já jogou no Corinthians e na Roma, alterna entre os postos de titular e reserva no PSG. Com a chegada de David Luiz, enfrentará uma concorrência maior, mesmo com a saída de Alex, e até se especula que ele estaria forçando uma saída, mas nada concreto. O jogador, que também pode atuar como lateral-direito, continua no elenco parisiense e deve integrá-lo durante a temporada.

Figura carimbada nas seleções de base do Brasil, Marquinhos já foi convocado até para a seleção principal, o que, assim muitos esperam, seja seu futuro destino.

Maxwell - PSG

Assim como Thiago Silva e David Luiz, Maxwell Scherrer Cabelino Andrade fez parte da delegação da Canarinho que ficou no "salgado" quarto lugar na Copa do Mundo disputada no Brasil este ano. Experiente, o lateral-esquerdo de 32 anos está no PSG desde 2012 e é figura conhecida no futebol europeu, já tendo atuado por Ajax, Internazionale de Milão e Barcelona. Foi revelado pelo Cruzeiro em 2000.

Maxwell detém 10 campeonatos nacionais (duas Eredivisies, três Series A, três Las Ligas e duas Ligue 1), seis copas nacionais (uma Copa do Brasil, duas KNVB-Beker, uma Coppa Italia, uma Copa del Rey e uma Coupe de la Ligue) e oito supercopas (duas da Holanda, duas da Itália, três da Espanha e uma da França) pelos clubes por onde passou. Discreto e conhecido por fazer o "feijão com arroz", será peça fundamental para integrar o elenco do bilionário Paris Saint-Germain. Também chama a atenção o fato de o lateral integrar elencos extremamente vitoriosos.

Lucas - PSG

Foto: Getty Images

Lucas Rodrigues Moura da Silva, de 21 anos, é outro jovem atleta que integra a lista. Ex-integrante das categorias de base do Juventus da Mooca e do Corinthians, tornou-se profissional no São Paulo, onde se destacou desde muito cedo e começou a ser apontado como uma das grandes promessas do futebol brasileiro.

Depois de conquistar a Copa Sul-Americana de 2012, partiu rumo a Paris para assinar com o PSG, clube que desembolsou 43 milhões de euros para tirá-lo do tricolor paulista. Desde então, integra o elenco que vem dominando o futebol francês com dois títulos consecutivos da Ligue 1 e dois seguidos da Supercopa, além de uma taça da Coupe de la Ligue.

Lucas é meia-atacante e atua pelos lados do campo. Nunca foi titular absoluto devido à forte concorrência nos setores ofensivos da equipe e costuma entrar no decorrer dos jogos. Para conquistar a titularidade e voltar a ser convocado pela Seleção Brasileira - esteve na Copa das Confederações de 2013, torneio conquistado pelo Brasil, mas não foi chamado para a Copa do Mundo de 2014 -, terá que batalhar muito. Se para jogador tudo é questão de tempo, resta-lhe justificar o panorama.

Diego Rigonato - Stade de Reims

Foto: Divulgação/LFP

Nome desconhecido para a maioria dos brasileiros, Diego Rigonato Rodrigues jogou nas categorias de base do Rio Branco de Americana, da União Barbarense e do São Paulo. Profissionalmente, iniciou a carreira no Inter Club Korea e passou pelo Itararé, de onde partiu para o futebol europeu - de forma precoce, aos 18 anos. Iniciou sua caminhada no Velho Continente no Budapest Honvéd, da Hungria.

Sua boa performance no tradicional clube húngaro, pelo qual colecionou boas atuações no campeonato nacional e conquistou a Magyar Kupa (Copa da Hungria) de 2008/2009, lhe rendeu uma transferência para o Tours, da segunda divisão francesa, em 2010. Após duas temporadas proveitosas no TFC, Diego Rigonato mudou-se para o Stade de Reims, clube então recém-promovido à Ligue 1.

O meio-campista de 26 anos conquistou seu espaço no Reims e as estatísticas apontam cinco gols em 37 confrontos. Certamente continuará sendo peça-chave na atual temporada.

Pedro Henrique - Rennes

Outro nome raro entre os tabloides brasileiros é o do meia Pedro Henrique Konzen Medina da Silva (24), do Stade Rennais. Revelado pelo Caxias, foi pra Europa já aos 22 anos, para defender o Zürich, da Suíça. Os 13 gols em 73 jogos e o bom desempenho em território suíço despertaram o interesse do Rennes e Pedro Henrique chega com o objetivo de conquistar seu espaço no time para, quem sabe, tornar-se mais conhecido entre os seus patriotas.

William Matheus - Toulouse

William Matheus da Silva, também de 24 anos, acertou sua ida ao Toulouse recentemente. Mesmo jovem, já é um jogador bastante rodado: revelado pelo Figueirense, também já defendeu Botafogo-DF, Tombense, Democrata de Governador Valadares, Boca Júnior-SE, Bahia, Vasco e Goiás. William Matheus teve maior destaque no Esmeraldino do Planalto Central e transferiu-se para o Palmeiras, no qual também foi conquistando espaço. Em território francês, o lateral-esquerdo respirará novos ares e buscará alçar voos maiores.

O curioso caso de Brandão - Saint-Étienne ou Bastia?

Foto: AFP via Getty Images

Durante a janela de transferências, um caso inusitado tem chamado a atenção. O atacante Evaeverson Lemos da Silva, apelidado de Brandão, teve seu contrato com o Saint-Étienne encerrado e acertou sua ida para o Bastia. Entretanto, o clube da Córsega, dias depois, voltou atrás da decisão e anunciou que o avançado não faria mais parte de seu elenco.

O SCB alegou que o ASSE cobrou uma taxa de transferência que até então não estava prevista na negociação. Os Verts negaram o fato e, de quebra, alfinetaram os compatriotas por uma negociação antiga, envolvendo o zagueiro Sylvain Marchal, acusando que o Bastia ainda lhe devia dinheiro pela transferência.

O paradeiro de Brandão ainda está indefinido. Fala-se que os clubes envolvidos ainda tentam decidir a situação e que há chances até mesmo de o atacante reintegrar o grupo alviverde.

O veterano de 34 anos, ex-Grêmio Maringá, União Bandeirante, Iraty, São Caetano, Cruzeiro e Grêmio, é ídolo do Shakhtar Donetsk, do Olympique de Marseille e do próprio Saint-Étienne, tendo conquistado diversos títulos por eles. No Shakhtar, foi três vezes campeão da Premier League, duas da copa nacional e duas da supercopa. No OM, adquiriu uma taça da Ligue 1, duas da Coupe de la Ligue e uma da Supercopa. No Sainté, ajudou o time a sair de uma fila de mais de três décadas sem um título de ponta ao marcar o gol do título da Coupe de la Ligue 2012/2013.

VAVEL Logo