Destaque da Roma nas cobranças de falta, Pjanic revela ter Juninho Pernambucano como mentor
Foto: Filippo Monteforte/AFP

A boa campanha da Roma na Serie A se deve muito ao coletivo, visto que a equipe mostra não ser dependente de apenas um jogador para se manter no caminho das vitórias. Depois de um começo irregular, o time parece ter se encaixado e os giallorossi já ocupam a segunda colocação do campeonato, ficando atrás apenas da Fiorentina, próximo adversário do clube na Serie A.

Portanto, se os romanistas conseguirem uma vitória sobre a Viola no Artemio Franchi na próxima rodada, a liderança passará a ser da equipe da capital italiana. Além disso, o clube enfrenta o Bayer Leverkusen hoje (20) em busca de uma vaga na próxima fase da Uefa Champions League e o Bayer pode ser o adversário direto do clube nessa luta.

Uma das grandes esperanças do elenco é o bósnio Miralem Pjanic, que tem sido aplaudido de pé por torcedores e companheiros por suas atuações nessa temporada, sendo decisivo em muitas partidas, principalmente com gols de falta, como os marcados contra o Empoli, no último jogo da equipe e contra a Juventus, abrindo o placar em ambas as vitórias.

Pjanic tem um aproveitamento excelente nas bolas paradas e é um dos melhores cobradores da Serie A recentemente. Desde que chegou à Roma, na temporada 2011/12, Pjanic marcou dez gols de falta, sendo o segundo maior goleador nesse quesito, ficando atrás apenas do veterano Andrea Pirlo. No entanto, Pjanic divide a responsabilidade das cobranças com Totti, quando o Capitano está em campo, ao contrário de Pirlo, que sempre foi o principal cobrador de faltas da Juventus.

O bósnio faz questão de exaltar um mentor que teve nos tempos de Lyon, o brasileiro Juninho Pernambucano, referência para muitos dos grandes cobradores de falta atuais. Para Pjanic, no entanto, o estilo de sua cobrança é diferente das de Juninho: "Meu professor foi o Juninho, mas minhas cobranças são diferentes das cobranças dele. Ele fazia a bola dançar no ar, assim como o Pirlo".

Miralem também reforçou que os números são fruto de muito treinamento. O melhor cobrador de faltas da Europa, com três gols de bola parada nesse começo de temporada, afirmou que esse aproveitamento não é por acaso: "Eu sempre pratico as cobranças no treinamento para aprimorar a precisão. Nunca foco na direção que a bola toma, porque assim posso cobrar as faltas de qualquer lugar do campo", afirmou o bósnio.

VAVEL Logo