Torcedores do Liverpool mortos na tragédia de Hillsborough são considerados inocentes

O futebol inglês convive, desde 1989, com uma tragédia mal resolvida em sua história. No dia 15 de abril daquele ano, o Liverpool enfrentava o Nottingham Forest no estádio de Hillsborough, em Sheffield, em partida válida pela Copa da Inglaterra. Os torcedores visitantes do Liverpool acabaram se atrasando para o jogo devido a uma série de circunstâncias e só tinham acesso à uma entrada para o estádio. As arquibancadas estavam superlotadas e o gargalo formado acabou prensando torcedores que estavam perto das grades que ficam próximas ao campo e 96 pessoas morreram.

Desde então, parte da imprensa e a polícia declaravam que os próprios torcedores eram os culpados pela tragédia. Na manhã desta terça-feira (26), porém, o júri da cidade inglesa de Warrington decidiu que os torcedores não tem culpa no ocorrido, desfazendo o veredito dado ainda em 1991 sobre o fato. O júri apontou ainda que houve negligência policial.

A decisão não busca um julgamento para eventuais responsáveis, mas sim o apontamento de quem pode ser responsabilizado pelas 96 mortes. Desde que o primeiro veredito foi lançado, em 1991, as famílias das 96 vítimas lutavam para desvincular a culpa do nome de seus familiares.

Após o “sim” do juiz quanto a ilegalidade das mortes em Hillsborough, houve bastante emoção em frente ao júri de Warrington. As famílias das vítimas, que acompanharam todo o processo, se emocionaram, se abraçaram e cantaram “You’ll Never Walk Alone”, famosa canção da torcida do Liverpool.

O veredito do júri não aponta condenações ou punições a qualquer pessoa mas, uma vez apontado que houve negligência por parte dos policiais, nada impede que um processo seja aberto contra eles.

Pelo Twitter, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, endossou o alívio que a decisão representa para a Inglaterra como um todo. “Dia histórico porque a investigação de Hillsborough constitui um ato de justiça esperado por muito tempo.”, escreveu David.

Em nota divulgada no site oficial dos Reds, o principal executivo do Liverpool, Ian Ayre, afirmou que aceita de bom grado a decisão judicial e que o veredicto foi um alento a toda a jornada dolorosa dos parentes dos torcedores mortos, além dos sobreviventes à tragédia.

"O Liverpool saúda a decisão do júri que, de uma vez por todas, provaram que nossos torcedores não eram de forma alguma responsáveis pelo que aconteceu em Hillsborough. Vamos sempre lembrar a bravura altruísta e heroísmo dos muitos fãs que ajudaram seus colegas adeptos na mais angustiante das circunstâncias daquele dia. Tem sido uma jornada dolorosa para as famílias e para os sobreviventes, que sofreram e se sacrificaram por tanto tempo. Sua conduta e ações ao longo de sua luta trouxe orgulho para a cidade de Liverpool e servirá como um tributo duradouro para as vítimas. Os 96 homens, mulheres e crianças que foram ilegalmente mortos em Hillsborough nunca será esquecido", afirmou a publicação.

VAVEL Logo