Em jogo marcado por muitas faltas, Uruguai e Argentina não saem do zero pelas Eliminatórias
Foto: LatinContent WO/Gabriel Rossi

Em um jogo disputadíssimo e marcado por muitas faltas, Uruguai e Argentina não saíram do zero em partida válida pela 15ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, no Estádio Centenario. Mesmo jogando em casa, o Uruguai foi tímido e foi inofensivo na maior parte do jogo.

Com o resultado, as duas seleções continuam emboladas na tabela de classificação: o Uruguai permanece em terceiro lugar, já que o Chile perdeu para o Paraguai, com 24 pontos e a Argentina, por sua vez, não muda de lugar e permanece em quinto, na zona de repescagem, com 23 pontos – os Hermanos podem ser ultrapassados pelo Equador, que tem 21 pontos e joga com o Brasil, na Arena do Grêmio.

O próximo compromisso do Uruguai será contra o embalado Paraguai, que vem de uma grande vitória, na próxima terça-feira (5), no Estádio Defensores Del Chaco. No mesmo dia, a Argentina volta a jogar à frente do seu torcedor e receberá a Venezuela no Monumental de Nuñez.

Primeiro tempo de chances perdidas e sem gols

A equipe de Jorge Sampaoli entrou com uma formação diferente da que vinha sido utilizada anteriormente, com três zagueiros, e, nos primeiros minutos, não conseguiu desenvolver muito o seu jogo, vendo o Uruguai sendo superior. A primeira grande chance ocorreu aos 12 minutos, quando o time de Óscar Tabarez teve um gol anulado: após rebote em chute de Luis Suárez, Godín dominou e balançou as redes, mas estava em posição irregular.

Com o passar do tempo, o jogo da Argentina começou a fluir, principalmente por conta de Lionel Messi – que recuou e jogou mais centralizado, como um exímio “camisa 10”. A primeira boa chance foi aos 21 minutos, quando o jogador do Barcelona e Di María fizeram uma boa jogada pelo lado do campo, mas não acharam ninguém dentro da área para completar para o gol. Nove minutos depois, Messi, no lado direito, cortou para o meio, chutou cruzado e, por muito pouco, o zagueiro Otamendi não conseguiu alcançar a bola.

Apesar de uma melhor atuação da equipe visitante, a outra grande chance da partida foi do Uruguai: aos 37 minutos, Cristian Rodriguez chutou de muito longe após rebote da defesa argentina, Romero não conseguiu defender, mas se recuperou ao defender o chute de Cavani de sobra. A bola ainda sobraria para Suarez, que chutou cruzado e por pouco o atacante do PSG não conseguiu desviar para dentro do gol. Apesar das boas chances, a primeira etapa terminaria sem gols.

Segundo tempo: faltas, faltas e mais faltas

Assim como na grande parte do primeiro tempo, a Argentina dominou a partida e teve as grandes chances nos minutos iniciais. Dessa maneira, a Seleção Uruguaia passou a jogar mais na força física, fazendo muitas faltas. Com apenas um minuto, Álvaro Gonzalez deu uma entrada criminosa em Messi e levou um cartão amarelo. A situação ficaria pior, já que o árbitro Victor Carrillo não conseguiu manter o controle sob a partida.

Tônica da partida: muitas faltas e reclamações (Foto: AFP/ PABLO PORCIUNCULA BRUNE)
Tônica da partida: muitas faltas e reclamações (Foto: AFP/ PABLO PORCIUNCULA BRUNE)

Esse cenário se repetiria pelo restante da segunda etapa: Uruguai acuado, sem conseguir desenvolver nenhuma jogada e defendendo com os dez jogadores no campo de defesa e uma Argentina que tentava criar, mas não conseguia passar da defesa da equipe de casa e, quando fizera, era parada com muitas faltas, que foram a tônica do restante da partida.

O apito final foi ruim para ambos: o Uruguai ouviu vaias vindo das arquibancadas por conta da fraca atuação e a Argentina viu mais do mesmo, já que, mesmo com Jorge Sampaoli, não conseguiu criar chances e mostrar um bom futebol, já que, agora, tem o segundo pior ataque da competição.

VAVEL Logo