Espanyol 2017/18: consistência e estabilidade devem ditar destino catalão na temporada
Foto: Editoria de Arte/VAVEL Brasil

A ascensão do Espanyol na tabela entre a temporada 2015/16 e a última edição foi de cinco posições. Do 13º ao 8º lugar, a equipe catalã deu um salto que resultou em sua melhor colocação dos últimos dez anos, igualando a da temporada 2010/11, e que já lhe permite ter sonhos mais ambiciosos — como participar da Europa League em um futuro próximo. 

Buscando alcançar tal feito, que na última temporada ficou a apenas oito pontos de distância, o time precisa de mais consistência e menos oscilações para manter seu status e não despencar novamente para a parte mais baixa da tabela, flertando com o 13º e 14º lugar como vem acontecendo. Se existe um momento ideal para o time perico dar um passo à frente, o momento é a temporada 2017/18.

Pré-temporada

O Espanyol disputou seis partidas amistosas em preparação para o começo da temporada, totalizando três vitórias, dois empates e uma derrota. Na estreia, a equipe saiu com vitória e goleada por 7 a 0 contra o Persija, da Indonésia, em seguida emendando outro bom placar contra o UE Olot em vitória por 4 a 0. Em seu primeiro teste de peso, contra o Borussia Dortmund, o Espanyol também foi vencedor, pelo placar mínimo. 

Contra o FC Twente, da Holanda e o Hamburgo da Alemanha, a equipe catalã conseguiu empates por 0 a 0 e 1 a 1, respectivamente. O último teste da sequência de amistosos preparatórios foi contra o Napoli, e o Espanyol sofreu sua primeira e única derrota, por 2 a 0. 

Mercado de transferências

Com o intuito de reforçar seu elenco, os catalães trouxeram três zagueiros, um meio-campista e um atacante durante a janela de verão, além de finalizar com o Milan a transferência definitiva do goleiro Diego López.

Para o setor defensivo, contrataram o zagueiro brasileiro Naldo, vindo do FC Krasnodar da Rússia, o zagueiro espanhol Mario Hermoso do Real Madrid e o zagueiro espanhol Sergio García, que já havia jogado cinco temporadas no Espanyol e retorna ao ex-time vindo do Al-Rayyan, do Qatar. O Espanyol ainda contratou o meio-campista espanhol Esteban Granero, da Real Sociedad, e exerceu a opção de compra do atacante argentino Pablo Piatti

Deixando o elenco nessa temporada estão os meio-campistas espanhóis Joan Jordán, com destino ao Eibar, e Salva Sevilla. Também fazem parte desta lista os atacantes Felipe Caicedo e Mamadou Sylla e o goleiro espanhol Roberto Jiménez, que foi emprestado para o Malaga com opção de compra obrigatório caso o time siga na primeira divisão. O lateral direito Rober Correa foi vendido para o Cadiz, e os laterais esquerdos Victor Alvarez, José Antonio Rayes e Rubén Duarte, cedido ao Alavés, também não irão mais incorporar o elenco catalão.

Treinador 

O técnico Quique Sánchez Flores inicia sua segunda temporada à frente do Espanyol, buscando manter e possivelmente melhorar a colocação dos catalães na tabela após boa temporada no comando do time. Com o retrospecto de 49 gols marcados e 50 sofridos na edição passada, resultando em um saldo de apenas -1, Quique parece ter encontrado um sistema equilibrado para guiar seu grupo. 

Fazendo do Espanyol um time bastante regular na temporada passada, Quique conquistou também a torcida perica, que se permite certo otimismo com o campeonato prestes a ser iniciado. O treinador já repetiu diversas vezes que o time pode dar um passo a mais, porém  opta pela prudência sabendo que os rivais também aumentarão o nível. Após um ano de trabalho, Quique tem agora a oportunidade de conduzir um time que já possui seu DNA e comprou sua ideia. 

Expectativas para a temporada

No campeonato espanhol, o Espanyol terá um início extremamente complicado. A sequência de confrontos que irá rechear as nove primeiras rodadas incluem jogos fora de casa contra o Sevilla, Barcelona, VillarrealReal Madrid e Real Sociedad — todos times que disputam a Champions League ou Europa League. Os confrontos em casa que intercalam as pedreiras são contra o Leganés, Celta de VigoDeportivo La Coruña e Levante

Se aproveitando de uma boa colocação na última temporada, o Espanyol tem potencial para capitalizar a situação e mirar um pouco mais alto, buscando uma sexta posição e consequente classificação para a Europa League. O maior obstáculo é a dificuldade da equipe catalã de se manter próxima da zona de classificação, e alcançá-la promete ser ainda mais desafiador. 

Seus principais rivais de vaga na última temporada — o sétimo colocado Athletic Bilbao, a sexta colocada Real Sociedad e o quinto colocado Villarreal — levavam vantagem significativa no quesito saldo de gols, que era de 10, 6 e 23, respectivamente. Os reforços na janela de transferências tem potencial para mudar os panoramas do ataque e da defesa, mas o mais importante é que o grupo esteja consistente e regular em um campeonato longo como La Liga.

VAVEL Logo