Getafe confirma favoritismo ao bater Huesca e garante vaga na final dos playoffs de acesso
Foto: Divulgação/La Liga

Neste sábado (17), Getafe e Huesca se enfrentaram no Estádio Coliseum Alfonso Pérez, pela partida de volta da semifinal dos playoffs da Liga 1|2|3 e, confirmando o seu favoritismo, o Getafe venceu o jogo, se classificando para a final. Cala, Dani Pacheco e Fuster marcaram os gols da vitória dos donos da casa, que garantiram a vaga na final dos playoffs e esperam por Cádiz ou Tenerife, que disputam a outra semifinal. Para o Huesca, ficou pra trás o sonho de disputar a La Liga pela primeira vez na sua história. Já o Getafe, quer retornar à elite e se manter onde esteve por 12 temporadas seguidas.

Experiência e calma para fazer o gol

O primeiro tempo da partida começou agitado, com disputas de bola mais acirradas, como terminou a outra partida. O Huesca chegava com mais ímpeto e frequência ao ataque, mas era o Getafe quem levava perigo quando subia. Aos 10’, Lacen cobrou falta da intermediária e tentou surpreender o goleiro Herrera, que conseguiu voltar a tempo e espalmar para escanteio. Na cobrança, Cata Díaz subiu e cabeceou no ângulo, mas novamente Herrera fez boa defesa.

Samu Sáiz tenta a jogada pelo Huesca | Foto: Divulgação/La Liga
Samu Sáiz tenta a jogada pelo Huesca | Foto: Divulgação/La Liga

As bolas paradas eram a principal arma dos donos da casa. Faurlín bateu falta de longe aos 25 minutos, Herrera foi meio estranho pra bola, mas conseguiu espalmar pra escanteio. O Huesca não conseguia transformar a posse de bola em criação de jogadas, as únicas duas chegadas com um pouco mais de perigo vieram de cruzamentos que o goleiro Guaita espalmou.

E como já era esperado, foi em uma cobrança de falta que saiu o gol dos Azulones. Em jogada ensaiada aos 37 minutos, Lacen cobrou falta de cavadinha, Molina apareceu na área, disputou com a zaga e tocou com o pé direito, o zagueiro Cala apareceu pra bater na saída do goleiro e abrir o placar. Com a vantagem no placar, o Getafe soube acalmar o jogo, pouco atacou, mas também não correu riscos.

Domínio, vitória e vaga confirmada

Perdendo e jogando fora de casa, tudo indicava que o Huesca voltaria para o segundo tempo com mais vontade, com um time mais ofensivo, em busca do empate e da virada. Mas não foi isso que aconteceu. Talvez pela falta de experiência da equipe, ou até mesmo pela baixa qualidade técnica. Fato é que em momento algum o Getafe correu riscos durante a partida.

Na verdade, mesmo vencendo, foi o Getafe quem buscou mais o ataque. Aos 54', Álvaro cruzou da direita e Cata apareceu livre nas costas da zaga, o zagueiro bateu de primeira, mas o goleiro Herrera se jogou na bola e conseguiu defender com os pés. Nove minutos depois, nem Herrera conseguiu impedir o segundo gol. Em um linda jogada pela direita, Álvaro tocou para Molina, que de primeira tocou para Portillo, que só ajeitou para Dani Pacheco bater colocado, no canto direito do goleiro. Um belo gol.

Cala comemora o seu gol, o primeiro da partida | Foto: Divulgação/La Liga
Cala comemora o seu gol, o primeiro da partida | Foto: Divulgação/La Liga

O técnico Juan Anquela até que tentou, fez alterações, tirou zagueiros para colocar atacantes, mudou a formação da equipe, mas não teve jeito, a equipe ficou mais exposta em campo e o Getafe soube aproveitar. Aos 74', Portillo deu um belo toque para Fuster, que recebeu livre e bateu de canhota na saída do goleiro, fazendo 3 a 0 e decretando a vitória.

No final do jogo o que se viu foi uma série de atitudes antidesportivas dos jogadores do Huesca. Pontapés, agressões, cusparadas, cenas lamentáveis que marcaram um confronto que já tinha promovido algumas disputadas mais duras, mas não tão covardes. Terminando a temporada regular em terceiro, o Getafe fez por merecer a melhor campanha e agora aguarda por Cádiz ou Tenerife, para tentar retonar à primeira divisão um ano após ser rebaixado.

VAVEL Logo