Bélgica mostra forças na segunda etapa e vence Itália de virada

Nesta sexta-feira (13), em Bruxelas, a Bélgica venceu, com sustos, a Itália por 3 a 1, com gols de Vertonghen, De Bruyne e Batshuayi para os belgas, após Candreva ter aberto o placar para os italianos, em amistoso oficial. O amistoso serve de preparação para a Euro 2016, que será disputada em território francês, e foi usado também como homenagens pela Tragédia de Heysel, que vitimou 39 torcedores após uma briga entre torcedores de Juventus e Liverpool antes da final da Uefa Champions League da temporada 1984-85. 

Ambas as seleções voltarão a campo durante a semana, para fechar a temporada de jogos de seleções, na terça-feira (17). Enquanto a Bélgica receberá a Espanha em casa, a Itália também receberá em casa a Romênia, em Bologna.

Itália sai na frente, mas Bélgica iguala minutos depois

Aos 2 minutos, a Itália saiu na frente. Candreva dá belo lançamento para Florenzi que chuta cruzado para a área, Pelle chuta pro gol, Mignolet defendeu, mas no rebote, o próprio Candreva chega para completar para o fundo das redes. Os italianos continuaram a atacar aos 11, quando quase aconteceuo segundo gol italiano com Candreva. O meia ganhou disputa com Cavanda e bateu firme para o gol, mas MIgnolet fez uma defesaça e evitou o tento. Mas aos 13, em cobrança de escanteio batida por De Bruyne, Vertonghen cabeceia livre para o fundo do gol, sem chances para o goleiro. Era o empate belga.

O jogo era bem movimentado até ali, com as duas equipes buscando o gol adversário a todo momento. Os belgas tiveram boa oportunidade aos 24, em boa jogada de De Bruyne que toca para Witsel que tenta o cruzamento, mas a defesa italiana afasta. Aos 39 minutos, a marca da partida: Nesse momento, o jogo foi paralisado em homanagem as 39 vítimas da tragédia de Heysel em 1985. Todos os presentes no estádio estão aplaudindo de pé. Desde então, a Bélgica atacou mais, mas não conseguia ser efetiva, enquanto a Itália se defendia. 

Bélgica vira e garante a vitória

A Bélgica dominou na segunda etapa: voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva, a equipe fica mais com a bola e pressionava a Itália em seu campo. E a pressão deu resultado. A Bélgica atacava mais. Mas mesmo assim, aos 16, quase a Itália desempata a partida com Eder que recebeu passe de Soriano e finalizou na trave, no rebote, a bola veio um pouco alta e ele finalizou pra fora, já na pequena área.

A pressão voltou a fazer efeito. Aos 27, De Bruyne faz cruzamento venenoso, a bola atravessa toda a área e passa muito perto do gol. E logo os belgas marcariam 2 minutos depois, quando Bonucci era a saída de bola, Hazard toca para Bathsuayi que chute e Buffon faz uma bela defesa, mas a bola sobra para De Bruyne que chuta mascado e a bola morre no fundo das redes. É a virada belga em Bruxelas. 

Os belgas matariam o jogo aos 37, quando Ferreira Carrasco faz ótima jogada na frente da área e toca para Batshuayi que chuta de primeira e marca o terceiro gol belga. Era o gol da vitória, o gol para chancelar os gritos de olé que vinham a cada toque de bola no estádio King Baudouin. Toque de bola que duraria até o apito final do árbitro polonês.

VAVEL Logo