Guia VAVEL da Copa das Confederações: Camarões
Arte: Hugo Alves/Editoria de Arte/VAVEL.com

Estabelecida nos anos 90 como potência do futebol africano, a seleção de Camarões conquistou a manutenção de tal posto quando Samuel Eto’o ascendeu no esporte, colocando o país no topo do continente. Contudo, os Lions não ganhavam a Copa das Nações Africanas desde 2002, dois anos depois de ter ganhado o ouro na Olimpíada de Sidney. Vencedor do certame continental de 2017, o time será o representante da África na Copa das Confederações deste ano, realizada na Rússia. Será a segunda vez que estará no torneio e buscará refazer o sucesso da primeira vez, em 2003, quando foi vice-campeão.

Destaques

Os grandes nomes de Camarões acabam dividindo espaço entre si neste posto. Vincent Aboubakar, atacante do Besiktas e Nicolas Nkoulou, zagueiro do Lyon, são os nomes em que a seleção espera se basear no sentido de liderança para o time, equilibrado no que diz respeito à média de idade. O atacante citado começou a fase final da Afcon no banco de reservas, mas entrou em todos os jogos e marcou o gol do título contra o Egito na final. Já o defensor, é o capitão da equipe e forma uma sólida zaga com Michael Ngadeu-Ngadjui.

Foto: Salah Habibi / Getty Images
Foto: Salah Habibi / Getty Images

FIQUE DE OLHO: Christian Bassogog, meia-atacante do Henan Jianye, da China. O jovem de apenas 21 anos foi a surpresa positiva do país na campanha do título da Afcon deste ano. O atleta foi nomeado o melhor jogador do torneio e esteve presente no melhor XI do certame, contribuindo ferozmente par a o triunfo. A Copa das Confederações pode ser a grande vitrine do jogador, que até agora não teve seu talento aproveitado pelos grandes.

Foto: Gabriel Bouys / Getty Images
Foto: Gabriel Bouys / Getty Images

O técnico

O treinador dos Lions é o belga Hugo Broos, que assumiu a seleção em 2016, já tendo conquistado um título importante. O ex-jogador tem hoje 65 anos e treinou três grandes forças do futebol de seu país: o Genk, Anderlecht e o Club Brugge, sendo esse último o que ficou mais tempo. De títulos importantes antes de assumir o Camarões, ele venceu duas vezes a primeira divisão belga, em 1992 e 1996, além da Copa da Bélgica em 95 e 96.

Foto: Corbis Sport / Visionhaus / Getty Images
Foto: Corbis Sport / Visionhaus / Getty Images

Como chegou na Copa das Confederações

Para poder participar da fase final da Copa das Nações Africanas, Camarões precisou vencer o grupo M da qualificação para tal parte do torneio. Nele, teve de enfrentar África do Sul, Mauritânia e Gâmbia. Sem grandes dificuldades, terminou sua participação com 14 pontos em seis jogos, sendo quatro vitórias e dois empates, garantindo assim o direito de disputar a fase de grupos da Afcon, coisa que a Nigéria, por exemplo, não atingiu.

Já na fase de grupos, foi-se necessário uma luta maior para avançar de fase. Os Leões caíram no grupo A, junto com os anfitriões Gabão, Guiné-Bissau e Burkina Faso. Dois empates e uma vitória asseguraram a segunda colocação do grupo, com cinco pontos, mesma pontuação do líder Burkina Faso, que ganhou tal posto pelo saldo de gols ter sido favorável. Os donos da casa terminaram a fase em terceiro com três pontos e Guiné-Bissau completou em último com um.

Foto: Anadolu Agency / Getty Images
Foto: Anadolu Agency / Getty Images

Nas quartas de final, a equipe enfrentou a seleção de Senegal, em um jogo bastante disputado. Após empate sem gols no tempo normal e prorrogação, a decisão sobre quem iria à semifinal do torneio seria por pênaltis. Após perfeitos 4 a 4 nos primeiros quatro chutes de cada equipe, Sadio Mané errou o quinto para Senegal e Aboubakar marcou para garantir a vaga nos quatro melhores.

Em outro jogo pegado, Camarões e Gana fizeram uma das semifinais da competição. Os Lions, porém, saíram vitoriosos depois de vencer os rivais por 2 a 0 no tempo normal, com gols de Ngadeu-Ngadjui e Bassogog. Já a grande final, que aconteceu dia 5 de fevereiro, o adversário da vez seria o Egito de Elneny e Salah. O volante do Arsenal abriu o placar no primeiro tempo e obrigou os camaroneses a buscar a virada na etapa complementar, conquistada aos 43 do segundo tempo, com Aboubakar. O título comemorado foi a porta de entrada para a Copa das Confederações da Rússia. 

VAVEL Logo