Málaga 2017/18: Investimento, decepção e busca por um sonho
Foto: Editoria de Arte/VAVEL Brasil

O tradicional Málaga Club de Fútbol vai para a 10ª temporada seguida na primeira divisão do Campeonato Espanhol, a 37ª de sua história na principal divisão espanhola. Não conseguiu se aproximar da disputa por vaga nas competições europeias na última edição e este ano busca um melhor desempenho.

Apesar da compra do clube pelo sheik Abdullah ben Nasser Al Thani em 2010 e do alto investimento em jogadores de renome, o clube não passou de um quarto lugar na temporada 2011-12, que o possibilitou disputar a Uefa Champions League na temporada seguinte, onde foi até as quartas de final. Este ano - assim como nos últimos anos nos quais teve um investimento mais baixo - o objetivo do clube é se manter mais perto da briga por vaga na Uefa Europa League do que na briga contra o rebaixamento.

A equipe da Andaluzia disputou sete amistosos até aqui na pré-temporada e não foi nada bem. Foram sete derrotas, passando cinco jogos sem ao menos fazer um gol sequer. Mesmo sendo jogos amigáveis, percebe-se que muito trabalho deverá ser feito para que a equipe se acerte possa buscar seus objetivos.

Detalhe do amistoso contra a Lazio | Foto: Marco Rosi/Getty Images
Detalhe do amistoso contra a Lazio | Foto: Marco Rosi/Getty Images

Derrotas em casa para Sheffield United, Hertha Berlin e Lazio não estavam nos planos. Os 3 a 0 para o AZ Alkmaar na Holanda e o 1 a 0 para o modesto Granada também não. Torcida e elenco esperam um desempenho muito melhor quando os jogos forem valendo os 3 pontos.

E para que isso seja diferente o clube vem trabalhando bastante no mercado de transferências. Só nesta janela de verão europeu foram 10 reforços que chegaram tanto por contrato definitivo como por empréstimo. Foram três goleiros, três zagueiros, um lateral-esquerdo, dois meias e um atacante.

O meio-campo Emanuel Cecchini, argentino de apenas 20 anos contratado junto ao Banfield por 4 milhões de euros, é um dos destaques destas transferências. O atacante Borja Bastón, que já se destacou atuando na Espanha por Zaragoza e Eibar, mas que não foi muito feliz na última temporada no Swansea, tem apenas 24 anos e é também uma das esperanças desta equipe.

Para comandar o time a diretoria contratou o espanhol Míchel ainda no final da temporada passada. Míchel, que havia deixado o Olympique de Marseille em 2016 e estava sem clube, chegou para substituir Marcelo Romero, demitido devido aos maus resultados.

Míchel comanda um dos treinamentos de pré-temporada | Foto: Divulgação/Málaga CF
Míchel comanda um dos treinamentos de pré-temporada | Foto: Divulgação/Málaga CF

Como treinador, Míchel se destacou à frente do Olympiacos da Grécia, onde conquistou o Campeonato Grego por três anos consecutivos (2013, 2014, 2015) e ainda a Copa da Grécia (2013). Obteve 71.1% de aproveitamento enquanto esteve no clube grego, desempenho que não repetiu durante os oito meses que esteve à frente do Marseille.

Com 49 gols feitos e 55 sofridos na última edição da La Liga, um dos pontos a serem melhorados é o balanço ofensivo e defensivo do time. Além disso, a equipe perdeu apenas duas partidas atuando fora de seu estádio, mas foram sete derrotas em seus domínios, um número que realmente chama atenção e precisa ser acertado.

A equipe blanquiazul terá mais uma temporada pela frente para tentar estar mais perto da parte de cima da tabela. Para fazer os investimentos dos dólares do Oriente Médio valerem a pena. Para buscar voltar a ser a forte e tradicional equipe que sempre deu trabalho para as equipes maiores.

VAVEL Logo