Da luta pelo hexa à arbitragem de vídeo: nove motivos para ficar ligado na Bundesliga 2017/18
Foto: Hugo Alves/Editoria de Arte/VAVEL Brasil

Após a pausa durante o verão europeu, a decisão da Supercopa e o início da Copa da Alemanha, o principal torneio de futebol das terras germânicas terá seu início a partir da tarde desta sexta-feira (18). A Bundesliga 2017/18 vai começar a ser disputada com o duelo entre Bayern de Munique x Bayer Leverkusen, na Allianz Arena lotada com seus 75 mil torcedores.

Entretanto, o que aguarda a edição que começa em pouco mais de 24 horas? Abaixo, confira um guia com nove motivos para ficar ligado e esperar ainda mais emoções na disputa do Campeonato Alemão.

1. Caça contra hexacampeonato do Bayern

O Bayern de Munique continua a fazer história. Na temporada passada, conquistou o pentacampeonato nacional, algo nunca feito anteriormente. O time comandado por Carlo Ancelotti busca aumentar a hegemonia e o feito histórico com a conquista do hexacampeonato. Certamente, os bávaros são apontados como favoritos ao título, mas os concorrentes estão dispostos a quebrar essa sequência positiva, principalmente os clubes que tiveram bom desempenho na edição anterior, como RB Leipzig e Borussia Dortmund.

Os Saxões até ameaçaram ao ocupar a primeira colocação por algumas semanas, mas ficou com o histórico vice-campeonato em sua estreia na elite. Mais conhecedor da primeira divisão, o Leipzig manteve a comissão técnica liderada por Ralph Hasenhüttl e jogadores talentosos, como Forsberg, Demme e Keita.

Os aurinegros mantiveram peças importantes, mas renovaram a comissão técnica. Conhecido pelo bom trabalho com jovens atletas, Peter Bosz terá a missão de colocar o time na primeira posição e voltar a conquistar o título.

2. Jovens talentos

A contratação mais badalada do Bayern de Munique foi a chegada do colombiano James Rodríguez, emprestado pelo Real Madrid por dois anos. Apesar da experiência em terras espanholas e na seleção, quando conquistou a Chuteira de Ouro na Copa do Mundo 2014, o jogador ainda é jovem e se junta a um seleto grupo formado por outros belos talentos que reforçam diversas equipes, a exemplo do companheiro de equipe bávara Corentin Tolisso, destaque no Lyon com 13 gols marcados em 31 partidas na última Ligue 1.

Outros talentos que valem a pena serem observados são Zagadou (Borussia Dortmund), Augustin (RB Leipzig), Denis Zakaria (Borussia Mönchengladbach), Amine Harit (Schalke 04) e Ignacio Camacho (Wolfsburg).

3. Juventude no banco de reservas

A juventude não se limita apenas aos gramados. No banco de reservas, algumas equipes realizaram mudanças nos técnicos e trouxeram jovens promessas do futebol nacional e internacional. Novos técnicos, novas filosofias. Peter Bosz foi contratado pelo Dortmund, enquanto Domenico Tedesco, com 31 anos de idade e boa passagem no Erzgebirge Aue, chega para proporcionar dias melhores no Schalke 04.

O Mainz 05 manteve as ideias e promoveu Sandro Schwarz, com formação dentro do clube para comandar a equipe principal. Após conseguir o acesso histórico com o Jahn Regensburg, Heiko Herrlich foi contratado pelo Bayer Leverkusen para dar melhores expectativas aos leoninos. Além destes, Hannes Wolf foi mantido no Stuttgart, depois de boa campanha de recuperação que culminou no retorno dos Suábios à elite do futebol germânico.

4. Luta pela artilharia

A briga pela artilharia ficará resumida mais uma vez entre Lewandowski e Aubameyang ou alguém vai surpreender e entrar na briga pelo Torjägerkanone, o prêmio dado ao maior goleador da temporada? Na temporada passada, o atacante do Borussia Dortmund levou a melhor e se tornou o maior goleador da Bundesliga com 31 gols marcados, um a mais que o centroavante do Bayern de Munique. Os dois já começaram muito bem a temporada, com muitos gols marcados na DFB-Pokal.

Outro jogador que balançou muito as redes na edição passada foi Anthony Modeste, que recolocou o Colônia em uma competição europeia após 25 anos. Porém, o jogador deixou os Bodes e agora está no Tianjin Quanjian, da China. Por isso, outros especulados a brigar pela artilharia são Timo Werner (RB Leipzig), Sandro Wagner (Hoffenheim), Max Kruse (Werder Bremen) e o experiente Mario Gomez (Wolfsburg).

5. Intensa briga por competições europeias

A Bundesliga reúne equipes tradicionais do futebol alemão que também têm seus capítulos no futebol continental. Tanto no passado quanto no presente, várias agremiações conquistaram títulos e tiveram suas façanhas nos torneios internacionais. Na temporada passada, Hoffenheim e RB Leipzig surpreenderam e garantiram com antecedência vagas inéditas à Uefa Champions League, enquanto o Colônia retornou à disputa de um torneio europeu depois de 25 anos.

Porém, Bayer Leverkusen, Borussia Mönchengladbach, Schalke 04 e Wolfsburg buscam o abandono das campanhas decepcionantes com o objetivo de voltar a figurar na parte de cima da tabela. Mainz 05, Augsburg, Hannover, Stuttgart e Hamburgo principalmente também tentam voltar ao certame estrangeiro, assim como Werder Bremen e Eintracht Frankfurt não querem ficar no quase.

6. Disputa ferrenha contra rebaixamento

O equilíbrio é característica predominante da Bundesliga. Nos últimos anos, a briga contra o rebaixamento deixou o campeonato bastante visível. Na temporada passada, Bayer Leverkusen e Hamburgo escaparam nas últimas rodadas, enquanto o Wolfsburg evitou o rebaixamento nos playoffs, diante do Eintracht Braunschweig. Vários são os questionamentos para a temporada. Pode haver alguma surpresa? Hamburgo e Bremen irão evitar sofrimento aos torcedores? As pretensões de Mainz e Augsburg realmente darão certo? São quesitos a serem respondidos no decorrer das 34 rodadas.

7. Volta de importantes clubes

Por causa da vitória do Wolfsburg, apenas duas equipes subiram da segunda divisão. Com surpreendente rebaixamento e favoritismo total pelo acesso, Stuttgart e Hannover 96 fizeram o esperado, apesar de não ter sido uma jornada fácil. Assim, ambos estão de volta à elite e o desempenho de ambos será observado também. A principal missão é evitar sofrimento e mais uma vez a queda para a 2. Bundesliga.

Para isso, a manutenção foi feita. Nos Suábios, Hannes Wolf foi mantido no comando técnico, embora assumisse o comando da equipe cinco vezes campeã nacional durante a disputa da segunda divisão. Coincidentemente o mesmo que aconteceu com André Breitenreiter, que comandou o Schalke na temporada 2015/16 e tenta manter os bons números à frente dos Vermelhos.

8. Arbitragem de vídeo

Com o uso adotado gradativamente, a arbitragem de vídeo será implantada a partir dessa sexta-feira (19). Usada na decisão da Supercopa da Alemanha pela primeira vez e com bastante discussão, será a vez da Bundesliga usar a grande novidade no futebol no século. O objetivo desse recurso é ajudar a equipe nos gramados quanto à decisão correta em lances polêmicos. Toda a equipe de arbitragem será utilizada, inclusive quem se aposentou na última temporada, a exemplo de Dr. Jochen Drees, Günter Perl e Wolfgang Stark.

9. Público

A Bundesliga por anos é a competição com maior média de público em todo o mundo. Estádios cheios, com altíssima taxa de ocupação, independentemente da situação do clube no certame. A popularidade resultou na assistência de 19.042.362 torcedores nos 612 jogos da Bundesliga e da 2. Bundesliga. A expectativa é de um número ainda maior nessa temporada, com o retorno de Hannover e Stuttgart, que mandam seus jogos em grandes estádios.

Além disso, aumenta o número de espectadores ao redor do mundo. Clubes como Bayern de Munique e Wolfsburg abriram sedes na Ásia, outras equipes fizeram atividades de pré-temporada em vários países ao redor do mundo, principalmente em terras asiáticas e norte-americanas. Ao todo, em mais de 200 países, a Bundesliga será vista. E esses são apenas nove de muitas razões que iremos descobrir nessa temporada de futebol alemão, que apenas está em seu início.

VAVEL Logo