Juventus arranca empate do Real Madrid e retorna à decisão da Champions após 12 anos

O clássico entre Real Madrid e Juventus pelas semifinais da Uefa Champions League prometia muito. O resultado do jogo de ida, vencido pela Juventus por 2 a 1, contribuiu ainda mais para a tensão da partida de volta, a ser realizada em Madrid. Os retornos dos franceses Pogba, pela Juve, e Benzema, pelo Real, foram um ingrediente a mais para um jogo ainda melhor, já que os dois são importantíssimos para suas equipes. O centroavante merengue teve excelente atuação e Pogba foi decisivo ao dar o passe para o gol da classificação do seu time.

O time da casa não decepcionou quem esperava uma equipe ofensiva, que se lançaria ao ataque buscando o gol a todo momento, colhendo os frutos desse comportamento logo aos 21 minutos da primeira etapa, com o placar aberto por Cristiano Ronaldo, de pênalti. A penalidade foi bem contestada por jogadores da Juve, que tentaram convencer o árbitro de que James Rodríguez havia dobrado os joelhos antes mesmo de receber qualquer contato. O gol de empate da Juve, que nunca desistiu, marcado por Morata, veio de uma cobrança de falta também muito discutível. Quanto à arbitragem do sueco Jonas Eriksson, ambas as equipes poderiam reclamar de lances decisivos.

Ao fim da partida, depois de muita pressão do Real Madrid, a Juventus, que soube se defender magistralmente, conseguiu se classificar novamente para a final da competição mais importante de todo o continente europeu, depois de 12 anos. Na temporada 2002/03, os bianconeri acabaram sendo vice-campeões ao perder nos pênaltis para o Milan. Os campeões italianos agora terão até o dia 6 de junho para se preparar para a grande partida do clube na temporada. Já os merengues terão que reconstruir-se para o jogo contra o Espanyol, no fim de semana, ainda tentando o título da Liga BBVA.

Real pressiona muito no começo do jogo e Ronaldo marca de pênalti

Com um ataque considerado por muitos como um dos melhores do mundo e precisando do resultado, o Real Madrid não poderia começar a partida de outra forma que não atacando. Os donos da casa se mandaram à frente e logo no começo, antes mesmo do primeiro minuto de jogo, Bale já teve uma boa oportunidade, cabeceando por cima do travessão. Benzema, que reforçava o Real, fez linda jogada dentro da área, girando pra cima de Lichtsteiner, mas finalizou mal. A Juve respondeu com um chute de longe de Arturo Vidal, obrigando o goleiro Casillas a fazer boa defesa. Logo depois do susto, os merengues acordaram e partiram para uma pressão muito forte, não deixando de atacar um minuto sequer.

Gareth Bale seguiu o exemplo do meia da Juventus e também resolveu arriscar de muito longe e obrigou Buffon a fazer uma linda defesa para evitar a abertura do placar. E pouco tempo depois, foi a vez de James Rodríguez chegar próximo do gol. Recebendo passe de Cristiano Ronaldo, o colombiano dominou dentro da área, foi derrubado por Chiellini e o árbitro marcou o pênalti duvidoso, pois o camisa 10 merengue pareceu buscar o contato dobrando os joelhos antes do toque. Na cobrança, Buffon caiu para o canto direito e Ronaldo bateu no meio, abrindo o placar, para delírio da torcida no Santiago Bernabéu. Gol importante para o português, que desperdiçou uma cobrança na partida do clube pelo Liga BBVA no fim de semana e se redimiu da falha.

E após o gol, o panorama da partida não mudou muito, pois o Real Madrid, mesmo já tendo o placar necessário para se classificar à final da competição, continuou pressionando em busca do segundo gol. A Velha Senhora tentava sair nos contra ataques, mas não conseguiu ameaçar a meta merengue, já que a defesa do time da casa anulava as tentativas com Tévez e Morata. Enquanto isso, Cristiano Ronaldo e Benzema comandavam o ataque dos madrilenhos. Buffon teve que salvar sua equipe numa finalização do camisa 9 adversário em jogada de velocidade, que foi a melhor opção para superar a defesa italiana, mais lenta que os atacantes do Real. O domínio do time da casa foi notado no número de finalizações, com os merengues finalizando 13 vezes, contra apenas dois chutes a gol dos visitantes.

Morata volta a marcar contra seu ex-time e classifica a Juventus para Berlim

A segunda etapa começou com o Real Madrid pressionando bastante a saída de bola da Juventus, não dando espaços para a equipe italiana, buscando marcar o segundo gol. A Juve, no entanto, acabou por encontrar espaços e chegou bem com finalização de Marchisio de fora da área, passando próximo do gol de Casillas. E ainda no começo do segundo tempo, Vidal caiu pelo lado direito e o juiz marcou falta em cima do chileno. No levantamento pra área, a defesa afastou e o próprio Vidal lançou Pogba dentro da área. O francês escorou para Morata, que dominou e, como bom camisa 9, não desperdiçou a oportunidade, empatando a partida, marcando seu segundo gol contra o clube que o formou como jogador, em dois jogos.

Depois de sofrer o gol de empate, os merengues criaram novas oportunidades, sendo a principal delas numa linda jogada que contou com a participação de James Rodríguez e Marcelo. O colombiano recebeu na entrada da área e rolou de calcanhar para o lateral brasileiro cruzar e achar Bale quase na risca da pequena área. O galês finalizou de primeira e só não marcou porque Chiellini desviou. Mas o time italiano mostrou que não se defenderia, apenas. Vidal recebeu pelo centro do campo e tocou para Marchisio, livre, decidir cara a cara com Casillas. O meia da Juve tentou bater colocado, mas o goleiro espanhol fez uma defesa brilhante para evitar a virada. Na sequência, Bale ainda perdeu outra grande oportunidade depois de cruzamento de Cristiano Ronaldo. O lado direito da defesa bianconera era completamente envolvido pelos adversários.

Faltando pouco menos de 15 minutos para o fim, o técnico da Juve, Massimiliano Allegri, resolveu armar a retranca para tentar segurar o resultado, ao colocar Barzagli em campo no lugar de Andrea Pirlo, passando a jogar com três zagueiros, apostando no contra-ataque contra uma equipe que se lançava por completo ao ataque e tentava finalizações de longa distância e cruzamentos das laterais para a área, que eram evitados pela alta defesa dos bianconeri. Já nos últimos cinco minutos, Llorente deu um presente para Pogba, deixando Varane no chão e rolando para o camisa 6, que dominou e tinha tudo para marcar o gol da virada, mas Casillas fez novamente uma grande defesa, mantendo a esperança madrilenha viva.

No entanto, mesmo com Sergio Ramos jogando como centroavante e o time todo no campo de ataque, as tentativas merengues eram rechaçadas pela equipe italiana e Buffon trabalhava bem quando exigido. Com muita raça, o time italiano soube jogar com o resultado debaixo do braço e, no último minuto, gastou todo o tempo possível na lateral do campo, com Tévez e Llorente. E por ali terminou a partida, para vibração efusiva do seu capitão, que agora tem a chance de ganhar o único título que ainda não conseguiu conquistar em sua carreira.

VAVEL Logo