Proprietária do Rennes, família Pinault possui fortuna maior que donos de PSG e Monaco

Na quarta posição da Ligue 1, o Rennes está tendo uma temporada muito positiva. Porém, poucos sabem que por de trás das campanhas dos Rouges et Noirs, está o Groupe Artemis, que investe no clube para que mantenham a competitividade na elite do futebol francês. O mais curioso, é que o dono deste grupo é o quarto homem mais rico da França, François-Henri Pinault, que possui uma fortuna de 11,3 bilhões de euros, sendo mais rico que os donos de Monaco e Paris Saint-Germain, além de outros grandes clubes europeus. 

O bilionário controla diversas marcas de luxo, como GucciStella McCartney, Alexander McQueen e Yves Saint Laurent. Porém, além do amor pelos negócios, François também é apaixonado por futebol, sendo torcedor do clube da cidade em que nasceu, o Stade Rennais Football Club, investindo nele desde 1993. Apesar de ter sido considerado o segundo dono de um time mais rico do mundo, os investimentos no Rennes não possuem as mesmas quantidades do que as dos rivais Paris Saint-Germain e Monaco.

Dmitry Rybolovlev, presidente do clube do principado, possui uma fortuna de 9,5 bilhões de euros. Já Tamim bin Hamad Al Thani, dono do PSG, tem uma fortuna de 2,5 bilhões de euros. Afinal, já que François Pinault é mais rico que ambos, porque o Rennes não conseguiu trazer nenhuma estrela do futebol mundial? Como faz constantemente o Paris Saint-Germain, ou porque não briga por títulos? A respostas é simples: a fortuna da família Pinault está acumulada mais em bens do que em dinheiro, por causa disso, o Rennes não possui investimentos tão pesados quanto os rivais.

No livro Supporters du Stade Rennais, em uma das raras entrevistas de François-Henri Pinault, o bilionário que se tornou dono do clube a partir de 1998, deixou claro suas intenções com os Rouges et Noirs: "A nossa abordagem não tem nada a ver com uma questão financeira", disse ele: "Trata-se de paixão. É quase patrocínio", afirmou. Em outra passagem do livro, ele diz: "A nossa abordagem não é a mesma que a do Sr. Abramovich com o Chelsea. Nós não comprarmos o Stade Rennes para torná-lo o melhor clube. Em 1998, meu pai decidiu investir no Stade Rennais. Sua vontade? Dando a volta à Grã-Bretanha que ela nos deu. Esta cidade merece um time de futebol ambicioso, que dá orgulho para seu povo", concluiu.

A opinião dos torcedores sobre o mandato da família Pinault se dividem, porém, graças aos investimentos, conseguiram salvar o Rennes de uma grave instabilidade financeira nos anos 90. No mesmo ponto, sua torcida não precisa se preocupar com o futuro do clube. mas também não esperam que um dia surpreendam e conquistem de forma inédita a Ligue 1.

Segundo o livro, os torcedores deixam bem claro que o futebol para a família Pinault é apenas um hobby, não necessariamente uma obsessão ou prioridade que precisam ter. Em contrapartida, após algumas temporadas terminando no meio da tabela, o desempenhos dos alvinegros na Ligue 1 está dando esperanças aos torcedores para um 2017 melhor, quem sabe até brigar pelo título ou por uma vaga nas competições internacionais. 

VAVEL Logo