Renovação de Donnarumma, reforços e volta à Europa: nova diretoria do Milan é apresentada
David Ha LI, Yonghong Li e Marco Fassone durante a apresentação na Casa Milan, sede do clube (Foto: Divulgação/Milan)

O reinado chinês na direção do Milan começou. Dono da Rossoneri Sport Investment Luxembourg, empresa que adquiriu 99,93% das ações da agremiação italiana, Yonghong Li tomou posse do cargo de presidente do Milan na manhã desta sexta-feira (14), na sede do clube. Em entrevista coletiva, Li exaltou o novo CEO rossonero, Marco Fassone, que também estava presente na sala de imprensa.
 
Temos uma grande responsabilidade, bem como as expectativas dos torcedores ao redor do mundo que exclamam ‘Força, Milan’. Queremos profissionais que possam dedicar às suas próprias áreas. Fassone irá desenvolver o trabalho para construir o Milan do futuro, ele é o melhor candidato para ser o CEO do futuro. Com sua orientação em gestão, o Milan será sempre melhor. Temos de ser competitivos no mundo, todos os torcedores devem amar o Milan”, disse o mandatário.

Yonghong sucede Silvio Berlusconi na presidência do Milan (Foto: Divulgação/Milan)
Yonghong sucede Silvio Berlusconi na presidência do Milan (Foto: Divulgação/Milan)

Após a declaração de Li, Fassone ficou com a palavra. Com passagens pelas diretorias de Juventus, Napoli e Internazionale, Fassone começou falando sobre um novo contrato para o goleiro Gianluigi Donnarumma. O jovem arqueiro, que completou 18 anos em fevereiro, tem vínculo com os rossoneri até junho de 2018 e vem chamando a atenção de grandes clubes europeus. Segundo Fassone, a renovação do jogador é uma das prioridades da nova direção.

Posso confirmar que, como parte da nossa propriedade, há toda vontade de resolver o mais rápido possível essa questão, fazendo de Donnarumma uma coluna para o futuro. Existem contratos e discussões a serem tidas, e certamente faremos disso uma prioridade”, assegurou.

Fassone frisou o desejo de levar o Milan de volta à Uefa Champions League. Os rossoneri não disputam a competição continental há três anos. “A ideia é retornar o mais rápido possível à Champions League. A nossa ausência dessa competição é muito longa. A Uefa nos deu uma assistência com o fato de que na próxima temporada os quatro primeiros colocados [da Serie A] irão à Champions League. O objetivo é participar na temporada 2018/19”, enfatizou.

Fassone promete trabalho duro para voltar o Milan de volta à Champions League (Foto: Divulgação/Milan)
Fassone promete trabalho duro para recolocar o Milan na Champions League (Foto: Divulgação/Milan)

O novo CEO do Milan optou por não falar em nomes de jogadores que possam reforçar o plantel na próxima janela de transferência. Mas afirmou que irá se reunir que o treinador Vincenzo Montella para traçar perfis de atletas compatíveis com o que o técnico almeja para o futuro.

Tivemos reuniões, temos ideias claras, o ponto crucial será colocado em uma mesa com Montella, porque as nossas ideias devem desenvolver seus conceitos. O orçamento é importante, e existe plena confiança em Montella. Será um orçamento importante para o mercado. O objetivo dos próximos anos é construir um Milan muito competitivo e ambicioso”, projetou o cartola, que rechaçou a possibilidade de trocar Montella por Roberto Mancini, ex-treinador da Inter, como a imprensa italiana havia especulado nos últimos dias.

Yonghong Li e Marco Fassone assumem os cargos de Silvio Berlusconi e Adriano Galliani, respectivamente, na liderança do Milan. A empresa Rossoneri Sport Investment Luxembourg, que pertence a Li, comprou 99,93% das cotas do clube por € 740 milhões (cerca de R$ 2,5 bilhões na cotação atual).

VAVEL Logo