CAN 2017: Gana avança às quartas de final e Egito elimina Uganda

No encerramento da segunda rodada da fase de grupos, neste sábado (21), no Stade de Port-Gentil, a Copa Africana de Nações de 2017 conheceu mais uma seleção classificada às quartas de final e a primeira eliminada. Graças à vitória de 1 a 0 sobre o Mali, Gana se juntou ao líder do Grupo B, o Senegal, entre as equipes que seguem na maior competição do futebol africano. No outro jogo do Grupo D, o Egito, que estreou com empate sem gols frente ao Mali, bateu a Uganda pela mesma contagem. Beneficiada pela derrota malinesa, a maior campeã da África deu importante passo rumo ao mata-mata. O resultado também deu ponto final a quaisquer chances de classificação dos ugandenses, derrotados por Gana pelo mesmo placar na estreia.

Às 17h (horário de Brasília) da próxima quarta-feira (25), na última jornada da primeira fase, também em Port-Gentil, as Estrelas Negras, que têm seis pontos, disputarão a liderança da chave com os Faraós, os quais somam quatro pontos. Um empate é o suficiente para os egípcios avançarem de fase.

Já a matemática para a classificação das Águias, que têm apenas um ponto, é a seguinte: os malineses terão de vencer a eliminada Uganda - cuja pontuação está zerada - nos mesmos dia e horário, no Stade d'Oyem, e torcer para Gana ganhar do Egito.

Caso o Mali faça a sua parte e o duelo entre ganeses e egípcios termine empatado, a segunda vaga do Grupo D nas quartas de final da CAN 2017 será definida no saldo de gols, já que os concorrentes estão empatados no primeiro critério de desempate, o confronto direto. No entanto, se também houver igualdade no saldo, no número de gols marcados e na quantidade de gols sofridos, o vice-líder será definido em sorteio. Na CAN 2015, sediada no Gabão, o Mali se deparou com essa situação e acabou perdendo para a Guiné no sorteio.

Gana supera Mali e está nas quartas

Gana venceu o Mali pelo placar mínimo (Foto: Justin Tallis/AFP/Getty Images)

A seleção ganesa tomou a iniciativa e desperdiçou chances claras de gol com os irmãos Jordan Ayew e André Ayew. Quem abnu o placar foi o interminável atacante Asamoah Gyan, que defende seu país desde 2003. O jogador, cujo passe pertence ao clube chinês Shanghai SIPG e está emprestado ao Al-Ahli Dubai, dos Emirados Árabes Unidos, recebeu cruzamento na medida de Jordan Ayew e, entre dois defensores, cabeceou para o gol.

Com o tento anotado aos 20 minutos de partida, Gyan se tornou o maior artilheiro de Gana na história da Copa Africana. Além de capitão do plantel, ele também já era o jogador que mais vezes vestiu a camisa da equipe e o maior goleador da história da seleção.

A blitz das Estrelas Negras continuou. Christian Atsu teve tentativas bloqueadas pela defesa e pelo goleiro Oumar Sissoko.

Quando a peleja foi retomada, foram as Águias quem tiveram mais volume de jogo. Marega, Yatabaré. Sako, Bissouma e Salif bombardearam a meta do goleiro Brimah Razak.

O técnico de Gana, o israelense Avram Grant (ao centro), apreensivo durante a partida contra o Mali (Foto: Justin Tallis/AFP/Getty Images

Gana, por sua vez, levava perigo em contragolpes e na bola parada. De resto, foi bastante pressionada. E salva pelo seu paredão. O arqueiro do Córdoba, da segunda divisão espanhola, correspondeu enquanto foi exigido e evitou uma possível reviravolta malinesa.

A classificação dos ganeses foi suada, mas veio.

Egito vence e despacha Uganda com gol aos 44 minutos do segundo tempo

O gol da vitória do Egito frente à Uganda foi assinado pelo atacante Abdallah El-Said (Foto: Justin Tallis/AFP/Getty Images)

O duelo entre egípcios e ugandenses começou truncado. O Egito tinha maior posse de bola, mas não conseguia executar sua proposta de jogo em decorrência da forte e compacta marcação do adversário. A primeira chance clara de gol do jogo veio dos pés do atacante Mohamed Salah, que mandou pela linha de fundo.

Sem o mesmo poderio ofensivo dos egípcios, a Uganda deu pouco trabalho ao veterano El-Hadary - na primeira rodada, o arqueiro de 44 anos se tornou o jogador mais velho a entrar em campo na CAN ao substituir o goleiro titular Ahmed El-Shenawy, que saiu lesionado, e ocupa a titularidade enquanto o dono da posição se recupera da contusão. A primeira oportunidade dos Cranes veio somente aos 34 minutos, com o meia Farouk Myia. Outro chute para fora.

No último minuto da primeira etapa, Salah obrigou o goleiro Denis Onyango a fazer grande defesa.

Aos seis minutos do segundo tempo, os Faraós tomaram um susto. Em jogada de bola parada, os ugandenses chegaram a balançar as redes com o lateral-esquerdo Joseph Ochaya. Contudo, a arbitragem flagrou o defensor em posição irregular e anulou o gol.

Uganda é a primeira seleção eliminada da Copa Africana de Nações de 2017 (Foto: Justin Tallis/AFP/Getty Images)

O lance animou os vice-campeões africanos de 1978, que obrigaram El-Hadary a fazer boas defesas aos 12 minutos, em falta cobrada por Myia, e aos 16, novamente com Myia, em finalização com a bola rolando. O Egito respondeu no minuto seguinte com El-Said, que acabara de entrar. Ele desperdiçou grande chance de inaugurar o marcador.

O ritmo do jogo esfriou com o passar dos minutos. A seleção egípcia retomou o controle do duelo, mas voltou a esbarrar na encardida defesa ugandense.

O gol da vitória demorou, mas saiu: aos 44 minutos, Kahraba saiu pela esquerda e encontrou Salah livre de marcação dentro da área. Ele deixou a bola para o atacante Abdallah El-Said, que veio de trás e mandou uma bomba para o fundo das redes.

Herói da noite, o jogador do clube mais vitorioso do Egito, o Al-Ahly, deixou o seu país muito perto das quartas de final da Copa Africana e manteve vivo o sonho do octacampeonato continental. À Uganda restou a lamentação pela eliminação precoce.

Relembre a segunda rodada do Grupo A
Relembre a segunda rodada do Grupo B
Relembre a segunda rodada do Grupo C

Confira os jogos da terceira e última rodada da fase de grupos da CAN 2017:

Grupo A

Domingo (22/01)
17h* - Camarões (1º) x Gabão (2º) - Stade de l'Amitié, em Libreville
17h* - Guiné-Bissau (4º) x Burkina Faso (3º) - Stade de Franceville, em Franceville

Grupo B

Segunda-feira (23/01)
17h* - Senegal (1º) x Argélia (3º) - Stade de Franceville, em Franceville
17h* - Zimbábue (4º) x Tunísia (2º) - Stade de l'Amitié, em Libreville

Grupo C

Terça-feira (24/01)
17h* - Marrocos (2º) x Costa do Marfim (3º) - Stade d'Oyem, em Oyem
17h* - Togo (4º) x República Democrática do Congo (1º) - Stade de Port-Gentil, em Port-Gentil

Grupo D

Quarta-feira (25/01)
17h* - Egito (2º) x Gana (1º) - Stade de Port-Gentil, em Port-Gentil
17h* - Uganda (4º) x Mali (3º) - Stade d'Oyem, em Oyem

* Horário de Brasília

VAVEL Logo