Ligue 1 2014/2015: dez perguntas a serem respondidas ao longo da temporada
Competição começa nesse final de semana (Foto: VAVEL.com)

Ligue 1 2014/2015: dez perguntas a serem respondidas ao longo da temporada

Competição se inicia repleta de atrativos, e nós separamos para você alguns pontos que merecem sua atenção

luisfranciscoprates
Luís Francisco Prates

Às vésperas do pontapé inicial da temporada 2014/2015 da Ligue 1, é normal que perguntas relacionadas à futura edição do campeonato sejam feitas. As respostas, evidentemente, virão no decorrer do certame. Reunimos as perguntas mais pertinentes que farão valer a pena ver a competição de perto.

Os promovidos da Ligue 2 irão corresponder?

Em 2013/2014, pela primeira vez desde a temporada 2005/2006, nenhum clube promovido foi rebaixado. Há oito anos, Le Mans e Nancy ficaram colados na classificação (11º e 12º colocados, respectivamente) e o Troyes (17º) escapou da degola somente nas rodadas finais. Neste ano, o endinheirado Monaco obteve o vice-campeonato, ficando atrás somente do PSG, outro clube que recebe amplo investimento financeiro, enquanto Nantes e Guingamp militaram, respectivamente na 13ª e 16ª posições.

As equipes promovidas para a edição 2014/2015 da maior competição do futebol francês foram Metz, Lens e Caen, três clubes que nos últimos anos não conseguiram manter longas sequências na elite local e ganharam a fama de "times ioiôs", subindo e caindo de divisão constantemente. O Metz, inclusive, militava no Championnat National, a terceira divisão, há duas temporadas. A estes times ficam os difíceis desafios de se manterem na primeira divisão e afastarem a fatídica fama que lhes foi concedida recentemente.

A loucura de Bielsa é o suficiente para resgatar o Marseille?

Foto: Getty Images

Um dos maiores campeões nacionais, o Olympique de Marseille não obteve classificação para alguma competição europeia na última temporada e terá que acompanhar a Champions League e a Europa League pela TV este ano. Além do mais, as duas últimas participações continentais do OM não foram nada satisfatórias. Na UEL 2012/2013, foi o terceiro colocado do Grupo C, atrás de Fenerbahçe e Borussia Mönchengladbach e à frente apenas do AEL Limassol; na UCL 2013/2014, foi sorteado no "Grupo da Morte", o F, que também contava com Borussia Dortmund, Arsenal e Napoli, e ficou na última colocação, sendo derrotado em todos os seis jogos desta fase.

Para a temporada 2014/2015, os Phocéens acertaram com o argentino Marcelo Bielsa, que fez bons trabalhos no Newell's Old Boys, no Vélez Sársfield, na seleção chilena e no Athletic Bilbao, para o comando técnico. Bielsa, que também já dirigiu o selecionado da Argentina, é popularmente conhecido como "El Loco" por priorizar um futebol extremamente ofensivo e por reunir histórias inusitadas. É uma aposta de peso do Marseille, que quer retornar aos tempos gloriosos e ser uma ameaça aos endinheirados PSG e Monaco. Levando em conta os retrospectos recentes do sudaca, a torcida marselhesa tem motivos para ficar otimista.

Quem vai ajudar o seu clube a encher os seus cofres ao fim da temporada?

A Ligue 1 tem sido uma ótima "ponte" para ligas mais badaladas (Premier League, La Liga e Bundesliga), e os jogadores saem a preço caro, gerando elevado lucro aos clubes onde despontam. O exemplo mais recente é o do colombiano James Rodríguez, artilheiro da Copa do Mundo de 2014 com seis gols, que rendeu 80 milhões de euros ao Monaco ao se transferir para o Real Madrid, atual campeão da Uefa Champions League. No ano passado, quem tomou conta dos holofotes foi o francês naturalizado gabonês Pierre-Emerick Aubameyang, que deixou o Saint-Étienne, maior campeão francês, e foi ao Borussia Dortmund pelo expressivo preço de 13 milhões de euros.

Para esta temporada, vale a pena ficar de olho em jovens jogadores como o atacante cabo-verdiano Ryan Mendes (24), do Lille, os meia-atacantes franceses Romain Hamouma (27), do Saint-Étienne, e Florian Thauvin (21), do Olympique de Marseille, o avançado francês Alexandre Lacazette (23), do Lyon, entre outros.

Sagnol pode fazer o Bordeaux vingar novamente?

Desde o título da Ligue 1 de 2008/2009, a campanha mais relevante do Bordeaux na elite do futebol francês foi o quinto lugar de 2011/2012. De lá para cá, as taças conquistadas foram a Coupe de la Ligue em 2009, ao golear o modesto Vannes por 4 a 0 na decisão, o Trophée des Champions de 2009, após vitória sobre o Lyon nos pênaltis, e a Coupe de France em 2013, depois de vencer o surpreendente Évian por 3 a 2.

Com a saída de Francis Gillot, que estava no comando desde junho de 2011, os Girondins agora apostam em Willy Sagnol, ex-jogador de Saint-Étienne, Monaco, Bayern de Munique e seleção francesa. O jovem treinador de 37 anos estava na seleção francesa sub-21 e aceitou o desafio proposto pelos marine et blanc. Anteriormente, o Bordeaux havia entrado em contato com Zinedine Zidane, ex-jogador do clube, mas não obteve êxito nas negociações e partiu para o "plano B". Um ex-atleta que saiba motivar seus comandados e esteja disposto a despontar na área técnica é a arma do FCGB para voltar aos bons tempos no cenário nacional.

Ibrahimovic dos recordes?

Eleito o melhor jogador em atividade em solo francês nas duas últimas temporadas, o sueco Zlatan Ibrahimovic detém, até o presente momento, uma impressionante marca de 78 gols em 93 jogos pelo Paris Saint-Germain, média de 0,83 tentos por partida. O atacante está a 31 gols do lendário ex-avançado português Pedro Miguel Pauleta, maior artilheiro da história dos parisienses. Levando em conta que o nórdico balançou as redes em 40 oportunidades na temporada passada, ele poderá alcançar o topo já na que está por vir, se mantiver o nível.

Outro desafio para Ibrahimovic é se tornar o primeiro jogador eleito o melhor em terras francesas por três temporadas consecutivas, algo não tão difícil de se imaginar. Logo no primeiro jogo de 2014/2015, Ibra marcou os dois gols que deram à sua equipe o título da Supercopa Francesa frente ao Guingamp. Motivação não faltará ao craque do PSG.

Foto: Getty Images

Vagas europeias ficarão nas mãos de quais equipes?

Nos últimos cinco anos, 12 times diferentes ficaram com as vagas para a Champions League e para a Europa League via Ligue 1: PSG, Monaco, Lille, Saint-Étienne, Lyon, Olympique de Marseille, Montpellier, Nice, Bordeaux, Sochaux, Rennes e Auxerre. Destes, dois militam na Ligue 2 atualmente: Sochaux, rebaixado este ano, e Auxerre, relegado em 2012.

É difícil imaginar que essa extensa lista contenha um "novato" nesta temporada e que os classificados paras as competições europeias fujam desses nomes, mas times como Bastia e Lorient estão com nomes de peso - os atacantes Djibril Cissé e Jordan Ayew, respectivamente - em seus elencos e podem pintar como surpresas da competição. Enquanto Cissé (32), que veio em janeiro, estava no Kuban Krasnodar, da Rússia, Ayew (22), um dos destaques de Gana na última Copa do Mundo, pertencia ao Olympique de Marseille e estava emprestado ao Sochaux.

Quem vai ser a terceira força do país?

Com os endinheirados PSG e Monaco muito à frente em questões financeiras, é normal que eles sejam os mais cotados para a briga pelo caneco da primeira divisão francesa. Mas e a terceira força, aquele time que vem atrás desses dois favoritos, lhes dão trabalho e acaba ficando com a última vaga destinada à UCL? Na temporada passada, tal posto ficou com o Lille, que brigou ferrenhamente com o Saint-Étienne pela presença no pódio e, no final das contas, somou dois pontos a mais que o concorrente: 71 a 69.

O panorama atual coloca o Olympique de Marseille como favorito à terceira posição. Com a chegada de Bielsa e o bom aproveitamento nos amistosos (vitórias de 4 a 1 sobre o Bayer Leverkusen, 5 a 0 sobre o Willem II e 3 a 1 sobre o Chievo Verona e um empate em 1 a 1 com o Bari), os Phocéens ganham força e ânimo após uma temporada decepcionante. Entretanto, os tradicionais Lille, Saint-Étienne, Lyon e Bordeaux prometem deixar a tarefa do OM bem mais complicada.

Meio-campo do Monaco será órfão de James Rodríguez?

Foto: Getty Images

Uma ótima temporada no Monaco e grandes atuações na Copa do Mundo as quais lhe concederam a artilharia do certame foram o suficiente para colocar o colombiano James Rodríguez nos holofotes e levá-lo ao poderoso Real Madrid. Pelos monegascos, o jovem de 23 anos colecionou 10 gols e 14 assistências em 38 jogos. No Envigado, no Banfield e no FC Porto, James também teve ótimas performances, mas é inegável que o momento atual é o melhor de sua carreira.

Líder de passes a gol da última edição da Ligue 1 - foram 12 no total -, o meia deixará uma enorme lacuna em sua ex-equipe e, agora, resta conferir se o setor será órfão do sul-americano nesta temporada ou se alguém conseguirá suprir a ausência de Rodríguez. Hoje, o meio-campo conta com os franceses Jérémy ToulalanGeoffrey KondogbiaTiemoué Bakayoko, o argentino Lucas Ocampos, o marroquino Nabil Dirar, o português João Moutinho e o belga Yannick Ferreira Carrasco. Toulalan, inclusive, é o capitão da equipe e, portanto, terá uma responsabilidade a mais em relação aos seus companheiros nesta temporada de extrema importância para os Rouges et Blancs, com Champions League, Ligue 1, Coupe de France e Coupe de la Ligue em disputa.

David Luiz, Thiago Silva e Marquinhos: como será a zaga brasileira do PSG?

O Paris Saint-Germain desembolsou 50 milhões de libras para adquirir o zagueiro brasileiro David Luiz (27), que estava no Chelsea, e ainda conta com outros brasileiros na posição: o capitão Thiago Silva (29) e o jovem e promissor Marquinhos (20). Este último deve ir para o banco de reservas, tendo em vista que os outros dois compartilham um renomado entrosamento desde os tempos de Seleção Brasileira, o que não diminui sua importância para o grupo. A liderança de Thiago e o alto investimento por David são outros fatores que pesam a favor deles.

A verdade é que a concorrência para o setor ficará mais acirrada e o técnico Laurent Blanc terá um leque de possibilidades para armar a defesa parisiense.

Foto: Getty Images

Alguém destrona o Paris Saint-Germain?

Campeão das duas últimas edições, o PSG vem com a mesma base para mais uma temporada e dificilmente sua hegemonia será quebrada. Somente uma grande surpresa nível Montpellier da temporada 2011/2012 pode tirar mais uma taça da capital federal. Nem o endinheirado Monaco é visto com a mesma força para chegar ao título, pois o bilionário russo Dmitry Rybolovlev, proprietário do clube do principado, se separou de Elena Rybolovleva e está dividindo metade de sua fortuna com a ex-esposa, cessando, dessa forma, os gastos exorbitantes de outrora com a equipe.

VAVEL Logo