Barcelona joga mal, sofre contra Leganés, mas Messi garante vitória com gol de pênalti no fim
Messi, que não comemorou gol da vitória, cumprimenta Neymar (Foto: Reuters)

O gol de Lionel Messi logo aos quatro minutos de jogo deu a impressão de que o Barcelona atropelaria o modesto Leganés, neste domingo (19), no Camp Nou, pela 23ª rodada do Campeonato Espanhol. Mas, na sequência do jogo, a equipe catalã voltou a apresentar um desempenho muito fraco. No segundo tempo, os pepineros empataram com Unai López. Aos 44 minutos, porém, Neymar sofreu pênalti, o camisa 10 converteu, garantiu a vitória super apertada por 2 a 1 a favor dos comandados de Luis Enrique e se isolou na artilharia da liga (19 gols contra 18 de Suárez).

O resultado ainda deixa o Barça vivo na disputa pelo título nacional. Com 52 pontos, os blaugranas ocupam a segunda posição, um ponto atrás do líder Real Madrid, que tem duas partidas a menos. Por outro lado, o pequeno clube da capital segue ladeira abaixo: é 17º colocado, com 18 pontos, dois acima da zona de rebaixamento.

Na próxima rodada (24ª), o time do trio MSN encara ninguém menos que o Atlético de Madrid, no Vicente Calderón, a partir das 12h15 de domingo (26). Um dia antes, o Leganés recebe o Deportivo La Coruña, em Butarque, às 14h30.

Neymar fez bom jogo e cavou pênalti no final (Foto: Reuters)

Gol no começo e queda de rendimento

Ainda sofrendo as consequências do massacre sofrido diante do PSG pela Uefa Champions League, o Barcelona entrou em campo com o trio MSN, mas sem Piqué, Jordi Alba e Iniesta. Com a bola rolando, o placar foi aberto aos três minutos e deu a impressão de que os mandantes conquistariam um triunfo tranquilo no Camp Nou. Neymar acionou Suárez e o uruguaio cruzou da esquerda com açúcar para Messi só escorar na pequena área: 1 a 0.

O gol não mudou o panorama do jogo. Bem fechado e negando espaços pelo meio ao Barça, o Leganés não cedia chances para a dilatação do marcador. Aos 10, em falta lateral, Messi tentou surpreender o goleiro Herrerín mas mandou com muita força. Aos 16 minutos, veio a primeira escapada rápida dos pepineros. El Zhar recebeu lançamento perfeito, invadiu a área e teve a finalização travada por Ter Stegen. No rebote, ele mesmo arrumou uma brecha e concluiu rasteiro, firme. Se não fosse a grande defesa do goleiro alemão, o 1 a 1 teria subido no placar.

Aos 27 minutos, em momento no qual o confronto já era sonolento, quase saiu o segundo. Messi teve rara liberdade e passou para Suárez, que devolveu. Na área, o argentino ajeitou e arrematou de perna esquerda, mas Herrerín salvou. Em seguida, o camisa 10 fez linda jogada na meia-lua e sofreu falta de Mantovani. A cobrança, dele mesmo, carimbou a barreira.

Antes do intervalo, o zagueiro e capitão do Lega, Mantovani, teve oportunidade de empatar com cabeçada após escanteio, porém mandou alto demais. No lance seguinte, Neymar recebeu de Rafinha e soltou uma pancada de longe, nas mãos de Herrerín. Aí, aos 45 minutos, El Zhar chutou da intermediária pegando sobra de escanteio afastado, a bola desviou em Umtiti e só não morreu nas redes porque Ter Stegen teve um reflexo apurado para mudar de direção e dar um tapa.

Leganés cresce e empata, mas sofre gol de Messi quase nos acréscimos

O período nos vestiários poderia ter resultado em uma melhora, ao menos anímica, no Barcelona. Não foi o que aconteceu. A equipe de Luis Enrique seguia travada, perdida, sem conseguir trocar os passes verticais tão fundamentais para furar uma defesa compactada e recuada. Observando que era possível aprontar em pleno Camp Nou, os comandados de Asier Garitano começaram a esfregar - ainda mais - as mãos.

Aos nove minutos, Umtiti vacilou e o atacante Guerrero saiu na cara de Ter Stegen. A finalização cruzada do camisa 9 foi muito bem defendida pelo arqueiro, com o pé esquerdo. Em lances fortuitos, os culés respondiam - e levavam perigo através da qualidade individual. Aos 13, Messi tocou para Neymar e o brasileiro bateu para defesa do goleiro. Depois, foi a vez de Rafinha desperdiçar um gol, ao invadir a área e parar duas vezes em Herrerín.

Aí, aos 25, o merecido castigo. Há seis minutos em campo, Unai López foi acionado pelo venezuelano Machís na altura da marca do pênalti após falha de Sergi Roberto e finalizou de primeira. Pego no contrapé, Stegen não conseguiu evitar a igualdade: 1 a 1. O gol desencadeou muitas vaias no estádio barcelonista. E também fez com que o criticado Luis Enrique chamasse Iniesta - que completou 400 partidas pelo Barça na Liga, Denis Suárez e Jordi Alba ao jogo, tirando André Gomes, Rafinha e Digne.

Nada surtiu efeito. Aos 30, Messi sofreu falta na entrada da área e cobrou com muita força, por cima. O Lega ainda assustou aos 36, quando o brasileiro Gabriel desviou com o peito um levantamento da direita, que Ter Stegen defendeu. Mas quem tem três jogadores de nível absurdo no ataque pode descolar uma vitória do nada. E foi o que aconteceu. Com 43 minutos no relógio, Neymar partiu para cima de Mantovani e foi derrubado: pênalti claro apitado pelo árbitro Iglesias Villanueva. Na cobrança, Messi não titubeou, bateu alto, na ''bochecha'' da rede e não deu chances a Herrerín, que até acertou o canto: 2 a 1. Tanto em campo como no banco de reservas, a expressão dos jogadores do Barça se manteve absolutamente séria, praticamente sem comemorações.

Encerrando uma atuação memorável, apesar do revés, os pepineros ainda estiveram muito próximos de um novo empate. Aproveitando a fragilidade do Barça, a equipe de Garitano partiu para a pressão final nos acréscimos. Aos 48 minutos, mais uma vez El Zhar levou um imenso azar. Ele pegou sobra de escanteio, dominou sozinho, ajeitou e mandou uma bomba, gelando o Camp Nou. A redonda, caprichosamente, beliscou a trave direita de Stegen e saiu. Fim de jogo e vitória culé, com um gosto extremamente amargo.

VAVEL Logo